Vulcões de gelo descobertos em Ceres estão ativos até hoje

vulcões de gelo descobertos em Ceres estão ativos
Eles estão espalhados por toda a superfície do planeta anão!


Na ciência, novas descobertas geralmente vêm acompanhadas de mais questões e mistérios. E foi exatamente isso que aconteceu com Ceres, depois que a sonda Dawn descobriu o enorme vulcão criogênico chamado Ahuna Mons. Mas como um vulcão ativo pode existir em Ceres?



Ceres é o único planeta anão já examinado de perto por uma espaçonave. A sonda Dawn, da NASA, chegou em Ceres no ano de 2015, depois de visitar o asteroide Vesta. Em 2016 foi descoberto um enorme vulcão de gelo (criovulcão) em Ceres, chamado Ahuna Mons.

E as observações em Ceres revelaram que o vulcão de 4 km de altura é muito jovem, com apenas 200 milhões de anos. Ceres, por sua vez, tem 4,5 bilhões de anos. Em 2016, os cientistas acreditavam que esse único vulcão visível em Ceres estava dormente. Mas agora tudo mudou.

Vulcão Ahuna Mons em Ceres
Vulcão Ahuna Mons em Ceres.
Créditos: NASA / Dawn

Um estudo da Universidade do Arizona, nos EUA, liderado pelo cientista, Michael Sori, ajuda a explicar o mistério do vulcão de gelo em Ceres. Michael e os co-autores também da Universidade do Arizona, Ali Bramson e Shayne Byrne, descobriram que os vulcões de gelo em Ceres ainda estão ativos, ejetando material suficiente para encher quatro piscinas olímpicas a cada ano. O novo estudo explica ainda porque não encontramos outros vulcões na superfície de Ceres.




De acordo com o estudo, qualquer evidência visível de vulcões de gelo antigos são apagadas por um processo chamado "relaxamento viscoso". O gelo é um material viscoso, e ao se juntar com as rochas, leva mais tempo para fluir do que a água líquida, por exemplo. Isso faz com que as evidências visíveis sejam apagadas rapidamente. As geleiras aqui da Terra são a prova disso. Quanto maior o teor de gelo, e quanto maior a temperatura, mais cedo o vulcão de gelo desapareceria.

As flutuações de temperatura em Ceres nunca permitem que a superfície do planeta fique mais quente do que -30ºC. Ainda assim, as variações de temperatura ocorrem, sobretudo na região equatorial, onde qualquer montanha de gelo pode, com o passar do tempo, passar pelo "relaxamento viscoso".

Michael Sori e sua equipe realizaram simulações em computador, e os modelos mostraram que os vulcões de gelo próximo dos polos ficaram congelados para sempre, porém, nas regiões próximas do equador, onde há uma certa flutuação de temperatura, os vulcões de gelo desapareceram ao longo do tempo.




Em seguida, Michael vasculhou os dados da sonda Dawn, e encontrou 22 montanhas que se pareciam com os resultados da simulação. Apenas uma delas estava próxima do polo (polo norte), e ganhou o nome de Yamor Mons. Esse vulcão de gelo tem a mesma forma de Ahuna Mons, porém é repleto de crateras de impacto - um testemunho de sua idade.

montanhas de possíveis vulcões descobertas em Ceres
Localização das 22 montanhas encontradas em Ceres.
Créditos: Nature Astronomy / Michael Sori et al

Yamor Mons não cedeu ao relaxamento viscoso, e continua de pé. Ele tem 5 vezes mais largura do que altura. As outras montanhas em Ceres são ainda mais largas, já que estão distantes dos pólos (exatamente como previa o modelo feito em computador).




Ao determinar a idade das montanhas através de comparação com modelos de computador, a equipe descobriu que um vulcão de gelo se forma a cada 50 milhões de anos, e todos que ainda estão ativos ejetam material suficiente para encher 4 piscinas olímpicas por ano.

Os vulcões da Terra e de Ceres são diferentes. Ceres é muito menor do que a Terra, e suas erupções são menos violentas. Em Ceres, os vulcões produzem criomagma - uma mistura salgada de gelo, rochas, e outros voláteis como amônia. Essa erupção escorre pela superfície, como uma espécie de lava derretida. Com o tempo, esses vulcões de gelo perdem altura por conta do "relaxamento viscoso".




Como e porque esses vulcões de gelo existem em Ceres ainda é um mistério. Ceres é o primeiro planeta anão e o primeiro corpo com vulcões de gelo a ser estudado de perto. Outros corpos do Sistema Solar também apresentam atividade semelhante, como Europa e Encélado (satélites naturais de Júpiter e Saturno, respectivamente). "Pode haver semelhanças entre Europa e Ceres, mas precisamos enviar a próxima missão para lá antes de dizer com certeza", disse Michael Sori.


Imagens: (capa-NASA) / NASA / Dawn / Nature Astronomy / Michael Sori et al
21/09/18


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTube, InstagramTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário