Civilizações alienígenas avançadas podem estar vivendo em aglomerados globulares

civilizações alienígenas avançadas em aglomerados de estrelas
Star Wars pode ser (quase) realidade em uma galáxia não tão distante... 



Os densos agrupamentos de estrelas podem ser excelentes berços para a vida complexa evoluir e viajar, já que as estrelas estão tão próximas umas das outras. Apesar dos estudos que afirmam que esses ambientes podem ser hostis para a vida, um novo estudo defende uma visão mais otimista, baseada na compreensão evolutiva de onde os planetas se encontram fora do Sistema Solar.

"Um aglomerado globular pode ser o primeiro lugar em que a vida inteligente será identificada em nossa Galáxia", disse a principal autora do estudo Rosanne Di Stefano, do Centro Harvard-Smithsonian de Astrofísica. Rosanne apresentou a nova pesquisa na reunião n° 227 da Sociedade Americana de Astronomia.

47 Tucanae
Aglomerado Globular 47 Tucanae, visível a olho nu no hemisfério sul, a 16.700 anos-luz da Terra.
Créditos: Dieter Willasch / Astro-Cabinet

Aglomerados globulares são agrupamentos maciços de milhões de estrelas, em uma região com apenas 100 anos-luz de diâmetro. Esses aglomerados remontam ao início da Galáxia, quase 10 bilhões de anos atrás. Embora a idade desses agrupamentos levante algumas questões, ela também fornece tempo suficiente para que as civilizações surjam, evoluam e se tornem complexas.


Uma longa jornada

A idade avançada de aglomerados globulares significa que suas estrelas são mais velhas. Os elementos pesados ​​encontrados em estrelas mais jovens, que são constituídos por gerações anteriores, não são encontrados nas estrelas de aglomerados globulares. Este material, que estaria faltando nos discos de poeira durante o nascimento da estrela, também seria necessário para construir os planetas, portanto, alguns cientistas argumentam que os aglomerados globulares possuem uma falta de planetas, ou pelo menos, os mundos não seriam tão numerosos por lá...




Mas Rosanne e seu colega Alak Ray, do Instituto de Pesquisas Fundamentais Tata na Índia, salientaram que planetas já foram encontrados ao redor de estrelas que não possuem quantidades significativas de elementos pesados, aqui em nossa Galáxia. Apesar de enormes planetas de gás tenderem a orbitar estrelas com elementos mais pesados, mundos pequenos e rochosos (parecidos com a Terra) podem ser encontrados em torno de estrelas com diferentes quantidades de material.

"É prematuro dizer que não existem planetas em aglomerados globulares", disse Alak Ray.

planeta rochoso - exoplaneta
Ilustração artística do exoplaneta rochoso HD 219134b.
Créditos: NASA / JPL-Caltech

A densa população dos aglomerados também levanta preocupações sobre a sua habitabilidade. A estrela mais próxima do Sol fica a cerca de quatro anos-luz (39 trilhões de quilômetros) de distância. Em um aglomerado globular, estrelas vizinhas podem estar 20 vezes mais próximas. Se uma estrela chegasse tão perto assim do nosso Sol, os efeitos gravitacionais poderiam arremessar o nosso planeta pra bem longe.




Neste caso, a idade avançada das estrelas é uma vantagem. Rosanne e Alak observaram que as estrelas brilhantes como o Sol teriam nascido, vivido e morrido, deixando pra trás apenas estrelas anãs. Essas estrelas tênues exigiriam que os planetas tivessem órbitas mais próximas, a fim de manter a água no estado líquido em sua superfície, um requisito fundamental para a evolução da vida como a conhecemos. Suas órbitas próximas poderiam ajudar a protegê-los de interações com estrelas passageiras, de acordo com um comunicado do Centro Harvard-Smithsonian para Astrofísica (CfA).

A presença de uma velha estrela também pode indicar um planeta mais velho. Na Terra, acredita-se que a vida tenha evoluído por 3,5 bilhões de anos. Segundo um comunicado da CfA, um planeta com 10 bilhões de anos de idade seria suficiente não apenas para a vida surgir, mas também florescer e evoluir para seres inteligentes e tecnologicamente avançados, tornando-os uma espécie de viajantes estelares.




"Uma vez formados, os planetas resistem por longos períodos de tempo... até mais do que a idade atual do Universo", comenta Rosanne.


