Alguma forma de vida poderia existir no vácuo do espaço?

alguma forma de vida poderia existir no espaço?
De bactérias a animais - quem tem a capacidade de existir no vazio do espaço?


Aqui na Terra temos todo o conforto que uma atmosfera com temperaturas aprazíveis podem proporcionar. Mas o que dizer do vácuo do espaço? Um lugar vazio, sem nenhuma proteção ou calor? Será que alguma forma de vida poderia viver num ambiente tão hostil?



Primeiramente, para que uma forma de vida consiga sobreviver no vácuo, ela precisa conseguir lidar com temperaturas extremamente baixas, com o vácuo em si (falta de ar ou de atmosfera) e resistir a altas doses de radiação.

espaço - alguma forma de vida consegue sobreviver no vácuo do espaço
O espaço próximo da Terra.
Créditos: NASA

Já deu pra perceber que nós, humanos, não temos nenhuma chance de conseguir isso né?! Tão pouco qualquer outra forma de vida complexa. Por outro lado, alguns micróbios poderiam alcançar esse feito (e até mesmo um pequeno animal!).


Os super resistentes

Microbiologistas já identificaram micróbios chamados extremófilos - seres que conseguem sobreviver em condições extremas. Como exemplo temos o Deinococcus Radiodurans, que pode tolerar altas doses de radiação, vácuo, falta de água e ainda por cima vive muito bem no frio extremo.




Micróbios podem de fato sobreviver a verdadeira jornadas no espaço. É possível que 377 cepas de bactérias foram acidentalmente levadas a Marte pela sonda Curiosity, mas ninguém realmente sabe se essas bactérias resistiram ou se ainda estariam vivas.

Outra bactéria conhecida por ter sobrevivido em ambiente espacial é a Streptococcus mitis, um tipo de bactéria que vive nas nossas bocas e garganta (acreditem!). Essa bactéria pegou uma carona na sonda norte-americana Surveyor 3, enviada para explorar a superfície da Lua em 1967.

Deinococcus radiodurans (à esquerda) e Streptococcus mitis (à direita) - bactérias que podem sobreviver no vácuo do espaço
Deinococcus radiodurans (à esquerda) e Streptococcus mitis (à direita).
Créditos: Wikimedia Commons / divulgação

Curiosamente, em 1969, a missão tripulada Apollo 12 utilizou a sonda Surveyor 3 como base para o pouso de sua nave. Os astronautas recolheram parte da sonda que foi trazida de volta pra Terra. Além da sonda Surveyor 3 ter sido a única sonda já visitada por astronautas em toda a história, ela também ficou famosa por levar bactérias Streptococcus mitis até a Lua. As bactérias resistiram ao ambiente espacial e lunar antes de voltarem pra casa.


Os donos do espaço

Outra forma de vida capaz de sobreviver no espaço e curiosamente faz parte do reino animalia (sim, não estamos falando de bactéria) é o Tardígrado. Esses pequenos animais cujo tamanho varia de 0,5 a 1,2 mm pode suportar ambientes ultra extremos, incluindo temperaturas aproximadas ao zero absoluto (-273 ºC) chegando a 150 ºC. Além disso, esse pequeno animal consegue suportar a pressão de até 6 mil atmosferas e 5.000 Gy de radiação - 1.000 vezes mais do que um ser-humano pode suportar.




Em maio de 2011, estudos sobre os tardígrados foram incluídos na missão STS-134 do ônibus espacial Endeavour, em seu último voo ao espaço.

Tardígrado - animal que pode sobreviver no espaço
Tardígrado - o único animal conhecido que pode sobreviver no espaço.
Créditos: FLICKR / KATEXIC PUBLICATIONS / divulgação

Os tardígrados são os únicos animais conhecidos que conseguem de fato sobreviver no espaço, sem ajuda de qualquer equipamento. Pra você ficar ainda mais abismado(a), 10% dos sobreviventes ainda produziram ovos que eclodiram normalmente, o que mostra que eles (além de sobreviver) também conseguem se reproduzir no vácuo hostil do espaço.




Já nós humanos precisamos de trajes espaciais e todo um preparo psicológico para aguentar uma jornada no espaço. Talvez devêssemos repensar sobre quais seriam os melhores exploradores espaciais daqui em diante...


Imagens: (capa-NASA/Reid Weisman) / NASA / Wikimedia Commons / FLICKR / KATEXIC PUBLICATIONS / divulgação
06/02/19


Gostou da nossa matéria?
Inscreva-se em nosso canal no YouTube
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTube, InstagramTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário