Luz de uma intensa explosão de raios gama chega na Terra após mais de 12 bilhões de anos

A luz intensa de uma enorme explosão de uma estrela a mais de 12 bilhões de anos atrás (pouco depois do Big Bang) chegou na Terra, e foi vista nos céus




Conhecida como uma explosão de raios gama, a luz dessa rara explosão de alta energia viajou 12.100 bilhões de anos antes de ser detectada e observada por um telescópio, o Rotse -IIIb, de propriedade da Southern Methodist University (SMU). Físicos da universidade relatam que seu telescópio foi o primeiro instrumento terrestre que observou a explosão e que capturou imagens, disse Farley Ferrante, um estudante de pós-graduação do Departamento de Física da SMU, que acompanhou as observações juntamente com dois astrônomos na Turquia e no Havaí.

A explosão de raios gama foi flagrada às 23h00 do dia 19 de abril de 2014 pelo telescópio robótico da SMU no Observatório McDonald nas Montanhas Davis, no Texas.




"As explosões de raios gama são as explosões mais poderosas do Universo desde o Big Bang", disse Farley. "Essas explosões liberam mais energia em 10 segundos do que o Sol libera durante toda sua vida útil, que é estimada em cerca de 10 bilhões de anos.

Algumas dessas explosões de raios gama parecem estar relacionados a supernovas, e correspondem ao fim da vida de uma estrela massiva, disse Robert Kehoe, professor de física e líder da equipe de astronomia da SMU.

Os cientistas não podiam detectar a luz ótica de explosões de raios gama até a década de 1990, quando a tecnologia dos telescópios melhorou. Entre todas as luzes do espectro eletromagnético, os raios gama têm comprimentos de onda mais curtos e são visíveis apenas usando detectores especiais.




Explosões de raios gama resultam de estrelas quentes com pelo menos 50 massas solares. A explosão ocorre quando as estrelas ficam sem combustível e colapsam sobre si mesmas, formando buracos negros.

Explosão de raios gama 1404191 foi flagrada às 23h00 do dia 19 de abril
pelo telescópio robótico Rotse-IIIb da SMU no McDonald Observatory,
Fort Davis, Texas. Créditos: SMU

Dados observacionais de explosões de raios gama permitem aos cientistas compreender a estrutura do Universo primitivo. Para colocar em contexto, o Big Bang ocorreu há 13,8 bilhões de anos, e a nova explosão de raios gama detectada ( GRB 140419A ) tem um desvio para o vermelho de 3,96, disse Farley, que completa: "Isso significa que GRB 140419A explodiu a cerca de 12,1 bilhões de anos atrás, ou seja, ocorreu a cerca de 1,5 bilhão de anos após o Big Bang".

Com as imagens dessa explosão de raios gama, os astrônomos podem analisar os dados observacionais para tirar novas conclusões sobre a estrutura do Universo primordial.

"No momento desta explosão, o Universo parecia muito diferente do que é agora", disse Kehoe. "Foi uma fase inicial da formação de galáxias. Não haviam elementos pesados ​​para fazer planetas semelhantes à Terra, portanto, este é um vislumbre do início do Universo".

O brilho de GRB 140419A, medido pela sua capacidade de ser visto por alguém na Terra, foi de 12ª magnitude, indicando que era apenas 10 vezes mais escuro do que o que é visível através de binóculos, e apenas 200 vezes mais escuro do que o olho humano pode enxergar, disse Kehoe.

Quando o satélite Swift detecta uma explosão de raios gama, ele retransmite imediatamente o local onde ela foi observada. Telescópios ao redor do mundo, como o Rotse -IIIb, entram em ação para observar essa explosão e se possível, capturar imagens, disse Govinda Dhungana, estudante de pós-graduação da SMU que participou da pesquisa da explosão de raios gama.

O telescópio Rotse -IIIb observa emissões óticas de várias explosões de raios gama a cada ano, e observou GRB 140419A apenas 55 segundos após a explosão ser detectada pelo satélite Swift.

Poucos dias depois, Rotse -IIIb observou uma segunda rara explosão de raios gama, GRB 140423A , às 03:30 do dia 23 de abril. O desvio para o vermelho dessa explosão foi correspondente a 11,8 bilhões de anos atrás. Rotse - IIIb observou a 51 segundo após a detecção de Swift.

Farley Ferrante, o primeiro a verificar as observações de GRB 140423A, é o primeiro -autor do estudo dessa recente explosão de raios gama. Tolga Guver, professor associado do Departamento de Astronomia e Ciências Espaciais da Universidade de Istambul, na Turquia, é o segundo autor. Em GRB 140419A, Tolga Guver é o primeiro autor e Farley Ferrante é segundo.

