OSIRIS-REx - Veja a reprise do lançamento e entenda a missão que irá coletar amostras do asteroide Bennu

reprise do lançamento missão Osiris-Rex
Viajar rumo a um asteroide, coletar amostras e trazê-las de volta pra Terra é a tarefa principal da missão. Será que vai dar certo?!



Um foguete Atlas V escalou os céus da Flórida, nos EUA, no último dia 08 de setembro, para enviar um pequeno explorador robótico à um asteroide, numa missão que deve responder algumas perguntas básicas sobre nosso Sistema Solar.

"Esta noite é uma noite de celebração, estamos a caminho de um asteroide", disse Ellen Stofan, cientista-chefe da NASA. "Nós vamos responder algumas das questões mais fundamentais."

Às 7:05 do horário local, o foguete Atlas V foi lançado do Centro Espacial Kennedy da NASA, dando início a uma missão épica que irá estudar e coletar amostras de um asteroide, e trazê-las de volta pra Terra. Se tudo correr bem, a missão terá duração de 7 anos, mas já deve chegar ao asteroide Bennu em agosto de 2018.



Bennu: o asteroide do fim do mundo?

Nos últimos tempos, diversas especulações a cerca do asteroide Bennu vieram à tona na internet, sobretudo com relação a missão OSIRIS-REx. Existe de fato uma pequena chance desse asteroide de 500 metros vir a colidir com a Terra no futuro, mas as possibilidades são ínfimas, ou quase nulas. De acordo com cálculos matemáticos e dados orbitais, a chance do asteroide Bennu colidir com nosso planeta é de apenas 0,037%. Para saber mais sobre o "mítico" asteroide Bennu, confira nossa matéria especial clicando aqui.


O futuro da missão OSIRIS-REx

Como pudemos ver no vídeo acima, o lançamento foi um sucesso! Agora, a sonda OSIRIS-REx usará o nosso próprio planeta para se "estilingar" rumo ao asteroide, o que deve encurtar relativamente seu tempo de viagem. Assim que a sonda se encontrar com o asteroide, ela irá orbitá-lo, realizando pesquisas e observações durante dois anos. Em seguida, utilizando um braço mecânico, a sonda irá retirar algumas amostras e armazená-las de forma segura, a fim de trazê-la de volta para a Terra, possibilitando um estudo mais profundo que deve ser realizado por cientistas de várias instituições.




Daqui a 7 anos, a sonda irá se aproximar da atmosfera da Terra, e uma cápsula contendo as amostras (protegida com escudo térmico) deverá se separar da nave principal OSIRIS-REx e reentrar na atmosfera. Um pára-quedas vai desacelerar a cápsula para que ela seja facilmente encontrada e recuperada. Em seguida, os pesquisadores irão examinar as preciosas amostras. Mas será que tudo isso vai dar certo?!!

ilustração - sonda osiris-rex
Ilustração artística da sonda OSIRIS-REx no asteroide Bennu.
Créditos: NASA / Lockheed Martin

A NASA já coletou amostras em missões anteriores. Restos de cometas coletados dos ventos solares foram trazidos para a Terra, assim como centenas de toneladas de rochas da Lua durante as seis missões Apollo, entre 1969 e 1972. Todas essas amostras estão guardadas no Centro Espacial Johnson, da NASA, em Houston, local onde as futuras amostras do asteroide Bennu também serão depositadas. Parceiros internacionais e as agências espaciais canadense e japonesa também receberão uma porcentagem dessas amostras do asteroide.




Essa missão é a terceira do Programa Novas fronteiras, da NASA. As duas primeiras foram a New Horizons e a Juno, que já contribuíram inestimavelmente para o estudo do Sistema Solar, e ainda estão em funcionamento. Agora, a OSIRIS-REx se junta com outras missões épicas, e se tudo der certo, teremos ainda mais informações sobre os asteroides, planetas e outros corpos do nosso Sistema Solar.



Imagens: (capa-NASA/divulgação) / NASA / Lockheed Martin
09/09/16


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Nenhum comentário? Nuss rsrs... Ainda quero acompanhar um lançamento desse.

    ResponderExcluir
  2. Eu queria fazer uma pergunta: Por que o Brasil não participa de projetos espaciais grandiosos como este? Pôxa!!! Não temos nada!!! Países como Chile, Argentina, Austrália, N. Zelândia e até a África do Sul são tão atuantes... e um país como o Brasil totalmente silencioso e desparticipante. Pois é, para desvios e escândalos políticos sempre se tem dinheiro. Para a ciência e exploração da natureza espacial e suas causas o Brasil é intolerante e subjugador. Onde está nossa capacidade de nação por inteiro? Confesso, estou indignado.

    ResponderExcluir
  3. Será que foram pra lua fazer terraplanagem; centenas de toneladas de rochas em seis missões lunares??? Não entendi.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir