NASA faz revelação bombástica sobre Ganimedes, lua de Júpiter

Ganimedes acaba de entrar em uma lista privilegiada


Utilizando o Telescópio Espacial Hubble, cientistas da NASA anunciaram uma descoberta incrível: a lua Ganimedes, de Júpiter, possui um oceano abaixo de sua superfície de gelo. Esse mar subterrâneo de água salgada em Ganimedes teria mais água do que toda a superfície da Terra. Segundo a NASA, essa descoberta eleva drasticamente as chances da vida existir em Ganimedes.

Essa descoberta resolve o mistério de longa data, desde que a nave Galileo forneceu pistas sobre a possível existência de um oceano subterrâneo em Ganimedes, entre 1995 e 2003.




Ganimedes é o maior satélite natural do Sistema Solar, e o único que possui um campo magnético próprio, por conta de seu núcleo de ferro fundido. Por outro lado, o campo magnético de Ganimedes está atrelado ao campo magnético de Júpiter. Auroras polares podem ser vistas em Ganimedes, porém, a oscilação do campo magnético de Júpiter faz com que as auroras em Ganimedes mudem de lugar e de direção, fazendo um espetáculo à parte.

ganimedes tem oceano
Impressão artística mostra Júpiter e sua lua Ganimedes, com suas auroras polares. Créditos: NASA / ESA
Clique na imagem para ampliar

Ao observar o movimento das auroras polares em Ganimedes, os cientistas chegaram à conclusão de que um oceano de água salgada existe abaixo da superfície de gelo da lua. Esse oceano é responsável por conduzir eletricidade, e por isso, a movimentação das auroras são significativamente reduzidas. Se não houvesse um oceano em Ganimedes, essa fricção magnética influenciada por Júpiter faria com que as auroras polares em Ganimedes se movessem cerca de 6 graus, porém, por conta da condutividade elétrica do oceano de Ganimedes, essa alteração é de apenas 2 graus.

interior de ganimedes
Ilustração mostra o interior de Ganimedes de acordo com modelos teóricos.
Créditos: NASA / ESA   Adaptação e Tradução: Galeria do Meteorito
Clique na imagem para ampliar

Os cientistas testaram mais de 100 modelos feitos em computador, a fim de identificar qualquer outro elemento que seria responsável pelas mudanças das auroras em Ganimedes. Além disso, 7 horas de observações ultravioletas feitas pelo Hubble foram analisadas. Apesar disso, não foi encontrada nenhum evidência de qualquer fenômeno que poderia substituir os impactos causados pelo oceano subterrâneo.




De acordo com cálculos e pesquisas, os cientistas estimam que o oceano em Ganimedes tem cerca de 100 km de profundidade,  sendo dez vezes mais profundo do que os oceanos da Terra.

Recentemente, os cientistas divulgaram que a lua de Saturno Enceladus, possui correntes de água quente abaixo de sua superfície congelada.




Junto com Europa e Calisto (também luas de Júpiter) , Ganimedes agora faz parte de uma lista de luas do Sistema Solar que possuem uma camada de água abaixo de sua superfície, e que portanto, têm chances reais de hospedar a vida como conhecemos.




Fonte: NASA
Imagens: (capa-ilustração / NASA / ESA)
13/03/15

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

38 comentários:

  1. Ganímedes!!! Aí vamos nós em breve!! Levaremos nossas naves, bandeiras, asas mecânicas para voar, jardins, hidroponia, laboratórios científicos em prédios enormes, hospedarias, carros, motos, hora do hush, TVs,
    congestionamentos, nervosismos, baixas do dólar ganimediano, engarrafamentos, falta de estacionamentos, IPTU, .... ah não.... eu... eu vou ficar na Terra mesmo, sabe... eh eh eh.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc fala como se fosse existir uma terra quando chegarmos a este ponto kkk

      Excluir
    2. A terra vai existir, nos talvez não

      Excluir
  2. Cara, que site interessante, parabéns!

    Só um pequeno pedido, poderiam deixar links para as fontes que vocês utilizam para formar as matérias?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá meu xará! :D

      Primeiramente, muito obrigado pelo elogio! Ficamos muito contentes por isso :)

      Sobre as fontes, por motivo de segurança, apesar de trabalharmos apenas com fontes confiáveis, evitamos incluir links para outros sites, a não ser que seja de extrema importância ou quando não há outra saída.

      De qualquer forma, sempre citamos os nomes das fontes para que todos os leitores possam fazer a pesquisa no site mencionado. Fazemos isso por motivos de segurança, e assim, garantir que nossos internautas não sejam redirecionados (talvez por engano) para algum site que esteja comprometido.

      Um grande abraço, e muito obrigado pela participação!

      Excluir
    2. Tem algo muito errado em sua pagina, está sitando que Ganímedes e uma lua, sendo que Lua e nome próprio e só existe uma, a que orbita a terra. Queria lhe informar que Ganímedes e um satélite natural de Júpiter como muitos outros que você sitou aqui "Ganimedes agora faz parte de uma lista de luas do Sistema Solar [...]"

      Sua pagina e muito boa e espero que você corrija esse grave erro. Obrigado e boa noite.