Fonte: Southern Methodist University
Imagens: NASA / Swift / Cruz Dewilde / SMU
05/06/14

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

18 comentários:

  1. E, existe alguma consequência ao planeta Terra?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, ela está muito longe pra causar danos.

      Excluir
  2. E SE CASO ESSES RAIOS CHEGAR PERTO DO NOSSO PLANETA.. CREIO QUE NÃO VAI SER MUITO BOM..


    O QUE PODE ACONTECER..? VAMOS NOS DESINTEGRAR../?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, ou vamos todos morrer desintegrados por essa explosão ocorrida a quase 13 bilhões de anos que nem sequer está na rota frontal e certeira com o nosso humilde planeta, ou vamos todos virar algo parecido com o Hulk, ou os X-men, todos terão superpoderes pq o gene X adormecido no ser humano vai ser acionado. Ou a teoria mais provável é que os seres humanos, mais especificamente num país chamado Brasil ficarão mais burros e votarão no PT (da tal da Dilma e do Lula) nas próximas eleições pois eles serão atingidos por essa explosão de raios gama e sua memória ficará curta e não lembrarão que foram ludibriados por 12 anos seguidos... uehuehuehuehuheuheuuhuehuhuehuehuehuehuehuehuehuehuehuehuehuehuehuee ;)

      Excluir
    2. Falou Giu...que comentário bem colocado...adorei !!

      Excluir
    3. - efêmeros como a faísca de um cigarro no universo, já estamos extintos e nem sabemos...

      Excluir
    4. Giu Knoxville, não se preocupe, pois os efeitos que você descreve já estão presentes em pessoas como você que se dão ao trabalho de misturar politicagem rasa e sem critério com notícia científica... Quanto a quem vai ser eleito nas próximas eleições, bem pode ter certeza que não será um Aécio da vida, os brasileiros irão continuar a defender o progresso do país mantendo a linha que conseguiu tirar tantos da miséria e trazer crescimento real à maioria dos brasileiros... Fique tranquilo que esse caminho não será barrado por besteiras.

      Excluir
    5. - Incrível como o povo se ilude com isso , kkk Uma besta fera disfarçada de pobre coitadinho como o Lula , ele pode ate ter sido humilde no passado , mas lembre - se que o tempo passa e as pessoas muda . no caso de lula , o poder e o dinheiro falou mais alto, então , aqui não defendo nem psdb e nem pt , pois como dizia o finado e debochado Enéas Carneiro, tudo isso é uma farsa , O lula é uma farsa , ele usa o Povo com Progressos ( Onde não existe incentivo ao trabalho e a educação) , Onde ah maioria é analfabeta funcional e mau sabe o que se passa no pais , Isso não é progresso , quando o progresso ta na educação , investir pesado na educação , quanto mais inteligente o povo for , menos serão eleitos esses governantes e partidos medíocres !!!

      Excluir
  3. parece que deu certo essa explosão de raios gama. .. a Dilma se reelegeu! huashyashuas. .. :P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkkk e se tiver outra explosão , lula se reelege em 2018 , kkkkk

      Excluir
  4. Se a emissão desses raios gama ocorreram logo após o big bang, quando toda a matéria do universo estava próxima, que caminho esses raios gamas tomaram para demorar tanto tempo para chegar até nós?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade mesmo Edson, o problema não foi o caminho.
      Esses raios ficarão acampados nos assentamentos do MST, na beira da estrada e invadindo terras produtivas, todos disfarçados de sem terras, ate agora esperando a ordem da Presidenta, agora vão trabalhar na eleição para o PT.

      Excluir
    2. A imbecilidade desse tipo de comentário apenas serve para mostrar a verdadeira razão para nosso país não deixar de ser um país violento e cruel, e não ter conseguido aproveitar tudo de bom que foi feito nesses últimos 12 anos... Mostra que infelizmente nossa sociedade, ou ao menos uma boa parcela dela, continua sendo fascista e ignorante...

      Excluir
  5. Edson kkk não é que caminho tomaram, mas a distância ao qual se encontra da terra. A luz viaja por todo o universo, usamos o método de cálculo de distâncias no universo através do tempo que a luz percorre uma certa distância no ano. Quando detectado a luz, dependendo da distância, quer dizer que o evento aconteceu no passado. E o artigo não diz que toda a matéria do universo estava próxima, mas que estavam em construção.

    ResponderExcluir
  6. Como podemos ver algo que aconteceu a bilhões de anos luz sendo que quando aconteceu, nos ainda nem existíamos ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo tempo espaço que ela percorreu até chegar nós !!! Simples

      Excluir
  7. No início da matéria um erro de tradução: 12.100 bilhões de anos (em inglês), em vez, de como a diante, 12,1 bilhões.
    Imagens do que aconteceu num passado remoto. Essencial pra estudar a história do universo.

    ResponderExcluir