Visitando os vizinhos

Enquanto estrelas próximas podem desestabilizar os planetas de um sistema, elas facilitariam e muito as viagens interestelares. Com estrelas próximas (cerca de 20 vezes mais do que em nossa Galáxia), as oportunidades de exploração e de comunicação seriam reforçadas, e muito mais possíveis, sugere o novo estudo.

"Nós chamamos isso de oportunidade de aglomerado globular", disse Rosanne. "O envio de uma transmissão entre as estrelas não iria demorar mais tempo do que uma carta enviada dos EUA para a Europa no século 18".

star wars - viagem interestelar
Créditos: Star Wars / divulgação

Nos aglomerados globulares, a comunicação dirigida de uma estrela à outra poderia ajudar possíveis cientistas a detectar civilizações avançadas, acrescenta uma declaração da CfA. Métodos de pesquisas poderiam revelar transmissões de rádio ou de laser, enviadas de uma sistema para o outro.




"As mensagens não seriam as únicas coisas que poderiam viajar entre as estrelas. Naves espaciais podem atravessar esses sistemas facilmente", comentou Rosanne. "As sondas Voyager da NASA estão a 100 bilhões de quilômetros da Terra, ou um décimo do que seria necessário para alcançar a estrela mais próxima se nós vivêssemos em um aglomerado globular", completou.

Lançadas em 1977, as sondas Voyager 1 e 2 foram enviadas para o Sistema Solar exterior. Depois de passar pelos gigantes gasosos, as duas naves continuam sua viagem para o espaço interestelar.

voyager 1 - ilustração - NASA
Ilustração artística da sonda Voyager 1.
Créditos: NASA

"Isso significa que o envio de uma sonda interestelar é algo que uma civilização em nosso nível tecnológico poderia fazer em um aglomerado globular", disse Rosanne. A diferença é que, nos aglomerados globulares, seria possível alcançar as estrelas vizinhas com muito mais facilidade. Será que essas interações, parecidas com aquelas que vemos em Star Wars, já não estariam acontecendo por lá?!



Fonte: Space
Imagens: (capa-ilustração/divulgação) / Dieter Willasch / Astro-Cabinet / NASA / JPL-Caltech / Star Wars / divulgação / NASA
16/02/16

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

20 comentários:

  1. quando esse planetinha se formou o universo ja tinha 9 bilhoes de anos e ainda tem gente que se pergunta se estar só no espaço

    ResponderExcluir
  2. O que tem aí é só especulação. Acredito que existam outras civilizações muito diferentes e mais antigas que a nossa, mas o que esse pessoal da Índia falou não acrescenta quase nada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. QUE NADA SÓ BALELA ADMIRO O UNIVERSO E TUDO O QUE A NELE POREM GASTOS À TOA , QUE HOMEM É ESSE QUE QUER RESPOSTA DO QUE JAMAIS ENCONTRARÁ, SERÁ QUE NENHUM CIENTISTA VAI ACEITAR OS LIMITES QUE DEUS PÔS AOS HOMENS? NINGUÉM VAI TER RESPOSTA DE NADA NUNCA GALAXIAS A MILHARES DE ANOS DE VIAGEM DAQUI ISSO VIAJANDO NA VELOCIDADE DA LUZ. QUE PERCA DE TEMPO PARA OS INTELIGENTES SÓ RESTA ADMIRAR OS FEITOS DA NATUREZA QUE SÃO ILIMITADOS E NADA MAIS.

      Excluir
    2. ... Pra que você entra nesse site? Se você acha que deus tem algum efeito sobre um cientista saiba que a maioria sabe que deus não existe.
      Escreve usando o caps lock e ao mesmo tempo inferiorizando cientistas, não da valor nenhum ao trabalho que eles tem, nem usar o acento você usa...

      Excluir
    3. Ponto para Bruno Faultrol! O deus sujo e fajuto fez o Universo para que a igreja queimasse os sábios? Tá na hora de saber que os mundos são lares de criaturas sujeitas ao mesmo darwinismo. A humanidade é primitiva e possui escuridão no futuro; isso por que a religião sempre briga com a ciência e quer vencer pelo sangue dos inocentes.
      O tempo, e não a autoridade, é dono da verdade (Galileu Galilei)

      Excluir
    4. Porque o nosso futuro depende do universo,expansão da sociedade, você vai entender...

