Duas tempestades geomagnéticas atingem a Terra em menos de 24 horas







Uma tempestade geomagnética relativamente fraca se desenvolveu durante as primeiras horas do dia 19 de fevereiro, quando uma Ejeção de Massa Coronal atingiu o campo magnética do nosso planeta. Esse primeiro impacto criou belas auroras que puderam ser observadas em altas latitudes, e até mesmo, na fronteira do Canada com os EUA as luzes tomaram conta dos céus.

Aurora boreais são observadas na Dakota do Norte.
Créditos: Jonathan Schiralli

Hoje, dia 20 de fevereiro, outra Ejeção de Massa Coronal atingiu o nosso campo magnético. O impacto que ocorreu por volta das 03h00 UTC re-energizou uma tempestade geomagnética de classe G1, que está agora em andamento. Observadores do céu em altas latitudes devem ficar atentos, pois mais auroras polares estão a caminho.

Jonathan Schiralli registrou essa bela imagem (ao lado) em Grand Rapids, Dakota do Norte. A exposição foi de 5 segundos usando uma câmera digital Canon Rebel T3 e com ISO 1600.

Os meteorologistas da NOAA estimam uma chance de 30% a 50% para tempestades geomagnéticas severas em altas latitudes nos dias 20 e 21 de fevereiro.

No momento, o clima espacial ao redor da Terra é intenso, e pode ficar ainda mais forte nos próximos dias. O campo magnético do nosso planeta está reverberando por conta do segundo impacto de EMC. De acordo com os meteorologistas da NOAA, outra EMC poderia chegar ainda hoje (20 de fevereiro) seguida por outra no dia 22 de fevereiro. A maior parte dessas EMCs são relativamente fracas, porém, seu efeito combinado é significativo.

Para acompanhar as últimas horas de atividade solar, clique aqui.

Fonte: Spaceweather
20/02/14

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Além das auroras boreais o que mais acontece durante e após essas ocorrências ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dependo da intensidade dessas tempestades, podem ocorrer desde danos a satélites geoestacionários até a grandes prejuízos em redes elétricas. A intensidade dos raios UV também fica alta. Tudo isso sem contar com os riscos para os astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional. Vale enfatizar que pra isso, as tempestades devem atingir níveis altíssimos, o que não é o caso no momento Fátima.

      Espero ter ajudado. Um grande abraço!

      Excluir
  2. Deve ser bem NEFASTO pela encheção de linguiça sem explicação "entendível" aos leigos no assunto...!

    ResponderExcluir
  3. NA INTERNET TEM MUITA INFORMAÇÃO A RESPEITO INTERFERE ATÉ EM NOSSO CORPORTAMENTO, E FISICAMENTE, DEPENDENDO A INTENSIDADE, PODEM OCORRER INTERFERENCIAS EM SATELITES, RADIOS, REDES DE TRANSMISSOES ETC,ETC, NOSSO ORGANISMO TB TEM UM CAMPO BIIOELETRICO.
    TANIA

    ResponderExcluir