Foi detectado um nono planeta no Sistema Solar, afirmam pesquisadores

encontrado nono novo planeta no sistema solar
O tão falado Planeta X realmente existe? Parece que sim!

Konstantin Batygin e Mike Brown, dois cientistas da CalTech, dizem que um novo planeta foi encontrado no Sistema Solar ,e tem cerca de 10 vezes a massa da Terra, com uma atmosfera de hidrogênio e hélio. Segundo a Revista Science, o misterioso "Planeta X" se move em uma órbita muito distante e alongada além de Netuno, a cerca de 200 UA (1 Unidade Astronômica equivale a distância média entre o Sol e a Terra). Ela estaria tão distante que sua órbita ao redor da nossa estrela seria de aproximadamente (pasmem!) 20.000 anos!

Os pesquisadores não observaram o Planeta X em si, mas acreditam que ele está lá por conta da turbulência observada, que causa uma configuração única de seis objetos quando eles passam mais próximos do Sol.



E olha que os próprios cientistas estão colocando suas mãos no fogo: segundo eles, a probabilidade de que a configuração seja apenas mero acaso, e não um nono planeta, é de apenas 0,007%, ou seja, quase ínfima. Eles acreditam que em até 5 anos será possível observar o Planeta X de fato, através de telescópios.


De onde veio esse nono planeta?

Os cientistas têm especulado há décadas que poderia haver um planeta a mais em nosso Sistema Solar, e que alguma colisão o teria ejetado para bem longe, a cerca de 4 bilhões de anos atrás. Essa colisão gigantesca pode ter sido com Júpiter, o maior planeta do nosso sistema.

"Embora nós estivéssemos bastante céticos sobre a existência desse nono planeta, continuamos a investigar sua possível órbita, e o que ela causaria no Sistema Solar, o que fez com que todos ficássemos cada vez mais convencidos de que realmente ele está lá fora", disse Konstantin em um comunicado. "Agora existem evidências sólidas de que o Sistema Planetário em que vivemos ainda está incompleto."

As descobertas dos cientistas Konstantin Batygin e Mike Brown foram publicadas na revista The Astronomical Journal do dia 20 de janeiro.


E está não é a primeira grande descoberta do Dr. Mike Brown. Em 2005, ele praticamente remodelou a forma como vemos o Sistema Solar, o que levou os cientistas a reclassificarem Plutão como planeta anão.

O Dr. Mike Brown escreveu em seu Twitter (no qual ele se identifica como @plutokiller ou "Assassino de Plutão" em português) um comunicado fazendo alusão à desclassificação de Plutão como planeta, em tom de paródia, dizendo que sua nova descoberta é 5.000 vezes mais massiva do que Plutão, e que é definitivamente um planeta. "Todas aquelas pessoas que ficaram loucas ao saber que Plutão não era mais um planeta, devem ficar muito felizes em saber que existe um planeta de verdade lá fora, esperando para ser encontrado", comentou. Essa foi uma ótima maneira de se "desculpar"...



A possível detecção do Planeta X através de seus efeitos gravitacionais foi feita através de métodos respeitáveis, utilizando históricos confiáveis, segundo a revista Science. Em 1846, por exemplo, o matemático francês Urbain Le Verrier previu a existência de um planeta gigante por conta de efeitos gravitacionais na órbita de Urano. Astrônomos do Observatório de Berlim encontraram o novo planeta: Netuno, exatamente na região prevista através de cálculos matemáticos. E ao que tudo indica, a história está se repetindo, e o Sistema Solar está ganhando um novo integrante. Afinal de contas, parece que teremos 9 planetas novamente!







Fonte: Science Mag / The Astronomical Journal
Imagens: (capa-ilustração/Caltech) / Caltech
21/01/16

Gostou dessa matéria?
Curta nossa página no Facebook
Você vai adorar!



Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

21 comentários:

  1. uau,notícia fresquinha hein, ai sim GDM, mais de 99% de probabilidade!!! ótimos números!

