Mais um: aconteceu o segundo desastre envolvendo a Agência Espacial Russa em menos de 3 semanas!

acidentes e desastres agência espacial russa
Foguete russo e carga mexicana são destruídos em mais um acidente catastrófico


Pela segunda vez em menos de três semanas, uma catástrofe de grandes proporções ocorreu no programa espacial russo. O lançamento de um foguete Proton-M terminou em um fracasso catastrófico cerca de oito minutos após sua decolagem, ocorrida no Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, no sábado, dia 16 de maio. O resultado desse grande desastre foi a destruição completa de um satélite de comunicações mexicano.

O foguete Proton-M inicialmente levantou com sucesso às 11:47 do horário local (05h47 UTC), mas logo enfrentou uma situação de emergência após 497 segundos de voo, segundo um comunicado oficial divulgado pela Roscosmos, a Agência Espacial Federal Russa.

foguete russo cai
Lançamento do foguete russo Proton-M no dia 16 de maio de 2015.
Créditos: Roscosmos 

O lançamento catastrófico foi causado por uma falha na terceira fase do foguete Breeze-M, ocorrido durante uma transmissão ao vivo no site da agência. O fracasso aconteceu apenas uma semana depois do grande desastre que foi notícia em jornais de todo o mundo, quando a nave russa Progress 59, com destino à ISS, caiu descontroladamente alguns dias após o lançamento, também feito a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

O foguete Proton-M tinha como missão colocar em órbita o Mexsat 1 (satélite mexicano de telecomunicações), através de um contrato com o governo mexicano. Até o momento, não há relatos de detritos que tenham atingido o solo, e ao que tudo indica, a carga parece ter queimado por completo na atmosfera da Terra.

O destino do Mexsat 1 era uma órbita geoestacionária a uma altitude de aproximadamente 35.000 km, mas infelizmente, assim que o foguete russo atingiu uma altitude de apenas 161 km, tanto o foguete quanto o satélite caíram de volta pra Terra, queimando por completo sobre a região de Chita, na Rússia, a sudoeste da região da Sibéria Baikal.




Segundo relatórios do Sputnik International, não há informações sobre vítimas, detritos e resíduos, tampouco avistamentos da reentrada. O satélite Mexsat 1 tinha 5,4 toneladas. Segundo relatórios preliminares, o mau funcionamento do terceiro motor de direção da terceira fase pode ter sido o responsável pela tragédia. Análises de telemetria suportam essa hipótese. Um conselho de investigação de acidentes foi nomeado para determinar a causa, ou as causas da falha que geraram o acidente, e recomendar ações corretivas, que diga-se de passagem, poderá ser muito útil para a Roscosmos, tendo em vista seu recente histórico de desastres,

foguete russo antes do desastre
Foguete russo Proton-M após o lançamento, cerca de 8 minutos antes do desastre, no dia 16 de maio de 2015.
Créditos: Roscosmos

Trata-se do décimo-primeiro acidente com um foguete Proton-M ou Breeze-M, desde sua decolagem inaugural em abril de 2001. O satélite de comunicações mexicano, o Mexsat 1, tinha sua missão prevista para durar 15 anos, fornecendo diversos serviços via satélite, como controle de desastres naturais, emergências, telemedicina, educação rural e operações da agência do governo. relatos indicam que o satélite Mexsat 1 estava segurado em cerca de 390 milhões de dólares.



Fonte: Universetoday / Sputnik International / Roscosmos
Imagens: (capa-ilustração) / Roscosmos
18/05/15

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. iiiihhhh....... ainda bem que não tinham astronautas tripulando aquela coisa. Teria que manear as pernas e os braços do Putin, enfiá-lo num foguete daqueles e deixar explodir-se. A propósito, e a Roscosmos brasileira em Alcântara, MA? Como está por lá? Tudo voltou à normalidade? Ou esqueceu-se tudo de vez?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A FAB no final do ano passado fez um lançamento de um míssil balístico, ops... de um foguete de sondagem para testar um novo sistema de propulsão, baseado em etanol. Foi na base de Alcântara no Maranhão.
      Poucas pessoas ficaram sabendo do ocorrido, mas a missão foi um sucesso. O míssil balístico, ops... o foguete de sondagem caiu no alvo, ops... no mar, na região prevista.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  2. O Programa Espacial Brasileiro continua. Não há previsão de novo lançamento do VLS (Veículo Lançador de Satélites), por questões técnicas e de segurança. No entanto, em 2012 foi realizada uma montagem do foguete como treinamento. Veja aqui: https://www.youtube.com/watch?v=zAALBpgmUaA. Também foi aberto no Brasil um novo curso de Engenharia Aeroespacial, cujos egressos poderão ajudar, no futuro, com o desenvolvimento do setor no País. Veja aqui: http://engenhariaaeroespacial.ufabc.edu.br/

    ResponderExcluir