Tempestade solar está a caminho

tempestade solar para o dia 02 de agosto
Meteorologistas espaciais emitiram um alerta de tempestade geomagnética para terça-feira, dia 02 de agosto! Quais serão os efeitos?



Nas últimas horas do dia 28 de julho, um grande filamento de magnetismo se desprendeu do Sol durante uma erupção solar, desencadeando uma Ejeção de Massa Coronal em nossa direção. O Observatório Solar and Heliospheric (SOHO) registrou o fenômeno:


Analistas da NOAA concluíram modelos de computador da trajetória dessa Ejeção de Massa Coronal, e segundo os especialistas, a nuvem de plasma irá atingir o campo magnético da Terra nessa terça-feira, dia 02 de agosto.




Essa não é uma grande nuvem, e não provocaria uma tempestade geomagnética considerável, porém uma segunda nuvem proveniente de uma corrente de vento solar vem logo atrás. O golpe duplo pode perturbar fortemente o campo magnético do nosso planeta. Meteorologistas espaciais estimam uma chance de 70% para tempestades geomagnéticas de classe G1 ou G2, que devem acontecer entre os dias 01, 02 e 03 de agosto.


O que pode acontecer?

Os efeitos mais intensos serão sentidos principalmente próximo dos polos. Uma tempestade geomagnética de classe G2 (moderada) tem força suficiente para causar danos em geradores e transformadores em altas latitudes caso tenha duração prolongada. Falhas de radio comunicação também podem ocorrer em latitudes médias.

As belíssimas auroras polares também podem iluminar céus até a latitude de 55°, compreendendo praticamente todo o território do Canadá, chegando até Nova York, nos EUA. No hemisfério sul, os céus podem ficar coloridos até mesmo no extremo sul da América do Sul. Satélites também devem sofrer alterações de órbita ou desligamento temporário para evitar danos causados pelo magnetismo.




É possível acompanhar o monitoramento da atividade solar em tempo real aqui mesmo em nosso site, uma cortesia da NASA.

ATUALIZAÇÃO - 02/AGO/16 às 14h05 BRT

De acordo com meteorologistas da NOAA, a Terra ainda não está passando pela tempestade geomagnética neste exato momento, mas o alerta ainda permanece para o dia de hoje, e a qualquer momento a nuvem carregada deve atingir a atmosfera da Terra, e espera-se uma tempestade de classe G2. Para amanhã, dia 03 de agosto, o alerta para tempestade geomagnética de classe G1 também permanece.

ATUALIZAÇÃO - 03/AGO/16 às 14h50 BRT

Nas primeiras horas de hoje, a Terra passou por uma tempestade geomagnética de classe G1, e ainda podem ocorrer mais efeitos da nuvem carregada durante as próximas horas.

O astrofotógrafo Jüri Voit aproveitou para capturar as belíssimas auroras boreais, que são decorrentes de rajadas de vento solar e tempestades geomagnéticas.

auroras - Jüri Voit - Estônia
Auroras boreais na Estônia no dia 03 de agosto de 2016.
Créditos: Jüri Voit

Regiões próximas do polo sul são ainda melhores para se observar as auroras neste momento, já que o inverno no hemisfério sul ajuda a manter o ar ainda mais seco.

A tempestade geomagnética prevista, de classe G2, não ocorreu, mas até amanhã, dia 04 de agosto, a Terra ainda pode passar por outras tempestades de nível G1.






Imagens: (capa-NASA/divulgação) / SOHO / NASA / HelioViewer
01/08/16


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Eu tive uma ideia: Se o pessoal deste site explicasse como sintonizar uma EMC/tempestade solar em um rádio de ondas curtas? Evidentemente que não seria um som como Beethoven, Tim Maia ou Angélica... mas dá para se ter uma idéia da ciência por trás disso. Seria um som semelhante à chegada da Juno a Jupiter. Sei que o Gigante emite ondas entre 40 e 500Khz e dá para achar isso num rádio de shortwaves. Há rádios no mercado com faixas desde SW1 a SW 12, como os Transglobes. Dá sim para escutar muita coisa do universo lá em cima e é muito legal. Digam-nos as frequências de SW por gentileza, das próximas vezes. Dá para ver o comportamento deste som num wave editor no PC. Espero que gostem desta minha opinião. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá fora do ar!

      Excelente ideia! Muito obrigado pela sugestão. Vamos pesquisar sobre isso e na próxima vez, caso a tempestade seja forte o suficiente para ser percebida na maior parte do globo, incluiremos a frequência que deve ser afetada.

      A maior parte dos observatórios de rádio terrestres que estudam as explosões solares operam entre 15 MHz e 400 MHz... alguns vão até a 5 GHz, como o Bleien, na Suíça.

      Vamos nos atentar a isso nas próximas vezes. Obrigado pela participação e sugestão! Um grande abraço!

      Excluir
    2. Esses links podem ajudar a acompanhar os efeitos das explosões solares:

      Índice KP
      http://www.galeriadometeorito.com/2012/10/indice-kp-da-atividade-solar.html

      Fluxos de Raio-X
      http://www.galeriadometeorito.com/2012/10/fluxo-de-raios-x.html

      Eles são atualizados a cada 3 horas e a cada 5 minutos, respectivamente.

      Abraços!

      Excluir