    ResponderExcluir
  2. OLá. Não entendi a "turbulência" que facilitou a detecção do nono planeta. Expliquem melhor. Será que o angular da órbita do nono planeta está no mesmo plano da média dos planetas que conhecemos, ou será que ela está para além de inclinada? E quais as chances de ele ser observado pelo Hubble? Pela ESO? Droga, James Webb!! Suba logo, tchê! Precisamos de ti agora mais que nunca!! Estou inquieto aqui... e se este tal planeta der uma festinha na nuvem dos cometas? Já imaginou? "Foradoarsaurus Internetis" extinto a pouco tempo... aiiiii...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se você viu o primeiro vídeo, notará que todos os objetos trans netunianos tem seus afélios orientado para apenas uma região do espaço. Essa configuração chamou a atenção dos dois cientistas envolvidos nos cálculos. Eles fizeram então diversas simulações em computador durante 1 ano e chegaram a conclusão que existe um grande corpo com seu afélio orientado no sentido oposto desses outros objetos trans netunianos, e que ele seria o responsável pela perturbação gravitacional dos demais objetos.
      Inclusive eles já sabem a trajetória exata desse grande planeta. Segundo os cientistas, se o planeta estiver no ponto de órbita mais próximo do Sol (periélio) nesse momento, poderia ser vistos com telescópios amadores de grande porte. Caso esteja no seu ponto mais afastado, apenas os maiores telescópios terrestres conseguirá localiza-lo.
      E a caçada ao gigante começou. ^^

      Excluir
  3. E se não for um planeta e sim um mini buraco negro?
    afinal não conseguem ver e pela "turbulência" gravitacional jogando cometas em direção ao sol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendo muito sobre buracos negros, mas é preciso uma estrela muito maior do que o nosso Sol, para que o fim de sua vida acabasse por desencadear um buraco negro. A massa de um buraco negro com o seu menor tamanho possível, tem que ter aproximadamente 3 massas solares. Ou seja, estamos falando de uma massa de pelo menos 1 milhão de vezes a massa da Terra.
      Portanto um mini buraco negro com 10 vezes a massa da Terra, quer seria necessário para se enquadrar nessa teoria do 9º planeta, não é compatível com a fisica dos buracos negros.

      Excluir
  4. Pessoal, chamou-me bastante a atenção este período orbital de aproximadamente 20000 anos do nosso novo Bebê Monstro. Notem: nossas glaciações e deglaciações ocorrem em função da mudança geomagnética dos Polos da Terra. E essa mudança ocorre, conforme dados avaliados pela orientação magnética de alguns minerais nas camadas geológicas, em cerca de 20000 anos também.
    Poderia esse nono planeta, na sua maior aproximação com nosso ou outros planetas próximos, interferir no nosso eixo gravitacional e resultar nessas mudanças, que inclusive são os nossos marcos de registros naturais, como o fim de várias espécies e também de menção de várias culturas antigas a esse período de tempo aproximado a 20000 anos?
    Não há qualquer intuito de teorizar a conspiração, apenas análise fria de fatos e dados.
    Fiquei intrigado aqui... rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A perturbação gravitacional desse nono planeta na Terra é desprezível. Na sua máxima aproximação ele chega a 30 bilhões de kilometros do Sol. É 6 vezes a distância entre Netuno ao Sol.

      Excluir
  5. Poderia ser alguma anã marrom capturada pelo sol?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pela massa calculada no estudo, o corpo é no máximo um mini Urano.

      Excluir
  6. Ontem a noite era umas 23h30 tinha uma estrela muito brilhante para o lado que o sol nasce. Foi ver com o telescópio, parecia uma outra coisa, como um planeta, ou uma lua menor, e em sua volta havia como poeiras na linha horizontal com duas estrelas de cada lado. Alguém mais sabe o que seria essa luz?

