Encontrado planeta orbitando uma estrela irmã gêmea do Sol




Planetas que orbitam estrelas fora do Sistema Solar são conhecidos por serem comuns. Esses exoplanetas foram encontrados orbitando estrelas de idades e composições químicas variadas, porém, até agora, poucos exoplanetas foram descobertos dentro de aglomerados estelares, o que é bastante estranho, uma vez que a maioria das estrelas nascem nos aglomerados.

Aglomerados estelares são divididos em 2 tipos principais. Os enxames abertos são grupos de estrelas que se formaram juntas, a partir de uma única nuvem de gás e poeira. Eles são encontrados principalmente nos braços espirais de uma galáxia como a Via Láctea. Por outro lado aglomerados globulares são conjuntos esféricos muito maiores, de estrelas muito mais velhas e que orbitam em torno do centro de uma galáxia. Apesar de pesquisas cuidadosas, nenhum planeta foi encontrado em aglomerados globulares, e menos de seis foram encontrados em aglomerados abertos.

Anna Brucalassi (Instituto Max Planck de Física Extraterrestre, em Garching, Alemanha), principal autora do novo estudo, e sua equipe, queriam saber mais sobre isso. " No aglomerado estelar  Messier 67, todas as estrelas têm a mesma idade e composição do Sol, o que torna um laboratório perfeito para estudar quantos planetas se formam em um ambiente tão 'apertado', e se eles se formam em torno de estrelas mais ou menos maciças".

Foto do aglomerado aberto Messier 67
Créditos: SDSS

A equipe usou o 'caçador de planetas' HARPS no telescópio de 3,6 metros do Observatório Europeu do Sul (ESO), em La Silla. Estes resultados foram complementados com observações de vários outros observatórios ao redo do mundo. 88 estrelas do aglomerado Messier 67 foram selecionadas e monitoradas ao longo de um período de seis anos, enquanto se observava os pequenos movimentos que revelam a presença de planetas em órbita.

Este aglomerado de estrelas encontra-se a cerca de 2.500 anos-luz de distância, na constelação de Cancer (o Caranguejo), e contém cerca de 500 estrelas. Muitas das estrelas desse aglomerado são muito mais fracas do que as estrelas que o HARPS normalmente estuda, fazendo com que ele trabalhasse em seu limite.

Três planetas foram descobertos; 2 deles orbitando duas estrelas semelhantes ao Sol e o terceiro, orbitando uma estrela mais massiva evoluída para gigante vermelha. Os dois primeiros planetas, ambos têm cerca de um terço da massa de Júpiter e orbitam suas estrelas hospedeiras em sete e cinco dias, respectivamente. O terceiro planeta leva 122 dias para orbitar sua estrela, e tem a mesma massa de Júpiter.

O primeiro destes planetas orbita uma estrelá notável, que tem a maior semelhança com o Sol já identificada, sendo quase idêntica, portanto, é considerada uma irmã gêmea.

É a primeira gêmea do Sol, e foi encontrada em um aglomerado, e ainda possui um planeta orbitando ao seu redor. São grandes descobertas! Gêmeos solares, análogos ou tipo solar são categorias de estrelas de acordo com suas semelhanças com o Sol. Gêmeos solares são as estrelas mais semelhantes ao Sol, pois elas têm massas, temperaturas e abundâncias químicas muito semelhantes. Gêmeos solares são muito raros, já as outras classes, onde a semelhança não é tão precisa, são muito mais comuns.

Dois dos três planetas são comparáveis a Júpiter em tamanho, mas orbitam muito mais próximos de suas estrela, portanto, são muito mais quentes. Todos os três estão localizados mais próximos do que se considera como Zona Habitável, onde poderia existir água líquida.

"Estes novos resultados mostram que planetas em aglomerados estelares abertos são tão comuns como em torno de estrelas isoladas, porém, são mais difíceis de serem detectados", acrescenta Luca Pasquini (ESO, em Garching, Alemanha), co-autor do estudo. "Os novos resultados estão em contraste com trabalhos anteriores que não conseguiram encontrar planetas em aglomerados, mas está de acordo com algumas outras observações mais recentes. Continuaremos a observar este aglomerado para verificar como as estrelas com ou sem planetas diferem entre si no quesito massa e composição química".

Fonte: ESO / Dailygalaxy
15/01/14

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário