Água encontrada na Lua veio da Terra, revela pesquisa

A água presente na Lua veio da Terra, há 4,5 bilhões de anos, durante ou logo após sua formação a partir do choque de um meteorito com nosso planeta, revela nova pesquisa da Revista Science




Ao analisar uma rocha de magma vulcânico encontrado no satélite, Alberto Saal e seus colegas descobriram que os isótopos de hidrogênio são similares aos encontrados na água na Terra e idênticos aos presentes em condritos carbonáceos, que são fragmentos dos meteoritos mais antigos já registrados. Isto indica que o hidrogênio (e a água) teria saído do nosso planeta, que naquela época deveria ser bem mais "molhado" do que se imaginava.

A teoria mais aceita para formação da Lua é que, enquanto a Terra ainda estava em formação, um grande objeto (aproximadamente do tamanho de Marte) atingiu o planeta, e o impacto lançou fragmentos de rocha no espaço -- o objeto se derreteu e se fundiu ao núcleo da Terra, já os fragmentos de rocha quentes se juntaram para formar a Lua. Agora, a água da Terra também parece ter ido para o satélite no passado, ao contrário do que se achava antes, que a água teria evaporado depois de tamanho impacto.

"A explicação mais simples para o que nós descobrimos é que havia água sobre a proto-Terra no momento do impacto gigante", disse Alberto Saal, geoquímico da Universidade de Brown e autor principal do estudo. "Alguma água sobreviveu ao impacto, e é isso que vemos na Lua."

Ou a proto-Lua e a proto-Terra foram alvejadas pela mesma família de condritos carbonáceos logo depois que elas se separaram, disse James Van Orman, professor da Terra, Ciências Ambientais e Planetárias na Case Western Reserve, e coautor do estudo.

Em fevereiro, foi publicado um estudo que mostrava evidências de que o interior da Lua continha quantidade significativa de água durante o seu estágio inicial de formação, antes da crosta se solidificar.

As moléculas de água provenientes de vários lugares do Sistema Solar têm diferentes quantidades de deutério. Em geral, os objetos formados mais perto do Sol têm menos deutério do que os formados mais longe.

Os pesquisadores descobriram que a proporção de deutério e de hidrogênio nas amostras eram relativamente baixas e combinavam com a proporção encontrada em condritos carbonáceos. Estes meteoritos são originários do cinturão de asteroides perto de Júpiter e devem ser os objetos mais antigos do Sistema Solar.

Cometas são conhecidos por levar água e outros compostos voláteis; a maioria dos cometas foram formados na gelada Nuvem de Oort, que se localiza em uma região a mais de 1.000 vezes mais distante do que Netuno -- e por terem se formado tão longe do Sol, eles tendem a ter alta proporção de deutério/hidrogênio, muito mais altas do que as encontradas no interior da Lua, de onde as amostras deste estudo foram retiradas.

Segundo Saal, uma pesquisa recente descobriu que 98% da água da Terra também veio de meteoritos primitivos, sugerindo uma fonte comum.  A maneira mais fácil de explicar isso é que a água já estava presente na Terra primitiva e foi transferido para a Lua.

Fonte: Science Mag
13/05/13

Nenhum comentário:

Postar um comentário