      Excluir
    3. Olá Guicpb. Na verdade Lua (com L maiúsculo) é a nossa Lua, satélite natural da Terra, e lua (com l minúsculo) é qualquer satélite de outro planeta, inclusive satélites de planetas fora do nosso Sistema Solar. Pode confundir um pouco, mas é isso mesmo. Um grande abraço ,obrigado pela participação e pelo elogio!

      Excluir
    4. Que pena, perdeu uma ótima matéria

      Excluir
    5. Com 5 segundos de pesquisa no Google (na verdade, as únicas palavras que escrevi no buscador foram ''hubble'', ''ganymede'' e ''ocean''), fui direcionado para vários sites que tratavam do assunto, inclusive o site oficial da Nasa, dizendo exatamente o que está escrito nesta matéria. Aliás, meus parabéns a este site. Acompanho-o há pouco tempo e posso afirmar com toda certeza que é, de longe, o melhor site de astronomia que já vi na internet. Voltando ao assunto, se você não souber ler inglês, pode escrever em português mesmo, que o google irá te direcionar para diversos outros sites falando exatamente a mesma coisa. Ou seja, é muito importante que, se uma matéria ou notícia lhe soar estranha ou absurda, uma breve pesquisa será capaz de preencher todas as lacunas e dúvidas que sobraram. E parabéns também à redação do site, sempre muito polida ao responder certos comentários desaforados e desinformados, rsrsrs!

      Excluir
    6. Muito obrigado Chris Santos, pelo reconhecimento e pela compreensão. Realmente, é como você disse: basta uma simples pesquisa no Google para saber se o assunto é real ou não.

      Nos sentimos honrados por pensar isso do site Galeria do Meteorito. Um grande abraço, e muito obrigado!

      Excluir
  3. Totalmente desnecessário as pessoas que ficam criticando os erros. Até pq eles não atrapalham em nada na compreensão do texto. O site é ótimo! Todas as matérias são muito legais! Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Natalie! Ah, e os erros já foram corrigidos! Ficamos muito felizes com seu reconhecimento. Um grande abraço, e obrigado!

      Excluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Ganímedes possui seu próprio campo magnético porque é um planeta. É maior que Mercúrio e se não orbitasse outro corpo seria considerado mais um planeta do Sistema Solar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele orbita um planeta. Isso o torna um satélite, certo?

      Excluir
  6. Ficar criticando erro ortográfico é falta de educação. Que povo grosso. Não dá pra receber turista com imaturidade assim. Nos atenhamos ao assunto em questão. O certo é apontar o erro, com postura de revisor.

    ResponderExcluir
  7. O maior satélite natural não é Titã de Saturno?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, é Ganimedes mesmo Bruno. Abraços!

      Excluir
  8. interessante, mas oque nos prova que isso tudo que esta nesse site seja verdade?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você pode conferir as fontes que deixamos na matéria. Além disso, é possível encontrar essas informações em sites de grandes agências espaciais, ou em outros sites de notícias talvez...

      Excluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Europa também tem um oceano sob uma crosta de gelo, certo? Agora Ganimedes. Além dessas, existem outras luas no Sistema Solar em que isto tenha sido confirmado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Delgado. Acaba de ser confirmado um oceano também em Encélado, lua de Saturno. Veja na nossa matéria recente: http://www.galeriadometeorito.com/2015/09/nasa-faz-revelacao-sobre-encelado-lua-de-saturno.html

      Excluir
  11. Adorei a matéria! Essas Afirmações já foram reveladas em 1975 no livro "OVINIS: S.O.S. À humanidade

    ResponderExcluir
  12. Europa,Ganímedes,Titã,Encéfalo,Terra e Marte só no Sistema Solar.A água se demonstra um elemento comum no universo.

    ResponderExcluir
  13. Acho de extrema importância ter sim os links que levam as suas fontes, já que sem eles é complicado acreditar em qualquer coisa dita aqui. Acho muito legal a iniciativa do site de divulgar esse tipo de conhecimento mas sem as fontes a credibilidade do site cai exponencialmente.

    ResponderExcluir
  14. Parabéns ao site. Depois de conhecê-lo, estou muito mais envolvido em assuntos astronômicos. E se é lua ou Lua, tanto faz. Pra nós leigos, é a melhor forma de exprimir do que se trata o astro em questão. Entendemos que a Lua é nosso satélite e que outros satélites tem outros nomes, mas se orbitam outros planetas,acabam tendo praticamente a mesma característica do nosso, e nada melhor do que mencionar esses astros com o o que nos é mais familiar. Parabéns mais uma vez ao site.

    ResponderExcluir
  15. Como diz o velho ditado , prefiro manter meus pesy no chão (terra).

    ResponderExcluir
  16. Como diz o velho ditado , prefiro manter meus pesy no chão (terra).

    ResponderExcluir
  17. Ótimo site, assunto interessante.
    Cada vez eu aprendo mais.

    ResponderExcluir
  18. Matéria excelente e bem explicado.
    Parabéns ao autor

    ResponderExcluir
  19. O interior do satélite ilustrado em corte é fruto de simulações feitas em computador. Como não sabemos ao certo nem mesmo a respeito do nucleo da Terra onde vivemos, acho temerário apostar que as conclusões dos cientistas da NASA sejam minimamente confiáveis com as poucas informações disponíveis de um astro a tamanha distância da Terra.

    ResponderExcluir
  20. Bom texto, mas precisamos dos links com as fontes dessas informações...

    ResponderExcluir