Lua de Júpiter Io produz erupções vulcânicas cataclísmicas jamais vistas antes

Trata-se das erupções vulcânicas mais potentes já vistas no Sistema Solar. Elas são aniquiladoras!


Uma das luas de Júpiter desencadeou uma série de grandes erupções vulcânicas ao longo de um período "infernal" de 2 semanas. As erupções foram tão brilhantes que puderam ser estudadas em detalhe por observatórios instalados em terra.

Io ganhou o direito de ser conhecida como a lua vulcânica de Júpiter. Sua superfície é marcada por enormes caldeiras e gigantescas erupções têm sido observadas, assim como o envio de detritos vulcânicos ao espaço.


Mas uma série de erupções sem precedentes ocorreram durante 14 dias, em agosto passado, e pegou os cientistas de surpresa, revelando que este pequeno mundo infernal pode entrar em erupção com mais freqüência do que se pensava.




"Nós normalmente esperamos uma explosão enorme a cada um ou dois anos, e que normalmente não seria tão brilhante", disse Imke de Pater, da Universidade da Califórnia, em Berkeley. "Aqui nós tivemos uma sequência de três explosões extremamente brilhantes".

Mosaico de imagens de Io feitas pela sonda Voyager 1 mostra a região polar sul da lua de Júpiter.
Nessa imagem podemos ver duas das dez maiores montanhas de Io: Euboea Montes na parte superior à esquerda, e Haemus Mons, na parte inferior central da foto. Créditos: NASA / JPL-Caltech

Io é a lua galileana mais interna de Júpiter, com tamanho aproximadamente igual da nossa Lua, e é o único lugar no Sistema Solar (além da Terra) onde foram observados vulcões ativos. A atividade vulcânica é impulsionado por interações gravitacionais poderosos com o gigante gasoso que espreme e aquece o interior de Io. Como nos vulcões da Terra, a rocha derretida (magma) é então forçado através da crosta de Io de forma intermitente em erupções vulcânicas.

Muitas erupções de Io são surpreendentemente poderosas e, por causa da baixa gravidade da Lua, pode explodir escombros para o espaço.

A quantidade de energia que está sendo emitida por essas erupções implicam fontes de lava jorrando de fissuras em um volume muito grande por segundo, formando correntes de lava que rapidamente se espalham sobre a superfície de Io.

A primeira de uma série de erupções maciças foi detectada pela câmara de infravermelho (NIRC2) ligada ao telescópio Keck II, no topo de Mauna Kea, no Havaí.

Durante a gravação das erupções que ocorreram no hemisfério sul da lua, no dia 15 de agosto de 2013, os pesquisadores viram a erupção mais brilhante acontecer na caldeira chamada Rarog Patera, que produziu cerca de 50 quilômetros quadrados de lava, em um fluxo de 30 metros de espessura. Essa quantidade de lava seria suficiente para cobrir a Ilha de Manhattan, em Nova York.

Imagens capturadas pelo infravermelho revelam erupções vulcânicas cataclísmicas na superfície de Io, lua de Júpiter.
As imagens foram obtidas em diferentes comprimentos de onda do infravermelho, pelos Observatórios W. M. Keck e Gemini Norte. Créditos: IMKE DE PATER / UC Berkeley 

Outra erupção que foi gerada pela caldeira Heno Patera produziu um fluxo de lava de 120 quilômetros quadrados. Ambas as erupções geraram "cortinas de fogo", com a lava explodindo a partir das fissuras na crosta de Io.

Em seguida, no dia 29 de agosto, uma das mais brilhantes erupções já vistas em Io foi detectada pelo telescópio Gemini Norte e pelo Infrared Telescope Facility (IRTF), também localizado no topo de Mauna Kea. Esta explosão gerou mais calor do que qualquer erupção vulcânica da Terra, e seria mais parecida com as erupções que devastaram o nosso planeta em sua evolução precoce.

"Estamos usando Io como um laboratório vulcânico, onde podemos olhar para o passado dos planetas terrestres para obter uma melhor compreensão de como essas grandes erupções aconteceram, e quanto tempo elas duram", comentou Ashley Davies, vulcanóloga e investigadora do Laboratório de Propulsão a Jato, da NASA.

Fonte: DSpace / UC Berkeley
Imagens: UC Berkeley / NASA
05/08/14

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Um comentário: