Asteroide fez 2ª maior aproximação do ano com a Terra, e só foi descoberto um dia depois

asteroide 2017 UJ2
A rocha espacial 2017 UJ2 passou despercebida, a uma distância de apenas 0.05 a da Lua


Sem ser notada pelos centros de monitoramento, uma rocha espacial, nomeada 2017 UJ2, passou quase raspando na atmosfera da Terra na última sexta-feira, 20 de outubro. O que chamou a atenção não foi sua máxima aproximação com a Terra, afinal, ninguém sabia... mas sim o fato do asteroide ter sido descoberto apenas um dia depois, em 21 de outubro, pelo Observatório Catalina Sky Survey.

2017 UJ2 pertence ao grupo de asteroides Apollo. Seu diâmetro foi estimado entre 1.9 e 4.1 metros, e passou perto da Terra a uma velocidade média de 8.48 km/s.



O horário de sua máxima aproximação foi às 14:07 pelo horário internacional, quando o objeto passou a 12.800 km do centro da Terra, ou cerca de 0.05 Distâncias Lunares (DL).

asteroide 2017 UJ2
Animação mostra trajetória do asteroide 2017 UJ2.
Créditos: SBDB / JPL / SSD         /         Edição: Galeria do Meteorito

Esse já é o 40º asteroide conhecido a passar entre a Terra e a Lua desde o início do ano, sendo também a segunda maior aproximação. O único asteroide que passou mais próximo da Terra do que 2017 UJ2 nesse ano foi em 4 de abril, quando o asteroide 2017 GM passou a 10.100 km do nosso planeta, ou cerca de 0.04 DL.




Por conta de seu tamanho, a rocha 2017 UJ2 provavelmente não causaria nenhum estrago mesmo que colidisse com a Terra, já que ela se desintegraria na atmosfera. O que veríamos seria uma grande bola de fogo riscando os céus.




Objetos pequenos como esse são extremamente difíceis de serem detectados, mas o lado bom é que não causam danos ao planeta. Rochas espaciais entre 10 e 20 metros de diâmetro já podem causar estragos consideráveis, como ocorreu em Chelyabinsk em 2013, mas elas também não são fáceis de serem detectadas, principalmente se estão vindo de encontro com a Terra na mesma direção do Sol. É por isso que observatórios espalhados por todo o globo monitoram as redondezas da Terra 24h por dia... afinal, nunca se sabe quando um "novo Chelyabinsk" pode acontecer...


Imagens: (capa-ilustração/SSD) / SBDB / JPL / SSD / Galeria do Meteorito / divulgação
23/10/17


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTubeTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Isto significa que logo ocorrerá impacto na Terra,resta saber o tamanho que será do asteróide ou cometa, fato ÓBVIO que acontecerá novamente,extinção ou milhões de mortes.

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. O asteroide de Chelyabinsk foi detectado por agências do EUA, mas como o destino dele era a Rússia, acabou não sendo interceptado, e sim transformado em objeto de estudo para os Americanos...
    Pouco se sabe sobre como os corpos celestes de diferentes tamanhos e composições se desintegram em nossa atmosfera.

    ResponderExcluir
  4. É só uma questão de tempo, e quando acontecer teremos a certeza da pequenez das agências espaciais, que nada poderão fazer, a não ser avisar aqueles que às financiam.

    ResponderExcluir