Especial constelações indígenas (parte 5)

constelações indigenas brasileiras
Viaje pela esquecida astronomia indígena em nossa série especial!

A observação do céu sempre fez parte de culturas antigas, e claro que com os índios brasileiros isso não poderia ser diferente.



Assim como ocorre com a Astronomia ocidental, a Astronomia indígena também é muito extensa (e até mais complexa), afinal, estamos falando de várias etnias e culturas diferentes, e por isso, não teria como resumir tudo em um único artigo, por isso, nós do Galeria do Meteorito decidimos fazer uma série. Clique aqui para encontrar o índice e o link dos novos episódios.

Nesse quinto episódio vamos conhecer as constelações da Cobra e da Cobra Grande, e a curiosa Constelação da Onça. Confira!


Mboi (tupi) - Constelação da Cobra
constelação da cobra - mboi
Clique na imagem para ampliar

A constelação da Cobra (Mboi) localiza-se na região do céu que conhecemos como Scorpius, ou constelação do Escorpião, porém os índios vêem Mboi sem considerar as garras do escorpião, sendo que a estrela Antares simboliza a cabeça da cobra. De fato é muito mais fácil ver uma cobra do que um escorpião nessa região do céu.


Mboi Guassu (tupi) - Constelação da Cobra Grande
constelação da cobra grande -mboi guassu
Clique na imagem para ampliar

Segundo a mitologia indígena, a Cobra Grande (Mboi Guassu) acordou faminta e saiu em busca de alimentos, comendo os olhos dos animais e das pessoas que encontrava, e posteriormente se tornou a Mboi Tatá, que já é outra constelação. A constelação de Mboi Guassu é vista em Taipi'i rapé (Via Láctea).


Yai (tukano) - Constelação da Onça
constelação da onça - yai
Clique na imagem para ampliar

A constelação da Onça (Yai no idioma tukano) está dividida em cinco pequenas constelações, que seriam Yai siõkhã (estrela que ilumina a onça), Yai useka poari (bigode), Yai duhpoa (cabeça), Yai ohpu (corpo) e Yai pihkorõ (rabo).




Yai fica na região do céu onde encontramos as constelações de Cassiopéia, Andrômeda e Perseus. Infelizmente ainda não encontramos uma ilustração que mostrasse tal constelação, por isso, a imagem da constelação é apenas uma especulação de sua forma. Por outro lado, a região do céu está correta.

Gostou? Confira nossa lista de episódios, afinal seria impossível resumir toda a astronomia indígena em apenas uma matéria... Boa leitura!

Fonte: Cuabamorandu / Germano Bruno Afonso / Observatórios Virtuais / Vitae / Melissa Oliveira (antropóloga) / Aikewara.blogspot / ISSUU / Planetário  UFSC (etnoastronomia) / pib.socioambiental.org
06/03/15

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Parabéns. Torço para o lançamento de um futuro livro! É linda a Astronomia dos índios! Espero que expliquem, futuramente, sob o ponto de vista dos nativos, o que eram o Sol, Lua, Vênus, aparições de cometas e traços de meteoros. O que eles pensavam das supernovas?

    ResponderExcluir