O que é um Multiverso? Podemos viver em um deles?

multiverso existe?
O que se sabe até o momento sobre os multiversos? Será que podemos viver em um?


Quando achávamos que estávamos em meio a descobertas de um Universo complicado e cheio de segredos, surge a questão de um Multiverso - a possibilidade de universos que estão conectados com o nosso. Esses universos poderiam guardar segredos ainda mais intrigantes, multiplicando a complexidade de tudo!



A ideia de universos paralelos não é nova. Ela vem sendo debatida por cosmólogos há décadas, mas todos os cientistas sempre se deparam com a mesma indagação: "como poderemos comprovar isso?"




De fato, provar a existência de outros universos, para muitos cientistas, é uma afronta à "Navalha de Occam" - um princípio lógico que afirma que a explicação para qualquer fenômeno deve assumir a menor quantidade de premissas possível. Em suma, precisaríamos de muitas explicações e muitos estudos complexos para assumir que o multiverso é viável, o que implicaria em algo irreal desde o início (isso se assumirmos a premissa da Navalha de Occam).

A Teoria da Navalha de Occam é atribuída a um frade inglês do século XIV, chamado William de Ockham, que afirma que, entre duas teorias ou soluções que resolvem igualmente os mesmos fatos, deve-se optar pela mais simples.

A Navalha de Occam na prática - charge
Essa charge mostra na prática como funciona o princípio lógico da "Navalha de Occam".
Créditos: divulgação
Clique na imagem para ampliar

Mas nem todos os cientistas decidiram seguir essa base lógica. Alguns especialistas examinam constantemente a radiação cósmica de fundo através de microondas, para identificar se estruturas primordiais parecidas com discos poderiam apresentar sinais de colisões com outros universos.




Os resultados trazidos por esses cientistas, utilizando o já aposentado Observatório Espacial Planck, da Agência Espacial Europeia, apontaram que essas colisões cósmicas entre o nosso Universo e outros universos já ocorreram pelo menos quatro vezes durante sua história.

multiverso existe
Ilustração artística de como poderia ser um Multiverso.
Créditos: Mark Garlick / Science Photo Library / divulgação

As evidências não foram 100% conclusivas, portanto mais observações e estudos são necessários. Por enquanto, até segunda palavra, vivemos em um Universo único.




Por outro lado, a possibilidade de estarmos em um Universo dentre dezenas ou até milhares de outros universos possíveis e imagináveis é realmente intrigante, e continuará nos perseguindo por um bom tempo...


Imagens: (capa-ilustração/divulgação) / Mark Garlick / Science Photo Library / divulgação
08/08/18


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTube, InstagramTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

9 comentários:

  1. Chegará um ponto onde a filosofia tomará as rédeas da discussão sobre a nossa própria existência e lugar no universo. Mesmo que se comprove o multiverso, uma nova incógnita surgirá. E nesse caso, uma incógnita que apenas a filosofia poderá dar uma resposta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. filosofia não é ciencia, é só uma tentativa ilogica de responder o que não foi descoberto

      Excluir
    2. Não é ciência, eu sei. Mas você não entendeu a questão: eu disse que se o multiverso se provar verdadeiro, não teremos mais ferramentas para explicar o que há lá fora. Nesse caso, só nos restará a filosofia.

      Excluir
    3. A filosofia é ciência sim e tem muita lógica,tem como objetivo a reflexão e a busca do auto conhecimento e do conhecimento das coisas que nos cercam.

      Excluir
  2. Muito interessante essa matéria.Ficar debatendo sobre estas questões é sempre muito construtivo mesmo dando um nó no cérebro.Ás vezes eu gostaria de acreditar que só existe o nosso mundo e pronto.

    ResponderExcluir
  3. Faltou aprofundar mais, mas precisaria de uma série de matérias para dar cabo do assunto...interessante a possibilidade de infinitas cópias nossas. Realmente só filosofando mesmo mas penso que a Matemática e a Física possam provar o multiverso em breve.
    Para quem quer ter uma divertida e intrigante noção do multiverso assistam o desenho Rick and Morty!

