Estranhos sinais de rádio foram detectados vindos de uma estrela anã vermelha próxima

sinais de radio vindo da estrela Ross 128
Existem três grandes hipóteses para explicar os estranhos sinais, mas nenhuma delas parece estar correta...





Estranhos sinais de rádio foram detectados vindo da zona de uma estrela relativamente próxima. O rádio telescópio de Arecibo, que mede 305 metros de largura, localizado no Porto Rico, detectou "alguns sinais peculiares" no dia 12 de maio de 2017. Os sinais aparentemente estavam vindo de Ross 128 - uma estrela anã vermelha que fica a apenas 11 anos-luz de distância, na constelação de Virgem. Apesar de ser uma estrela bem próxima de nós, seu brilho é muito tênue para ser enxergado a olho nu.

"Os sinais consistiam em pulsos quasi-periódicos não polarizados de banda larga com características de dispersão muito fortes", disse Abel Mendez, diretor do Laboratório de Habitabilidade Planetária da Universidade de Porto Rico.



"Acreditamos que os sinais não são interferências locais de radiofrequência (RFI), uma vez que são exclusivas de Ross 128, e as observações de outras estrelas feitas um pouco antes e depois não mostraram nada semelhante", acrescentou.




De acordo com Mendez, as três principais explicações para os estranhos sinais são emissões de energia solar de Ross 128; emissões de outro objeto no mesmo campo de visão ou então uma explosão de algum satélite em órbita da Terra.

Mas não é tão fácil entender de fato o que está acontecendo. Cada uma dessas explicações tem seus contraditórios. As emissões de energia solar, por exemplo, geralmente ocorrem em frequências mais baixas, e nunca foi registrado um satélite explodindo que emitisse sinais dessa magnitude.

Rádio telescópio de Arecibo
Rádio telescópio de Arecibo, em Porto Rico.
Créditos: Observatório de Arecibo / NSF

No quesito vida extraterrestre avançada, Mendez explica que essa é uma das últimas hipóteses a ser cogitada. A equipe responsável por essa descoberta continuará observando a estrela Ross 128, juntamente com a estrela de Barnard, uma anã vermelha localizada a apenas 6 anos-luz da Terra. Essas observações, feitas com o telescópio de Arecibo fazem parte de uma campanha para entender melhor a radiação e os ambientes magnéticos das anãs vermelhas, e procurar por sinais de planetas que ainda não foram descobertos. Outras equipes de investigadores também estão acompanhando essas estrelas, como os cientistas do instituto SETI (pesquisa de Inteligência Extraterrestre), por exemplo.




De acordo com todos os pesquisadores envolvidos, a hipótese do sinal se tratar de algum tipo de comunicação de civilização extraterrestre inteligente é realmente muto pouco provável. Um dos motivos seria o fato do sinal não ter sido replicado, o que, de acordo com os pesquisadores, seria um requisito fundamental para um sinal crível de uma civilização extraterrestre.




Por outro lado, os cientistas não descartam a possibilidade de civilização inteligente. Segundo Seth Shostak, astrônomo senior do Instituo SETI, a hipótese de E.T.s não deve ser descartada. "A lição histórica é clara. Essas coisas aparecem, e você tem que acompanhá-las, porque você nunca sabe qual será um verdadeiro contato, se é que haverá um", disse ele. "O acompanhamento é obrigatório."


Imagens: (capa-ilustração/STELLARIUM) / Observatório de Arecibo / NSF
19/07/17


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTubeTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário:

  1. Gostei dá matéria. E realmente, o acompanhamento é obrigatório.

    ResponderExcluir