Este exoplaneta recém descoberto tem a órbita mais alongada já detectada

exoplaneta com orbita mais alongada
Pois é: o nosso Sistema Solar não é o centro do Universo, e existe muita diversidade esperando para ser descoberta


Os sistemas estelares podem guardar segredos e serem bem diferentes do que estamos acostumados. Um exoplaneta gigante, três vezes mais massivo que Júpiter, encontrado recentemente pelos astrônomos, tem uma órbita tão elíptica que acaba sendo um lembrete de que muita coisa pode realmente ser bem diferente daquilo que estamos acostumados.



O estudo ,aceito para publicação na revista The Astronomical Journal, descreve a descoberta de HR 5183 b, cuja órbita, se colocada dentro do nosso Sistema Solar, chegaria mais próxima do que a de Júpiter e se estenderia além da órbita de Netuno.

"Este planeta é diferente dos planetas do nosso Sistema Solar, e mais do que isso, é diferente de qualquer outro exoplaneta que descobrimos até agora", disse Sarah Blunt, uma estudante do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) e principal autora do estudo. "O fato deste planeta ter uma excentricidade tão alta mostra alguma diferença na forma como ele se formou ou evoluiu em relação aos outros planetas".


HR 5183 b orbita uma estrela que fica a cerca de 100 anos-luz da Terra. Sarah e seus colegas encontraram o planeta usando o método da velocidade radial, que detecta os puxões gravitacionais que um planeta exerce sobre sua estrela hospedeira.




"HR 5183 b passa a maior parte do tempo vagando na parte externa do sistema planetário de suas estrelas nesta órbita altamente alongada, então ele começa a acelerar e faz um estilingue em torno de sua estrela", disse Andrew Howard, professor de astronomia da Caltech. Apesar de não terem visto sua órbita completa, que levaria entre 45 e 100 anos, Howard diz que foi possível ter a certeza de sua órbita altamente excêntrica.

órbita do exoplaneta HR 5183 b
Órbita do exoplaneta HR 5183 b sobreposta ao nosso Sistema Solar.
Créditos: Caltech / W. M. Keck Observatory / Adam Makarenko

A magnitude do puxão gravitacional de HR 5183 b permitiu à equipe calcular a massa do planeta: cerca de três vezes a massa de Júpiter.




Este exoplaneta provavelmente teve seu início de vida numa órbita circular, mas depois depois acabou sendo alterada por conta de alguma interação gravitacional que ocorreu provavelmente com a influência de um planeta vizinho semelhante.

HR 5183 b reforça uma verdade cósmica: a de que a nossa galáxia, a Via Láctea, é repleta de planetas impressionantes e diferentes. Existem planetas com três sóis, planetas errantes que vagam pelo espaço e enormes "Júpiteres-Quentes" que levam poucos dias para completar uma volta em torno de suas estrelas.




"Copérnico nos ensinou que a Terra não é o centro do Sistema Solar e, à medida que começamos a descobrir outros sistemas, esperávamos que fossem cópias do nosso próprio Sistema Solar", disse Andrew Howard. "Este novo planeta é outro exemplo de sistema que não é igual ao nosso Sistema Solar, mas possui características notáveis que tornam nosso Universo incrivelmente rico em sua diversidade".



Imagens: (capa-ilustração/Caltech) / Caltech / W. M. Keck Observatory / Adam Makarenko
28/08/19


Gostou da nossa matéria?
Inscreva-se em nosso canal no YouTube
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTube, InstagramTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário