Nova forma de vida é encontrada em salas limpas de naves espaciais

Um raro micróbio que foi descoberto recentemente sobrevive em ambientes hostis, e foi encontrado em dois lugares na Terra: em "salas limpas" na Flórida e na América do Sul



Microbiologistas costumam fazer pesquisas através de bactérias e outros micróbios em salas limpas. Menos micróbios vivem lá do que em qualquer outro ambiente na Terra, mas as pesquisas são importantes para saber quais tipos de vida podem pegar uma carona para o espaço. Se a vida extraterrestre for encontrada, ela seria comparada as centenas de tipos de micróbios detectados em salas limpas de naves espaciais.

A agência espacial dos EUA usa essas salas limpas e esterilizadas para construir naves espaciais para missões a outros planetas para ajudar a evitar qualquer contaminação que possa prejudicar a busca de vida.

Estes quartos são mantidos extremamente secos, e são limpos com produtos químicos, incluindo lixívia e tem pressão positiva para impedir a entrada de quaisquer contaminantes. Luz ultravioleta e tratamentos térmicos também são usados ​​para matar qualquer vida em objetos que entram na sala, e os trabalhadores são obrigados a usar roupas especiais.

No entanto, a Nasa revelou que descobriu uma nova espécie de micróbios resistentes que são capazes de sobreviver neste ambiente altamente inóspito.

Esta população de bactérias em forma de baga é tão diferente de qualquer outra bactéria conhecida que foi classificada como não apenas uma nova espécie, mas também um novo gênero, o próximo nível de classificação da diversidade da vida. Seus descobridores chamaram essa forma de vida de Tersicoccus phoenicis. Tersi vem do latim (limpeza). Cocos, vem do grego (baga), que descreve a forma da bactéria. Phoenicis é uma menção a Phoenix Mars Lander da NASA, a nave espacial lançada em 2007, onde a bactéria foi coletada pela primeira vez após alguns testes de limpeza.


Microbiologista coleta amostras do chão da sala limpa de nave espacial
no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA.  /  Créditos: NASA

A distância entre as duas salas limpas que continham esses micróbios é de cerca de 4.000 quilômetros. Uma das salas está na instalação do Centro Espacial Kennedy, da NASA, e a outra sala limpa está em Kourou, Guiana Francesa, em uma instalação da Agência Espacial Europeia.

"Este forma de vida sobrevive com quase nenhum nutriente", disse Parag Vaishampayan, um microbiologista do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, na Califórnia. 

Micróbios que são tolerantes a condições adversas tornam-se mais evidentes em ambientes de sala limpa, pois lá não se encontram os bilhões de outros micróbios, que dificultam a procura. É como procurar uma pessoa em um estádio repleto de gente, ou procurá-la quando todas já foram embora. Na segunda opção, podemos vê-la de longe. 

"Tersicoccus Phoenicis pode ser encontrado em qualquer ambiente natural com níveis extremamente baixos de nutrientes, como uma caverna ou deserto", especula Vaishampayan.

Essa descoberta é muito importante, pois permite que cientistas determinem se uma forma de vida é de origem extraterrestre ou se pegou uma carona aqui na Terra.

A investigação com Tersicoccus Phoenicis visa compreender as possíveis formas de controlá-lo em salas limpas de naves espaciais. Alunos da Universidade Estadual da Califórnia, em Los Angeles, participaram da pesquisa para caracterizar as espécies recém-descobertas.

Fonte: NASA / ScienceDaily
11/11/13

8 comentários:

  1. "Phoenicis é uma menção a Phoenix Mars Lander da NASA, a nave espacial que está sendo preparado para o lançamento em 2007, onde a bactéria foi coletada pela primeira vez após alguns testes de limpeza."

    A nave está sendO preparadO para lançamento em 2007 ?
    Ta difícil esse texto :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Diogo pela observação. A correção já foi providenciada. Abraços!

      Excluir
    2. Tem outra correção. As salas limpas e estéreis possuem pressão positiva, e não pressão negativa como informado no texto...A pressão negativa faria a atmosfera externa forçar a entrada e é exatamente o que não pode acontecer.
      abraços.

      Excluir
    3. Obrigado Adriano! A correção já foi feita. Abraços

      Excluir
  2. Amigo, não esqueça que a tradução de um Software de tradução não é 100% confiável. Aconselho você dar uma lidinha mais detalhada no conteúdo traduzido porque fica alguns fragmentos estranho, tipo "Este forma de vida sobrevive ". É só uma dica, muito interessante a matéria, parabéns pelo blog. Não fique chateado comigo pela dica, corrigindo o conteúdo ajuda até os mecanismos de buscas encontrar o blog.

    At. J.T.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo! Obrigado pela dica, mas nós não usamos softwares de tradução... isso pode ser culpa do nosso tradutor e intérprete muito demandado...
      Ficaremos atentos, e obrigado à todos pelas observações e pela participação em nosso site. São todos bem vindos!
      Abraços!

      Excluir
    2. Deixa eu entrar na onda da correção. "À todos", não. A todos! Não há crase nessa construção. Vivendo e aprendendo, né?!Abraços!

      Excluir
  3. nao existe perigo nessas viagens para o espaço e outros planetas de levar uma forma de vida ou trazer provocando epidemias a curto prazo ou a longo prazo modificar a geneticamente o ser humano ou até mesmo surgir uma espécie de criatura abominavel? nao se esqueçam que cientificamente viemos dos aminoácidos.

    ResponderExcluir