Nem a NASA consegue explicar o motor impossível, mas ele parece funcionar!

Motor em Drive funciona - explicação
Uma coisa é certa: nós ainda não entendemos completamente a física do Universo...



Um sistema de propulsão experimental que parece violar as leis da física, pode realmente funcionar, sugere um novo estudo.

O EmDrive está causando controvérsias, discussões e muito, muito debate, porque simplesmente ninguém conseguir explicar como ele funciona, nem mesmo seus próprios criadores. E o mais interessante é que após um teste feito em laboratório, o motor espacial gerou pequenas quantidades de propulsão.


EmDrive: Entenda o inexplicável

O motor EmDrive, desenvolvido pelo pesquisador britânico Roger Shawyer há mais de uma década, gera impulso ao emitir micro-ondas dentro de um cone lacrado. Mas de acordo com a Terceira Lei de Newton (para toda ação há uma reação igualmente oposta) isso não deveria funcionar, já que não há nada sendo expelido pelo EmDrive.

Foguetes usam combustíveis que expelem gases superquentes para impulsioná-los; aviões utilizam suas turbinas (ou hélices) para empurrar o ar para trás, logo, se ejetando para frente, mas esse novo motor EmDrive não empurra nada, não expele nada e não interage com nada (até onde sabemos).

Motor EmDrive
Motor EmDrive.
Créditos: SPR / EmDrive

Mas uma equipe da NASA, liderada por Harold "Sonny" White, da agência Johnson Space Center, notou que o motor EmDrive gera impulso, produzindo 1.2 milinewtons de força por kilowatt de energia. Isso significa que o motor EmDrive gera 100 vezes mais impulso do que uma vela solar, outro projeto estudado pela NASA.




Assim como a vela solar, o EmDrive não requer propulsores. Uma nave espacial equipada com um motor desses, seria capaz de gerar toda sua energia necessária para as micro-ondas apenas com painéis solares. Portanto, o EmDrive pode fazer com que as futuras viagens interplanetárias ou até interestelares se tornem mais baratas e acessíveis, não apenas pelo preço, mas também pela sua velocidade. Os chineses também testaram uma variante desse motor em 2012, que também gerou impulso após alguns testes.

Mas tudo isso pode levar muito tempo, se é que será utilizado de fato algum dia. A tecnologia EmDrive ainda é apenas um conceito, e deve passar por vários testes antes de ser levada a sério em futuras missões. Mas os resultados preliminares são promissores, e nos mostram que a tecnologia para viagens espaciais pode passar por uma grande revolução.




Portanto, o "motor impossível" pode realmente funcionar, talvez aproveitando a energia de partículas subatômicas que estão surgindo e desaparecendo constantemente no Universo, sugere Harold White. A NASA também especula que o motor EmDrive poderia estar "empurrando o vácuo", mas até agora, ninguém tem certeza do que acontece dentro do estranho cone selado. Parece até uma versão do "gato de Schrödinger", só que dessa vez, bem mais complicada...



Imagens: (capa-EmDrive/divulgação) / SPR / EmDrive
24/11/16


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

11 comentários:

  1. Nossa! Isso chega a parecer loucura, mas é insanamente interessante.

    ResponderExcluir
  2. Será que os criadores do EnDrive receberam tecnologia alienígena. Quem sabe!.

    ResponderExcluir
  3. Não seria as microondas interagindo com o tecido do espaço tempo.

    ResponderExcluir
  4. Parece tecnologia alienígena, temos muito que aprender ainda e as leis da física parece que estão começando a ficar atrasadas. Um diz que nao existe, o universo vai lá e prova o contrario. Se aprimorar este motor, vamos poder viajar no espaço, porém só os mais ricos que vai poder curtir a viagem, os pobres morerão na terra.

    ResponderExcluir
  5. Todo o segredo está na física quântica.quando começarmos aa desvendar seus segredos começaremos a poder pensar em viagens interestelares!!

    ResponderExcluir
  6. Pode ser tecnologia alienígena mesmo.

    ..."e não interage com nada (até onde sabemos)"...
    Pois é, até onde sabemos, pois interage com alguma coisa sim, talvez em outra dimensão.

    ...a energia de partículas subatômicas que estão surgindo e desaparecendo constantemente no Universo...
    Surgindo e desaparecendo acho que não, as partículas subatômicas devem se movimentar por dimensões do espaço-tempo que nossos equipamentos e sentidos (pelo menos da maioria das pessoas) ainda não detectam.

    ResponderExcluir
  7. As atuais leis da física, estão convencionadas para o que temos de conhecimento hoje. Podemos mudar isso para o amanhã.

    ResponderExcluir
  8. Algumas coisas são inexplicáveis, mas algumas comparações podem ser efetuadas.

    Um corpo, por exemplo, não se encerra em seus limites físicos observáveis. O sol pode ser um exemplo. Uma estrela de massa colossal que tem, além de sua constituição física, campo gravitacional que prolonga a sua existência no espaço.

    Se o sol desaparecesse do nada neste exato momento, só veríamos o seu apagar após pouco mais de 8 minutos, mas sentiríamos de imediato o impacto da falta de seu campo gravitacional, porque é parte dele. O poder gravitacional que ele exerce faria diferença instantaneamente, pois ele não viaja à velocidade da luz, simplesmente existe.

    Escrevi isso só pra mostrar que as coisas podem estar em sintonia, mesmo estando muito distantes umas das outras. Na verdade eu talvez tenha escrito uma merda muito grande e se alguém quiser, pode corrigir.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito interessante a sua reflexão, Elias. Mas há um problema conceitual na sua analise, sobre campo gravitacional.
      No conceito mais atual da física, a massa do Sol apenas deforma o espaço/tempo a sua volta e, consequentemente tudo que estiver em suas proximidades, incluindo a Terra, trilhará um novo caminho, de acordo com essa nova coordenada espaço/tempo. Ou seja, não é a gravidade do Sol que interfere no movimento da Terra, mas sim a distorção que o Sol aplica no espaço, o responsável por fazer com que o movimento inercial da Terra, que deveria ser linear, torne-se curvo.
      E como não há uma força atuando a distância, mas sim uma deformação geométrica de um tecido do espaço já existente em todas as direções, é que podemos entender o porquê do seu efeito ser imediato.
      Mas existe na física quântica coisas que acontecem instantaneamente. Como por exemplo o salto de um elétron de um órbita para outra dentro do atomo, ou o caso do entrelaçamento quântico, que inclusive, já tem experimentos de teletransporte de partículas sendo feito por grupos de cientistas.
      Abraços!

      Excluir
  9. Isso ai está com cara de algo que nós não poderemos enxergar nunca, porque pode estar sendo influenciado ou influenciando uma dimensão diferente das 3 que enxergamos,e claro que não se sabe qual nem como seria essa dimensão. Uma opinião minha baseada em teoria dimensional.

    ResponderExcluir
  10. Calma ai galera, antes de sair pensando em conspirações alienígenas (por quê diabos alienígenas viriam até aqui nos dar tecnologia de propulsão? não estamos merecendo não...) lembrem-se que o propulsor ainda não foi testado no vácuo, ou seja, há possibilidade da propulsão ser gerada por ruídos e/ou expansão por calor, como os testes chineses mostraram durante uma bateria de testes do protótipo deles.

    ResponderExcluir