Antes do fim, sonda Cassini avista algo estranho nos anéis de Saturno

estranhas ondas nos anéis de Saturno
Algo bizarro está acontecendo em um dos anéis de Saturno, mas os cientistas têm uma explicação...


Alguns dias antes de seu Grand Finale, a espaçonave Cassini, da NASA, capturou uma foto espetacular de uma estrutura de ondas em um dos anéis de Saturno.

Os anéis de Saturno são formados por bilhões de partículas de gelo de água e pequenos detritos, variando em tamanho desde grãos de areia até rochas monstruosos. Os anéis de Saturno também apresentam ondas que se propagam para fora em padrões espirais.



A nova imagem da Cassini (abaixo) registrou uma "onda de densidade espiral" visível no anel B de Saturno. A estrutura da onda é formada pelo acúmulo de materiais que se formaram a partir da atração gravitacional das luas de Saturno, disseram autoridades da NASA.

Ondas nos anéis de Saturno
Ondulações registradas nos anéis de Saturno pela sonda Cassini.
Créditos: NASA / JPL-Caltech / Space Science Institute

A onda de densidade, visível no anel B de Saturno, se origina a 96.233 quilômetros do planeta, onde as partículas do anel orbitam Saturno duas vezes pra cada uma vez que a lua Jano orbita, criando uma ressonância orbital.




Na nova imagem - apropriadamente chamada de onda de densidade espiral 2:1 de Jano - a estrutura da onda parece ricochetear para fora, se afastando de Saturno em direção ao canto superior esquerdo da foto, criando centenas de cristas de ondas brilhantes.

O registro foi feito pela sonda em 4 de junho de 2017, usando a câmera de ângulo estreito de Cassini, mas a revelação só ocorreu recentemente. A observação dessa bizarra anomalia nos anéis de Saturno só foi possível por conta dos sobrevoos rasantes que a sonda começou a fazer antes de mergulhar nas nuvens de Saturno. A sonda passou 22 vezes no espaço que fica entre Saturno e seus anéis.




A onda de densidade é gerada pela atração gravitacional da lua Jano de Saturno. No entanto, Jano e uma das outras luas de Saturno, Epimeteu, compartilham praticamente a mesma órbita e trocam de lugar a cada quatro anos, criando uma nova saliência na onda.

Como resultado, a distância entre qualquer par de cristas corresponde a quatro anos de oscilações da onda. Esse padrão representa a história orbital de Jano e Epimeteu, assim como os anéis de uma árvore revelam informações sobre seu crescimento.




Com base nessa ideia, as ondas nos anéis de Saturno, registradas por Cassini, correspondem às posições de Jano e Epimeteu durante a aproximação das sondas Voyager 1 e 2 com Saturno, em 1980 e 1981. Mais uma descoberta fantástica feita pela sonda Cassini antes de iniciar o seu mergulho mortal em Saturno, ocorrido com sucesso em 15 de setembro de 2017, o que marcou o fim da missão.


Imagens: (capa-NASA/divulgação) / NASA / JPL-Caltech / Space Science Institute
15/09/17


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTubeTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. Tenho algo muito sério a relatar sobre o dia 23......é vespera de 24....segue mundo,com suas mudanças climáticas devido a nossa mudança no espaço...segue vida humanoides e esperem contato com ets,que alias são da Terra...esqueçam estas tragédias plantadas para que vcs baixem o seu núcleo e fiquem mais suscetiveis a outros tipos de energia...erga a cabeça e acredite na vida,pois como somos fagulhas do universo,nós não morremos ,vamos passar para outra dimensão,mudança do mundo fisíco para o plano energético plasmatico...

    ResponderExcluir