Novo vídeo da NASA mostra a Grande Mancha Vermelha de Júpiter com novas características

novo mapa de Júpiter mostra que sua mancha está encolhendo, e possui uma nova característica
Além disso, a Grande Mancha Vermelha está encolhendo... 



Uma recente observação de Júpiter, feita pela NASA, revelou uma surpresa no furacão gigante mais famoso do Sistema Solar.

A Grande Mancha Vermelha, uma tempestade de alta pressão que se assemelha a um furacão gigante, tem o que a Agência Espacial Norte Americana está chamando de "filamento fino incomum" que se estende por quase toda sua largura. A NASA diz que esta "serpentina" gira e se retorce por conta de seus ventos intensos, que têm velocidade superior a 500km/h no interior do vórtice.




"Cada vez que olhamos para Júpiter, percebemos que algo realmente emocionante está acontecendo", disse Amy Simon, cientista planetária no Goddard Space Flight Center da NASA. "E dessa vez não foi uma exceção."

novo mapa de Júpiter
Novo mapa global de Júpiter é o resultado de mais de 10 horas de observações feitas pelo Telescópio Espacial
Hubble, no dia 19 de janeiro de 2015. A NASA revelou as imagens no dia 13 de outubro.
Créditos: NASA / ESA         Clique na imagem para ampliar

As novas imagens feitas pelo Telescópio Espacial Hubble mostram também que a Grande Mancha Vermelha está mudando de cor, se tornando mais laranja, e que continua a diminuir, embora a um ritmo ligeiramente mais lento do que o esperado.

O furacão gigante de Júpiter está cerca de 240 km menor do que no ano passado, ou seja, com cerca de 16.000 km de diâmetro. No seu auge, no final de 1800, a  Grande Mancha Vermelha foi estimada em cerca de 41.000 km de comprimento, ou mais do que o triplo do diâmetro de 12.742 km da Terra, segundo a NASA.




O Telescópio Espacial Hubble fez uma observação de dez horas e criou um vídeo a partir das imagens do planeta. A animação, que foi publicada recentemente, nos mostra de perto o movimento das nuvens e o novo filamento da Grande Mancha Vermelha. Além disso, uma observação feita nos comprimentos de onda azul e vermelho, revela o filamento recém descoberto, no final do vídeo.


As fotos foram feitas pela câmera Wide Field 3 do Hubble, e permite os cientistas determinar detalhes precisos, como a velocidade do vento, por exemplo.

As imagens fazem parte de um programa chamado "Outer Planet Atmospheres Legacy", que tem o intuito de capturar imagens detalhadas que possibilitem um estudo mais profundo da atmosfera dos gigantes gasosos Júpiter, Netuno, Urano e Saturno.




Smith, Wong e Glenn Orton do Laboratório de Propulsão a Jato, da NASA, são co-autores desse estudo, publicado na revista The Astrophysical Journal. "O valor de longo prazo desse programa é realmente emocionante", disse Michael H. Wong, da Universidade da Califórnia. "A coleção de mapas que vamos construir ao longo do tempo não só ajudará os cientistas a compreender as atmosferas de nossos planetas gigantes, mas também as atmosferas de planetas que estão sendo descobertos em torno de outras estrelas, além de ajudar na compreensão da atmosfera do nosso próprio planeta."



Fonte: NASA / ESA/ Hubble
Imagens: (capa-NASA / ESA) / Hubble / NASA / ESA
16/10/15

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

9 comentários:

  1. Ontem a noite porvolta das 2h e pouca da madrugado dia 16/10/2015 um objeto no ceu aqui no RJ pareceu q ficou de dia por 2 segundos foi muito rapido so vi um flash no ceu e os amigoa dizendo q viu um estrela cadente so q foi muito proximo da terra se nao me engano entro em nossa atmosfera foi demais o claro e nao achei informacoes sobre isso aindana midia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim minha filha me mostrou um vídeo que ela viu net sobre esse acontecimento
      foi realmente impressionante

      Excluir
    2. Todos os meteoritos entram na atmosfera, caso contrário não se chamaria meteorito. O que você viu só foi um meteorito entre bilhões que já entraram na nossa atmosfera.

      Excluir
  2. Concordo com vc Batata os meteóritos pequenos estão caindo diáriamente sobre a Terra. Eu vi um documentário á respeito e ensinam como vc pode avaliar a caída deles na Terra.
    Coloca um imâ forte no cano de descida das águas da chuva de um telhado grande. Como a maior parte dos meteóritos contém ferro e níquel, eles vão aderir ao imã.

    ResponderExcluir
  3. Concordo com vc Batata os meteóritos pequenos estão caindo diáriamente sobre a Terra. Eu vi um documentário á respeito e ensinam como vc pode avaliar a caída deles na Terra.
    Coloca um imâ forte no cano de descida das águas da chuva de um telhado grande. Como a maior parte dos meteóritos contém ferro e níquel, eles vão aderir ao imã.

    ResponderExcluir
  4. A respeito da matéria sobre a mancha de Júpiter, eu pergunto: a tal tempestade é somente de ventos? Ou é chuva mesmo? Porque já começo imaginar que se for apenas de ventos e alta pressão, será que lá não há uma civilização super avançada, e que esta mancha não seria um sistema de geração de energia natural? Jupiter é composto de que? Rochas, terra, sedimentos como aqui, ou apenas gases? Júpiter parece todo desenhado, aqueles cinturões são lindos, será que são poeira? E se são, porque nunca mudam de forma há milhares de anos? Sou ainda muito ignorante na astronomia apesar de ser apaixonada por isto.

    ResponderExcluir
  5. Sempre interessei estudar sobre os planetas msm sendo astronomia mas sou péssimo de ser, bom mas pra qu tem crânio perfeito puxa isso seria baita astronomia tipo mulher ou homem sendo inteligente bem esforçado mas sempre vejo na matéria mas acredito o mundo não acabara agora isso leva milhões de anos agora que está ocorrendo entre os fatos e uma fase em todos os planetas pois eles tão tendo novas gerações isso e bem profundo

    ResponderExcluir