NASA nega que a Voyager 1 tenha deixado o Sistema Solar


A União Geofísica Norte-Americana diz que a Voyager 1 já se encontra no espaço interestelar, porém, a NASA diz que tal afirmação é "prematura e incorreta". Afinal de contas, quem está certo?



Toda confusão começou quando a União Geofísica Norte-Americana divulgou a informação (com base em estudos preliminares), de que a Voyager 1 teria deixado o Sistema Solar, porém, logo em seguida, a NASA desmentiu tal afirmação.

De acordo com a NASA, ainda não há evidências concretas de que a sonda espacial Voyager-1 tenha deixado o Sistema Solar.

A sonda Voyager foi lançada em 1977, e foi criada inicialmente para estudar os planetas mais afastados da Terra, porém, continuou viajando para os confins do nosso Sistema.

O pesquisador Bill Weber da União Geofísica Norte-Americana, diz que ainda há muito debate sobre a localização da sonda, se ela está em uma "lacuna" entre o Sistema Solar e o espaço interestelar, ou se de fato, ela já teria passado dessa fronteira. Logo em seguida, o porta voz da NASA Dwayne Brow divulgou uma nota dizendo que essa afirmação é "prematura e incorreta".

A Nasa diz que a Voyager está prestes a entrar em uma área do espaço além da influência do Sol. Calcula-se que essa região interestelar esteja a mais de 18 bilhões de quilômetros da Terra, ou 123 vezes a distância entre nosso planeta e o Sol.

Atualmente, as mensagens de rádio da Voyager-1 levam cerca de 16 horas para chegar ao nosso planeta.

A Voyager-1 está indo na direção de uma estrela chamada AC +793888, porém, só chegará a dois anos luz de distância do astro - o que levará cerca de 40 mil anos para fazê-lo.

Vamos entender um pouco mais

A Voyager-1 vinha monitorando mudanças no ambiente ao seu redor, que indicava a proximidade da fronteira do Sistema Solar, conhecida como "heliopausa".

A sonda havia detectado um aumento no número de partículas de raios cósmicos vindo do espaço interestelar em sua direção e, ao mesmo tempo, um declínio da intensidade de partículas energéticas vindo do Sol, porém, segundo Edward Stone, Cientista de Projetos da Voyager, o que seria a maior evidência de que a sonda teria deixado o Sistema Solar ainda não existe. E ele completa: "Essa grande e esperada evidência, seria uma mudança na direção do campo magnético, o que ainda não foi observado."

Uma grande mudança, que os cientistas chamaram de "heliopenhasco", aconteceu em 25 de Agosto de 2012.

A Voyager-1 foi lançada em 5 de Setembro de 1977 e sua "sonda irmã", a Voyager-2, em Agosto do mesmo ano. O objetivo inicial das duas sondas era investigar os planetas Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. Essas tarefas foram concluídas em 1989.

Em seguida, elas foram enviadas para mais além no espaço, na direção do centro da Via Láctea. No entanto, suas fontes de energia, feitas de plutônio, devem parar de produzir eletricidade em cerca de 10 a 15 anos, quando seus instrumentos e transmissores irão parar de funcionar.

As sondas Voyager se tornaram "embaixadoras silenciosas" da Terra, enquanto se movem cada vez mais rumo o espaço interestelar. 

As duas transportam discos de cobre banhados a ouro com gravações de saudações em 60 línguas, amostras de música de diferentes culturas e épocas, sons naturais da Terra e outros sons produzidos pelo homem.

Fontes: AFP / AGU / NASA

20/03/13

2 comentários:

  1. Talvez se encontre no espaço da chamada Núvem de Horth, da qual se conhece pouco, mas que terá um diâmtero muito maior que o da distância entre o Sol e Plutão... Daí estes dados que levantam dúvidas.
    É que nesse imenso campo, poderão haver muitas influências contraditórias e nem em todos os espaços, a influência dos ventos solares se farão sentir de modo uniforme...

    ResponderExcluir
  2. Que nada,os alienígenas já encontraram ela ,fizeram foram piratear os discos coma s músicas pra vender em seus planetas ! tal terra ,tal planeta sei lá !

    ResponderExcluir