Descoberta de novo objeto no Sistema Solar indica existência de planeta escondido

novo objeto no Sistema Solar - V774104
Seriam novas evidências do Planeta X?



Uma equipe internacional de astrônomos confirmou a descoberta de um novo objeto nos confins do Sistema Solar. Trata-se do objeto mais distante já observado dentro do nosso próprio sistema, a cerca de 15.5 bilhões de km do Sol, e sua órbita é cerca de 3 vezes mais distante que a de Plutão! Isso significa que ele está a 103 UA, ou seja, 103 vezes a distância média entre a Terra e o Sol. É muito, muito distante!

Nomeado V774104, esse novo corpo do Sistema Solar tem entre 500 metros e 1 km de diâmetro,  e os cientistas acreditam se tratar de um corpo rochoso.

Objeto V774104 - imagem de telescópio
Imagem feita com o Telescópio Subaru mostra o objeto V774104.
Créditos: Subaru Telescope / Scott Sheppard / Chad Trujillo / David Tholen

A descoberta foi detalhada no 47° Encontro Anual da Divisão de Ciências Planetárias da Sociedade Astronômica Americana, e é resultado de observações feitas por Scott Sheppard, do Instituto Carnegie de Ciências, e Chat Trujillo, do Observatório Gemini, no Havaí.




De acordo com os cientistas, ainda não se sabe muito sobre a órbita de V774104, e mais observações são necessárias a fim de compreendê-la perfeitamente. Quando os astrônomos conseguirem traçar a trajetória que esse corpo faz ao redor do Sol, ele deverá ser incluído em uma de duas categorias:


  1. Se sua órbita o coloca muito próximo do Sol de tempos em tempos, ele se juntará ao grupo de objetos cuja órbitas irregulares são resultado da atração gravitacional de Netuno;
  2. Por outro lado, se a órbita de V774104 o coloca ainda mais distante do Sol, ele se juntará ao grupo de objetos da teorética Nuvem de Oort interior, um cinturão de objetos que habitam o extremo do Sistema Solar, a mais de 1.000 UA de distância, como Sedna e 2012 VP113.



Especulações do Planeta X ganham força

Sedna e VP113 são os únicos objetos do Sistema Solar que têm órbitas inexplicáveis de acordo com os modelos atuais. Uma explicação para as estranhas órbitas desses distantes objetos é a presença de um planeta grande, rochoso e escuro, que ainda não teria sido identificado.

Nuvem de Oort - órbita de Sedna
Ilustração da Nuvem de Oort com relação ao Sistema Solar interior e a órbita de Sedna.
Créditos: divulgação

Se esse planeta realmente existir, ele teria sido lançado para a extremidade do Sistema Solar por conta de alguma interação gravitacional (efeito estilingue), e especula-se que sua poderosa influência gravitacional ainda estaria afetando a órbita de pequenos mundos de gelo.




Especula-se também que a estranha órbita desses objetos distantes seria o resultado de influências gravitacionais de "berçário de estrelas" quando o Sistema Solar ainda estava se formando. Alguns acreditam inclusive que muitos objetos da Nuvem de Oort podem ter sido atraídos por essas estrelas.

Não importa qual seja o caso, o fato é que os astrônomos estão ansiosos por finalmente desvendar os segredos e as misteriosas influências gravitacionais que vemos nos confins do Sistema Solar. Compreender a órbita de V774104 será como ganhar uma nova peça desse grande quebra-cabeças.



