Materiais orgânicos foram encontrados em vidros formados por um antigo impacto de meteorito

Substâncias como proteínas e celulose estavam preservadas há quase 1 milhão de anos



Os cientistas descobriram materiais orgânicos típicos dos pântanos terrestres presos dentro de vidros que foram criados por um impacto de meteorito há quase um milhão de anos. Os pequenos bolsões, com apenas micrômetros de diâmetro, contêm materiais tais como celulose e proteínas. Embora o vidro resultante do impacto tenha sido encontrado na Terra, os cientistas dizem que amostras semelhantes poderiam existir em outros planetas e satélites, permitindo que materiais orgânicos fossem transportados de um planeta para outro.

Matéria orgânica terrestre pode ter sido lançada para fora do planeta, e ter viajado através do espaço para semear outros corpos, sugerindo um possível método de viagem para a 'panspermia'. Esta teoria sugere ainda que a vida não se originou na Terra, mas que viajou até aqui, a partir de fragmentos originados em outras partes do Universo.



Vidro de impacto

Há cerca de 800 mil anos, uma rocha de 30 a 50 metros caiu no oeste da Tasmânia, na Austrália. Um impacto como esse gera cerca de 1.700 °C, fundindo o material e criando pedaços esféricos de vidro. Esse impacto criou uma cratera de aproximadamente 1.2 quilômetros de largura, que é conhecida como Cratera de Darwin.

Vidros de impactos da Cratera e Dawrin.
Créditos: K. Howard
Clique na imagem para ampliar

Na Tasmânia, a terra estava coberta por pântanos e florestas, oferecendo água suficiente para criar o vidro. Segundo os autores, a quantidade de vidro na Cratera de Darwin é abundante se compararmos o tamanho da cratera de impacto. É possível encontrar vidro resultante desse impacto em uma área equivalente a 400 quilômetros quadrados ao redor da cratera. Na verdade, foi a quantidade de vidro encontrada naquela região que levou os cientistas a encontrarem a famosa cratera.

Várias formas de vidro são encontradas ao redor de uma cratera de impacto, e o que determina isso são as pedras que existem na região. A região da Cratera de Darwin é conhecida por conter muito quartzo, responsável por criar vidros da cor branca, assim como de outras diferentes tonalidades.


Uma surpresa orgânica

Cratera de Darwin, Tasmânia
Créditos: NASA World Wind

Kieren Howard, da Universidade de Nova York, juntamente com sua equipe, não foram originalmente à procura de produtos orgânicos. Mas quando eles examinaram o vidro, eles encontraram evidências surpreendentes de quartzo cristalino.

"Eu fui à procura de cristais no vidro, apenas para descobrir as inclusões esféricas", disse Howard.

Dentro dos minúsculos bolsões de cristais, esferas de até 200 micrômetros de diâmetro continham materiais orgânicos, incluindo celulose, lignina, biopolímero alifáticos, e proteína.

Presos dentro dos vidros, os materiais orgânicos teriam sido impedidos de se decompor por oxidação. Amostras de Howard não mostraram sinais fossilizados, indicando que aqueles orgânicos poderiam durar tanto quanto o vidro em torno deles.

Matéria orgânica fossilizada (combustíveis fósseis) já haviam sido encontradas em rochas provenientes de impactos de meteoritos e em colisões experimentais, mas nunca foram encontrados materiais orgânicos tão bem preservados.

"As nossas análises mostraram que impactos podem preservar produtos orgânicos em uma quantidade abundante", disse Howard. "E esses produtos orgânicos são mais resistentes do que poderíamos imaginar... ao menos, em ambientes terrestres".

A pesquisa foi publicada na revista Nature Geoscience.

Fonte: Space  /  Dailygalaxy
Imagens: K. Howard
18/12/13

Nenhum comentário:

Postar um comentário