Misteriosa emissão de rádio foi detectada pelos cientistas

E ao que tudo indica, ela tem origem além da Via Láctea


Utilizando o radiotelescópio de Arecibo, em Porto Rico, cientistas descobriram uma intrigante emissão de ondas de rádio que durou uma fração de segundo, o que representa uma nova evidência importante de misteriosos pulsos que parecem vir do espaço profundo exterior. O que está causando essas misteriosas emissões de rádio representa um grande enigma para os astrofísicos.

As possibilidades do que pode estar acontecendo incluem uma gama de objetos astrofísicos exóticos, como buracos negros, fusões das estrelas de neutrons, ou erupções de magnetares (um tipo de estrela de nêutrons com poderosas explosões magnéticas.




A descoberta foi feita por uma equipe internacional de astrônomos, e foi chamada de "rápida explosão de rádio". Os cientistas já eliminaram a possibilidade de que essas rajadas de rádio seriam de fontes terrestres, e os pesquisadores indicam que os sinais são provenientes do espaço profundo, muito além da nossa galáxia.




O pulso incomum foi detectado no dia 02 de novembro de 2012, no Observatório de Arecibo, em Porto Rico, que possui o maior e mais sensível telescópio de rádio do mundo, com uma antena que mede 305 metros.

Inaugurado em 1963, o radiotelescópio de Arecibo, localizado em Porto Rico, é o maior radiotelescópio fixo do mundo.
Créditos: Arecibo Observatory

As rajadas rápidas de rádio duram apenas alguns milésimos de segundo e raramente têm sido detectadas, mas a equipe internacional de cientistas relata que as estimativas anteriores estavam corretas, e assim como esta, elas mostram que essas emissões de rádio ocorrem cerca de 10 mil vezes por dia ao longo de todo o céu.

"O brilho e a duração desse evento são consistentes com as rajadas previamente detectadas pelo telescópio Parkes, na Austrália", comenta Laura Spitler, principal autora do novo estudo.

Com base nas medições, as explosões parecem ter origem muito além da Via Láctea. Muitos esforços estão em andamento a fim de detectar explosões de rádio usando radiotelescópios que podem observar grandes áreas do céu.

Telescópios em construção na Austrália e na África do Sul, bem como o telescópio CHIME no Canadá têm o potencial de detectar rápidas explosões de rádio; segundo os astrônomos, essas instalações podem ajudar o homem a entender melhor esse curioso e misterioso fenômeno cósmico.

A foto no topo da página é uma imagem ótica do céu de uma área na constelação de Auriga, onde a rápida explosão de rádio FRB 121102 foi detectada. O local da explosão está representado no círculo verde, entre a antiga remanescente de supernova S147 (à esquerda) e a região de formação de estrelas IC 410 (à direita).

O estudo foi publicado na revista The Astrophysical Journal.

Fonte: Dailygalaxy / The Astrophysical Journal
Imagens: Rogelio Bernal Andreo / Deepskycolors / Arecibo
15/07/14

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Por não haver "ar" no espaço sideral, essas ondas podem viajar infinitos kilômetros sem distorção em sua região central, preservando a integridade da mesma e, quando nós captamos todo o sinal, podemos através das bordas das ondas, estudar todo o longo caminho de quando, onde e e como foi produzida... Ciência é show!

    ResponderExcluir
  2. Arecibo? me lembro que em 1970 eles mandaram uma mensagem ao espaço, a procura da existência de Aliens...advinhem? Sim, ela foi respondida

    façam um post sobre isso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então, pela sua teoria, os Aliens que receberam e responderam a mensagem teriam de estar a uma distância de, no máximo 22,5 anos...

      Excluir
  3. e os et avisando do asteroide em porto rico

    ResponderExcluir