Especial constelações indígenas (parte 4)

Astronomia dos indios brasileiros
Viaje pela esquecida astronomia indígena em nossa série especial!

A observação do céu sempre fez parte de culturas antigas, e claro que com os índios brasileiros isso não poderia ser diferente.


Assim como ocorre com a Astronomia ocidental, a Astronomia indígena também é muito extensa (e até mais complexa), afinal, estamos falando de várias etnias e culturas diferentes, e por isso, não teria como resumir tudo em um único artigo, por isso, nós do Galeria do Meteorito decidimos fazer uma série. Clique aqui para encontrar o índice e o link dos novos episódios.

Nesse quarto episódio vamos conhecer a Constelação da Anta, Constelação do Veado e a Constelação da Canoa. Confira!


Tapi'i (guarani) - Constelação da Anta (Anta do Norte)
Constelação da Anta
Clique na imagem para ampliar

A constelação de Tapi'i, que significa Anta em guarani. era conhecida principalmente pelas etnias de índios brasileiros que habitavam a região norte e nordeste do Brasil, uma vez que essa região do céu fica muito próxima do horizonte se vista do sul do país. Ela se encontra completamente na região da Via Láctea, ou melhor, na região de Tapi'i rapé (Caminho da Anta, como é conhecida pelos índios), e seu contorno realmente se parece muito com uma anta. Existem outras constelações que representam a Anta na Via Láctea, por isso essa é conhecida como "Anta do Norte".

A constelação da Anta é formada pelas constelações ocidentais de Cepheus, Cisne, Lacerta e Cassiopeia. Quando a Constelação da Anta é vista por completo ao leste, na segunda quinzena de setembro, ela indica a transição entre o frio e o calor para os índios do Sul, e entre a seca e a chuva para os índios do norte do Brasil.



Guaxu (guarani) - Constelação do Veado
Constelação do Veado
Clique na imagem para ampliar

A constelação do Veado (Guaxu em guarani) era conhecida principalmente pelos índios do sul do Brasil, tendo em vista que para os índios do norte e nordeste ela fica muito próxima do horizonte.




A constelação do Veado ocupa a região do céu onde encontramos as constelações Vela, Carina, Musca e Cruzeiro do Sul. Quando o veado surge na segunda quinzena de março, indica a transição entre o calor e o frio para para os índios do sul do Brasil, e entre a chuva e a seca para os índios do norte e nordeste.



Yar Ragapaw (tenetehara) - Constelação da Canoa
Constelação da Canoa
Clique na imagem para ampliar

A constelação da Canoa (Yar Ragapaw em tenetehara, idioma dos índios da etnia Tembé) indica exatamente a posição do ponto cardeal norte. A constelação da Canoa se encontra da região das constelações ocidentais Ursa Maior e Leão Menor, e era conhecida principalmente pelos índios do norte e nordeste do Brasil, uma vez que ela se encontra muito baixa no céu quando vista a partir do sul do país. Portanto, quando ela surgia para os índios do norte e nordeste em meados de março, indicava tempo de chuvas.

Gostou? Confira nossa lista de episódios, afinal seria impossível resumir toda a astronomia indígena em apenas uma matéria... Boa leitura!

Fonte: Cuabamorandu / Germano Bruno Afonso / Observatórios Virtuais / Vitae / Melissa Oliveira (antropóloga) / Aikewara.blogspot / ISSUU / Planetário  UFSC (etnoastronomia) / pib.socioambiental.org
27/02/15

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Uauuuu! Adorei a constelação da anta. Tudo a ver... tem várias estrelinhas avermelhadas nela. Não vejo a hora de ver o quinto episódio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado fora do ar! Ficamos muito felizes com seu elogio. Isso é a melhor recompensa do nosso trabalho! Já estamos quase finalizando o quinto episódio da série, que deve entrar na sexta-feira. Um grande abraço!

      Excluir