Fonte: ScienceMag / Wired
Imagens: capa-ilustração/NASA/JPL) / Subaru Telescope / Scott Sheppard / Chad Trujillo / David Tholen
13/11/15

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

9 comentários:

  1. Levando em consideração que Sedna em seu ponto mais distante chega a incríveis 140 bilhões de kilometros do Sol, fico imaginando que planetas ou planetas anões ainda estarão escondidos nesse vasto espaço além do cinturão de Kuiper.
    O sistema solar, a cada dia que passa, vai ficando mais interessante com essa série de descobertas recentes. E que continue surgindo mais planetinhas e planetões perdidos por ai... :)

    ResponderExcluir
  2. Não entendi: Este objeto fica no interior da N. de OORT ou externo a ela? Não estou surpreso se em tal nuvem existam vários objetos deste tamanho aí. 1000m de diâmetro é pequeno demais para perturbar órbitas tal como faz o Planeta X. Seria racional vasculhar a zona celeste onde há órbitas perpendiculares ou quase perpendiculares ao plano orbital médio dos planetas? Teorizo que este objeto recentemente descoberto possa ser um planeta-anão pastor, que deixa coesa a N. de OORT, tal como as luas pastoras fazem com os anéis de Saturno.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A nuvem de Oort fica a mais de 1 ano luz do Sol, portanto esses corpos recém descobertos ainda estão muito longe da nuvem de Oort.
      É interessante notar que a teoria sugere que o tal planeta X hipotético é rochoso e não gasoso. Se fosse gasoso facilitaria a identificação, por conta do calor e radiação liberada. Como não encontram nada do tipo na varredura do espaço, a hipótese se concentra na concepção de um planetão rochoso e frio, que estaria perturbando a órbita de Sedna e provavelmente desse planetinha recém descoberto.
      A órbita de Sedna, por exemplo, é tão hiper alongada que não se encaixa nos padrões conhecidos, acreditando-se que em algum momento, ou durante a formação do sistema solar, ou agora através do planeta X, teria sofrido esse puxão gravitacional que deixou sua órbita tão acentuada.

      Excluir
  3. trazer ele para perto da terra e transforma-lo em uma nave estelar se ele tem mesmo 1km daria certo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. da ate pra constriri um sitio né, criar umas cabeça de gado ashashash

      Excluir
  4. Parabenizo todos que elaboram esse site que brilhantemente nos traz informações fantásticas desse maravilhoso Universo, enriquecendo nossos conhecimentos sobre os astros e objetos perdidos no espaço, já que comprei um Telescópio mas que ainda não consegui dominar seu uso para saber até onde posso enxergá-los. Posso garantir que as coisas que presenciei provocaram em mim inexplicáveis emoções no fascínio daquele momento. diante de tudo que eu já li em diversos sites eu gostaria de questionar algumas perguntas que não observei em nenhum site.
    Como sabemos os grandes avanços científicos e tecnológicos é de suma importância para comprovação de fatos até agora sem evidências das suas existências.
    1) O que mudaria no desenvolvimento da nossa civilização se tivéssemos provas definitivas de que há realmente vida inteligente além da nossa?
    2) Teriam eles o mesmo nível de desenvolvimento tecnológico e se tivessem utilizariam para o Bem ou para o Mal?
    3) Será que nós não seríamos extinguidos por punição ao fato de invadirmos o espaço deles e dos astros que fazem parte do espaço?
    4) Vocês não concordam que geraria impolgações e entusiamos desenfreados nas grande potências mundiais para conseguir a qualquer preço informações exclusivas?
    5) Se forem realmente comprovadas as pesquisas, vocês não acham que as consequências poderiam explodir uma guerra intergaláctica com as potentes e mudança do cenário astral?
    lembrando que essas são perguntas que me faço a cada dia que vejo novas descobertas como essa do novo objeto que estava escondido do sistema solar.
    Como o site me traz confiabilidade com certas matérias intrigantes e gratificantes para o quem gosta do assunto, fiquei a vontade para externar minha opinião.
    sei que ainda tem muitos mistérios sem respostas e soluções, mas uma coisa é certa, nunca saberemos o mínimo de forças ocultas que existem além da nossa mera existência e desse mundão que é o espaço ilimitado.

    ResponderExcluir
  5. O planeta Nibiru que os sumérios tiveram o imenso prazer de conhecer seus astronautas pessoalmente. Os chamados Anunakis.

    ResponderExcluir