Filamento gigante entra em erupção e Sol libera uma potente EMC





Um filamento gigante do magnetismo solar, cujo qual astrônomos amadores têm monitorado há mais de uma semana, entrou em erupção ontem. A sonda Solar Dynamics Observatory, da NASA, registrou essa explosão. Veja:



Os astrônomos que observavam a atividade solar recente, estavam se preparando para a possibilidade de que o filamento entraria em colapso, causando um surto de 'explosão Hyder' (explosão solar que não está liga a manchas solares mas sim a filamentos).

A região entrou em erupção e lançou parte do filamento para o espaço. O Observatório Solar e Heliosférico registrou ainda uma Ejeção de Massa Coronal ( EMC ) emergindo do local da explosão (visível no vídeo acima).

O EMC foi lançada a uma velocidadede 520 km/s. Embora pareça uma velocdade muita alta, é na verdade mais lenta do que a maioria das EMCs. Isso faz sentido, porque a própria explosão foi muito lenta. Este filme time-lapse, por exemplo, tem quase 24 horas de duração.

Imagens do Coronógrafo mostram que a explosão não foi dirigida diretamente para a Terra. A maior parte da EMC irá passar ao sul da linha Sol-Terra. No entanto, poderemos sofrer um "golpe de raspão" por volta do dia 07 de junho, possivelmente provocando fortes tempestades geomagnéticas nesse fim de semana.

Fonte: Spaceweather
Vídeo: Space / SDO / Helioviewer
06/06/14

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Matéria muito interessante... Realmente, isso mostra o quão vulnerável estamos perante essas ejeções de EMC!
    Acho muito estranho que nenhum cientista ainda não relacionou essa hipótese com coisas como por exemplo a extinção dos dinossauros (era mesozóica: período Triássico, período Jurássico e período Cretáceo; e que após esse fato, veio a era cenozóica: período Terciário e a atual, o período Quaternário).

    ResponderExcluir
  2. Curioso, né? Um vulcão no próprio Sol, que expele sua massa, ou energia, também luminosa, que viaja a velocidade fantástica no vácuo sideral até que se condensará formando um novo meteórico, cometa, ou mesmo planeta. Mas esse privilégio de gerar astros não é apenas do Sol, pois a Lua pode ter sido originada a partir de erupções da Terra, quando de sua formação, ao se tornar esférica, ou extremamente comprimida.

    ResponderExcluir
  3. Curioso, né? Um vulcão no próprio Sol, que expele sua massa, ou energia, também luminosa, que viaja a velocidade fantástica no vácuo sideral até que se condensará formando um novo meteórico, cometa, ou mesmo planeta. Mas esse privilégio de gerar astros não é apenas do Sol, pois a Lua pode ter sido originada a partir de erupções da Terra, quando de sua formação, ao se tornar esférica, ou extremamente comprimida.

    ResponderExcluir
  4. Curioso, né? Um vulcão no próprio Sol, que expele sua massa, ou energia, também luminosa, que viaja a velocidade fantástica no vácuo sideral até que se condensará formando um novo meteórico, cometa, ou mesmo planeta. Mas esse privilégio de gerar astros não é apenas do Sol, pois a Lua pode ter sido originada a partir de erupções da Terra, quando de sua formação, ao se tornar esférica, ou extremamente comprimida.

    ResponderExcluir