      Excluir
    5. Claro que acrescenta! Eu mesmo sou do tipo que vive lendo sobre astronomia e nem tinha ideia de que em aglomerados globulares a viagem interestelar é plausível.
      E pro cara que escreveu em caixa alta ali, nem li, nem lerei.

      Excluir
    6. acredita em deus nao faz sentido affffff

      Excluir
    7. Acreditar em Deus faz sentido sim na minha opnião, não imponho isso a ninguém, mas defendo que Deus existe e criou todas as coisas, não em um pensamento conservador, mas com base em fortes fatos. Vejam por exemplo se desejarem esse video de um senhor que o defende: https://www.facebook.com/liberalconservador/videos/1691507114467221/

      Excluir
  3. - "whhoooaaaarrrrrrrrrr" (comentário wookie)
    - "Filho, você é de um aglomerado globular mas ainda sou seu pai" (Anakin skywalker)
    - "Indo a um aglomerado globular onde ninguém jamais esteve" (Gene Rodemberry)
    - "Eles tem orelhas pontudas lá?" (Carla Perez sobre os habitantes dos aglomerados globulares)
    - "Ponte! Dobra 9!" (Almirante James Kirk)
    - "Kaplá!" (Klingons visitando um aglomerado globular)
    - "Houston! Temos um problema aqui no 47 Tucanae" (Apollo 2913, ano idem)
    - "Éééétêêêêêê... minhaaaa caaaasssaaaaa.... loooongeeeee...." (E.T. Querendo voltar para a pequena nuvem de magalhães)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrsrsrs! Sensacional! Melhor que a matéria em si. Parabéns.

      Excluir
  4. OK, engraçado. Por que não tentam captar alguma coisa com os radiotelescópios? Eu acho que mesmo que conseguissem, a gente não entenderia nada. Uma civilização com 7,5 bilhões de anos a mais que a nossa seria tão avançada, que seríamos como cachorrinhos tentando entender a conversa de cientistas.

    ResponderExcluir
  5. Aglomerados globulares não são locais onde a vida poderia existir.
    Há radiações cósmicas vindo por todos os lados e que qualquer vida inteligente que estivesse por ali, já teriam se mudado de lá a zilhões de anos; Como será viver em um lugar onde a noite não existe, a chapa é quente o tempo todo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é pra tanto. A radiação é barrada pelos campos magnéticos dos planetas e das estrelas em si. A luz de uma estrela pequena a meio ano-luz é menor que o brilho da lua cheia à noite +/-. Seria possível sim haver alguém lá.
      Tem chances boas até, comparado ao que pensávamos há 10 anos (Estamos sozinhos no universo?)...

      Excluir
  6. Todo ser Inteligente busca , vai sempre além do que lhe e permitido tentando acertar, errar e melhorar. Acho que ñ importa o tempo e o habitat...A razão avança a frente .Segundo Darwin, Sempre existiu uma competição entre as espécies e elas abrem seu leque de conquista e muitas vezes custando caro para muitos ...

    ResponderExcluir
  7. Tem sim que continuar a estudar sim é estudando que se aprende nossa tecnologia não permite hoje mais em um futuro as vezes nem tão distante será possível viajar a quatrilhões e quintilhões de km em minutos.
    Que frequenta aqui viu que foi detectado a primeira vez uma onda gravitacional se existe onda gravitacional como disse o grande mestre Albert Einstein e possível dobrar o espaço manipulação da gravitacional star trek velocidade de dobra 4 que venha alpha centauro

    ResponderExcluir
  8. Tem sim que continuar a estudar sim é estudando que se aprende nossa tecnologia não permite hoje mais em um futuro as vezes nem tão distante será possível viajar a quatrilhões e quintilhões de km em minutos.
    Que frequenta aqui viu que foi detectado a primeira vez uma onda gravitacional se existe onda gravitacional como disse o grande mestre Albert Einstein e possível dobrar o espaço manipulação da gravitacional star trek velocidade de dobra 4 que venha alpha centauro

    ResponderExcluir
  9. Engraçado que às vezes parece que até os cientistas falando da questão do tempo se esquecem da relatividade! Tempo para nós pode não passar da mesma maneira que para outras civilizações em diferentes locais do universo. Tempo e espaço são relativos.

    ResponderExcluir