    ResponderExcluir
  4. A verdade é que quando o assunto é o Universo e suas possibilidades, oque mais existe são perguntas, que provavelmente não serão respondidas durante nossa estadia por aqui a não ser que surja um "novo Newton" ou "novo Einstein" nesse período

    ResponderExcluir
  5. E a "Interpretação de Muitos Mundos" de Hugh Everett? Ótimo assunto para discussão...

    ResponderExcluir
  6. Sempre que leio sobre este tema entendo que há uma confusão entre dimensões e o as possibilidades de múltiplos universos. Isto por que me habituei a entender a questão de universos paralelos como sendo, de fato, dimensões paralelas coexistentes. O tema de dimensões alem das três conhecidas (largura , altura , profundidade) não é novo no meio acadêmico e data de meados do século XVIII (Lagrange). Hoje se postula onze dimensões (diziam ser 10, depois 11, mas para se adequar a alguns aspectos da teoria da relatividade, voltou a ser 11). Assim, para definir as dimensões utilizarei conceitos de Piotr Ounspensky (psicólogo e filosofo) descritas em seu livro "um novo modelo do universo (+-1920).
    Ouspensky , embasado em outros estudos, postula 3 dimensões espaciais conhecidas, e 3 temporais da qual só temos ciência de uma. Um ponto se projeta no espaço gerando uma linha, a linha se projeta no espaço (cada ponto, perpendicularmente) gerando um plano ou superfície, um plano se projeta gerando um sólido. Temos as dimensões físicas. As dimensões do tempo são equivalentes: um instante projetado no tempo gera uma linha (o tempo conhecido) ou a quarta dimensão. Cada instante desta linha (passado, presente e futuro) projetado “perpendicularmente” (analogia) gera o eterno agora, ou a eternidade que neste conceito não é um tempo infinitamente longo. Esta é a quinta dimensão. Em cada instante existem inúmeras possibilidades, umas mais prováveis e outras menos. Aquelas que efetivamos constituem-se formam o “plano” ou a quinta dimensão. Todos os outros instantes possíveis, mas não efetivados considerados em projeção geram a sexta dimensão ( como uma superfície ou plano projetado gerando um sólido).
    Mais estranho é que estas dimensões “temporais” podem ser exploradas e experimentadas pela consciência tal qual as físicas. A mais notável é a quinta dimensão ou a eternidade que se constitui no “mundo dos sonhos” que visitamos todas as noites.
    Muito profundos estes estudos e com grandes implicações. Mas nos atendo apenas no tema: A quarta , a quinta e a sexta dimensão atendem melhor o conceito de “universos paralelos” .
    Saindo das pesquisas filosóficas e transcendentais (a meu ver, muito mais lógicas que as descabeladas teorias científicas) e indo para as conclusões dos astrônomos a partir de observações do espaço profundo, chegamos à questão esta dos multiversos.
    Há algum tempo astrônomos observaram um fluxo de galáxias se dirigindo para fora do universo conhecido (chamado de fluxo escuro, mas nada tendo a ver com as teorias de energia escura ou matéria escura). Entenderam que se algo atrai estes enxames de galáxias para fora do nosso universo só pode ser, por definição, outro universo. Então concluíram que além do nosso universo existiriam infinitos outros. Espaço infinito com universos infinitos.
    Neste caso, universos paralelos seriam outros nos quais, pelas leis da probabilidade, poderiam existir cópias idênticas do nosso universo e mesmo de nós mesmos.
    Mas percebam que os multiversos estão considerados apenas em seu aspecto tridimensional e não hexa dimensional (seis dimensões, que certamente as têm). Entendo que é interessante discernir estes aspectos e conceitos, mas não tenho esperança que alguém lerá um “textão” destes :)

    ResponderExcluir