Tempestades de poeira foram descobertas em Titã, lua de Saturno

tempestades de poeira em titã, lua de Saturno
Se Titã já se parecia bastante com a Terra, agora as semelhanças ficaram ainda maiores!


Titã, o maior satélite natural de Saturno é, de muitas maneiras, extremamente semelhante à Terra. Lá existem lagos, mares, praias, ondas, atmosfera espessa, chuvas, estações climáticas, rios e muito mais. Tudo isso faz com que a gente olhe pra Titã de uma forma bastante familiar, como se estivéssemos vendo o nosso próprio planeta.



Agora, de acordo com um artigo publicado na revista Nature Geoscience, Titã acaba de ganhar mais um item em sua lista: tempestades de poeira!

tempestade de poeira em Titã
Ilustração tempestade de poeira em Titã.
Créditos: NASA / ESA / IPGP / Labex UnivEarthS / University Paris Diderot

A equipe de pesquisa, liderada pelo astrônomo francês Sebastien Rodriguez, da Université Paris Diderot, encontrou as tempestades de areia em imagens no infravermelho capturadas pela sonda Cassini da NASA. O mais intrigante é que essas imagens foram feitas a praticamente uma década atrás!




No início, as tempestades de areia se pareciam com nuvens, mas após um olhar mais atento, foi possível revelar sua verdadeira natureza. "Era poeira levantada de grandes campos e dunas ao redor da região equatorial de Titã", disse Sebastien.

imagens no infravermelho mostram tempestade em Titã


Mas a poeira de Titã é uma coisa muito estranha. De acordo com a equipe de pesquisa, ela não é feita de areia fina, como a poeira que temos aqui na Terra. Ao invés disso, a poeira de Titã é orgânica, formada quando as moléculas orgânicas na atmosfera rica em metano crescem o suficiente para cair no chão. Os ventos fortes levam essas partículas orgânicas e sopram de forma intensa, formando nuvens ao redor do equador.




Algumas das tempestades de poeira que a Cassini observou eram tão grandes que só podiam ser levantadas por ventos muito fortes. Isso sugere que a areia do solo também pode ser levantada e colocada em movimento, e que as dunas gigantes que cobrem as regiões equatoriais de Titã são móveis, e estão em constante mudança. Isso também ocorre em nosso planeta, inclusive no Brasil (região nordeste).




Além de ganhar um novo fenômeno parecido com o da Terra, Titã também pode ter algo que o nosso planeta possui em abundância: a capacidade de abrigar vida. Se tudo correr conforme o planejado, missões de exploração poderão investigar se esse mundo intrigante possui alguma forma de vida. Será que é lá que vamos encontrar??!


Imagens: (capa-ilustração/divulgação) / NASA / ESA / IPGP / Labex UnivEarthS / University Paris Diderot
25/09/18


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTube, InstagramTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 comentários:

  1. Excelente materia, se Tita mao fosse uma lua de saturno, certamente seria classificada como um planeta irmao da terra. Certamente esse mundo fascinante deve abrigar alguma forma de vida, antes eu tinha dúvidas
    Mas diante de tantos fatos, creio que os homens encontrarão isso num futuro nao muito distante.

    ResponderExcluir
  2. Mudando um pouco de assunto,alguém aqui, que é ligado em astronomia já observou Vénus à olho nu durante o dia?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lá pelas 17h45 já da pra ver ele, 18h com certeza vai conseguir ver, vai ser o único ponto brilhante no céu, à Oeste.

      Excluir
    2. Dá sim amigo! A primeira vez que vi, eram 13:30... Ele é beeeeem difícil de achar, aparecendo como um minúsculo pontinho branco. Tem que esperar uma das fases em que ele estará o mais iluminado possível, mas da sim!

      Excluir
  3. É... Astrofocus, eu ti garanto que da pra ver dar pra ver "ele" a qualquer hora do dia mano.
    E foi por acaso que conseguir ver ele em pleno sol a pino!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, eu sempre consegui ver nessas horas que citei, antes disso nunca encontrei ele, até pode ser que dê pra ver, mas ficar forçando a vista com o Sol na cara só pra ver ele não é muito legal não rsrsrs prefiro olhar perto da noite.

      Excluir
    2. Interessante. Vou dar uma ligeira observada no céu no período da tarde para ver se consigo observa-lo.

      Excluir
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    4. Ae Milton, só tens que cuidar quando vais olhar, porque dependendo do horário ele já não vai mais estar visível por conta da atual localização dele na órbita com o Sol, ele acaba se pondo quase que junto com o Sol. se não me engano esse mês é o último mês que dá pra ver Vênus, Júpiter e Saturno no céu noturno. Acho que só vai dar pra ver Marte depois disso.
      Não sei se vcs usam, mas eu recomendo usarem o Star Chart, é um App pra celular que mapeia em tempo real todo o céu usando o gps, é mais fácil de encontrar os planetas assim. Ou usar o Stellarium, mas esse creio que seja só pra PC.
      Essa semana mesmo eu fui tentar olhar Venus lá pelas 20h e já não consegui encontra-lo, aqui onde eu moro tem muitos morros, então as coisas somem com mais facilidade aqui hehehe, mas se tiver uma vista mais favorável pro horizonte, aí é mais fácil.

      Excluir
  4. Não foi preciso olhar para o sol e nem forçar a vista mano,como eu disse foi por acaso.

    ResponderExcluir