Foram descobertos nove objetos celestes ao redor da Via Láctea!

novas galáxias satélites da Via Láctea foram descobertas
Apesar de estarem muito próximas, elas nunca tinham sido observadas... até agora!



Cientistas do Dark Energy Survey (projeto que busca compreender a expansão do Universo), descobriram nada mais nada menos do que nove objetos celestes tênues, próximos da nossa Galáxia, a Via Láctea. As evidências foram observadas através de fotografias de uma das câmeras mais poderosas do mundo, de 570 megapixel, chamada Dark Energy Camera, acoplada no telescópio de 4 metros Victor M. Blanco, localizado no Observatório de Cerro Tololo, no Chile.

Os sinais indicam que os 9 objetos são prováveis galáxias satélites anãs, a forma menor e mais próxima de galáxias conhecidas.




De todos os nove objetos recém-descobertos, o mais próximo encontra-se a uma distância de 80.000 anos-luz, e o mais distante está a 700.000 anos-luz. Esses objetos brilham cerca de 1 bilhão de vezes mais fraco do que a Via Láctea, e são 1 milhão de vezes menos massivos. A menor dessas galáxias anãs possui cerca de 500 estrelas.

Galáxias satélites são muito menores que as galáxias comuns, e são conhecidas por orbitarem galáxias maiores, como a nossa. Essas galáxias anãs podem ter menos do que 1.000 estrelas, muito diferente da Via Láctea que possui bilhões de estrelas.




Os cientistas acreditam que as galáxia maiores são formadas a partir de pequenas galáxias, que podem ser ricas em energia escura, substância que compõe cerca de 70% do total de matéria e energia do Universo. Portanto, as galáxias satélites anãs são consideradas as chaves para a compreensão da energia escura, e claro, para entendermos o processo pelo qual as galáxias maiores são formadas.

A ilustração abaixo mostra a distribuição das 9 pequenas galáxias descobertas recentemente (em vermelho):

novas galáxias satélites anãs recém descobertas
Ilustração mostra a distribuição das nove galáxias satélites anãs recém descobertas.
Créditos: S. Koposov / V. Belokurov / Cambridge
Clique na imagem para ampliar

O principal objetivo da missão Dark Energy Survey (DES), como sugere seu nome, é compreender a natureza da energia escura, material misterioso que compõe cerca de 70% da matéria e da energia do Universo. O cientistas acreditam que ao compreendermos a energia escura, entenderemos também porque a expansão do Universo está acelerando. Nessa busca por respostas, a missão DES observa milhares de galáxias, e esses dados observacionais podem ser usados tanto para a energia escura quanto para a matéria escura, que pode ser responsável por manter as galáxias unidas.




Já foram detectadas mais de 20 possíveis galáxias satélites anãs, sendo que 17 foram feitas apenas pela missão DES. Nem todas foram confirmadas, e novas observações deverão ser feitas. A maior parte dessas pequenas galáxias localizam-se na área sul, e estão relativamente próximas da Pequena e da Grande Nuvem de Magalhães, as duas maiores galáxias satélites da Via Láctea, localizadas a cerca de 208.000 anos-luz e 158.000 anos-luz, respectivamente. É possível ainda que pelo menos algumas das nove galáxias satélites recém descobertas sejam na verdade satélites dessas outras galáxias satélites maiores, o que seria uma outra grande descoberta.

Esses achados foram feitos observando apenas 1/8 do céu! Quantas outras galáxias satélites poderão ser encontradas? Quantas pequenas galáxias podem estar pairando próximo da Via Láctea neste exato momento?



Fonte: DailyGalaxy / DES
Imagens: (capa-divulgação/L'oeil de la photographie) / S. Koposov / V. Belokurov / Cambridge
21/08/15

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. Vida inteligente? Se forem mesmo tem é que ficar bem longe de nós!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Errado meu jovem, tem é que nos ensinar, da mesma forma como crianças são ensinadas ;)

      Excluir