    ResponderExcluir
  7. No Stellarium o único objeto brilhante na direção leste e nesse horário que você indicou é Júpiter. Os dois pontos de cada lado do planeta são as luas: Ganimedes e Io (no lado esquerdo), e Europa e Calixto no lado direito. Isso se o seu telescópio não inverter a imagem.
    Recomendo que você instale o Stellarium. É um excelente aplicativo para quem pratica astronomia, pois mostra a posição exata de qualquer objeto no céu noturno. Basta apenas configurar suas coordenadas ou indicar a sua localização dentro do programa. É bem simples. Segue o link para download:
    http://www.stellarium.org/pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
  8. Se esse cara realmente está lá, ele será descoberto, pois os novos telescópios que virão, poderão detectá-lo. Um novo irmão da Terra aqui no nosso quintal será algo extraordinário. Será que esse planeta é rochoso ou tende a ser mais gasoso como Júpter? Serão tantas perguntas , assim que os cientistas confirmarem a presença desse suposto novo planeta do nosso sistema solar.

    ResponderExcluir
  9. Os espíritas o chamam de Planeta Chupão ou Planeta X; o Apocalipse biblico, Absinto; os babilônios, de Nibiru; os gnósticos, de Hercólobus. E também de Marduk, que é como os sumérios o conheciam. O aparecimento cíclico desse corpo celeste está milenarmente ligado a catástrofes e fins de civilizações, tais como os lemurianos, os atlantes…
    Li isso num site a alguns anos agora parece fazer sentido, Há mais coisas entre o céu e a terra do que pode imaginar nossa vã filosofia.... de William Shakespeare uma frase dia a 500 anos atrás ainda é atual nós dia de hoje.

    ResponderExcluir
  10. Um bom nome para o Planeta seria Pegasu

    ResponderExcluir
  11. Podemos descobrir se esse planeta existe ou não usando a New Horizons para vasculhar o cinturão de Kuiper para poder descobrir se o planeta X existe de fato ou não.

    ResponderExcluir
  12. sabe o que é interessante nesse assunto ?É que os índios Hope,chamavam em suas profecias esse planeta de RED CASSINE/BLUE CASSINE, e notem a coincidência a sonda que enviaram para além do sistema solar chama-se sonda CASSINE,interessante não?

    ResponderExcluir
  13. Vi aqui que alguém já sugeriu um nome a ele! É antigo, quererem chamarem o próximo planeta de "Perséfone" (Prosérpina) ou "Core", diante de seu significado (Pois este representaria o contraste absurdo, o grande avanço da humanidade, tecnológico e de bem-estar, hoje exponencial, em contrapartida com a da miséria, da fome, da baixa qualidade e deprimência da vida humana sem perspectivas da imensa maioria, e o que nisto culminará, os grandes contrastes deste tempo que terá que haver um fim. E não havendo a mudança por livre e espontânea vontade do homem no geral, a sociedade, e sim, apresentando forçada. É relativo ao contrastes e impasses! Ao embate, a religião e a ciência, intuição e lógica, emoção e razão, luz e escuridão!), relativo a proximidade na ordem com Plutão, a sua posição e localidade, de como se comporta, aproximando ou se afastando do Sol e sua provável grande inclinação do plano da elíptica, e a história atual de nossa sociedade, diante do que nos passa a deusa, ainda por cima, aos envolvidos nesta futura e possível descoberta, terem rebaixado a classificação de Plutão! Mas podemos também o chamar de "Vesta" (Héstia), outra deusa, que bem caberia a nossa atualidade, acreditando que ele, o planeta, em sua trajetória, mantém a configuração relativamente estável do interior do Sistema Solar (pelo maior nível de consciência humana, da coletividade, da conciliação e do entendimento comum, e da preocupação com sua Terra, que é a sua casa e verdadeira família, sem fronteiras, o resguardo ou proteção, diante das já terríveis degradações), e este praticamente estaria pelo lado de fora do Cinturão de Kuiper, apesar do batismo de asteroide com o mesmo nome!

    ResponderExcluir