Stephen Hawking anuncia projeto para explorar Alpha Centauri em tempo recorde

breakthrough Starshot
De acordo com o projeto, podemos conhecer 'de perto' os primeiros exoplanetas ainda nessa geração



Mesmo se vencermos o aquecimento global, e sobrevivermos tempo suficiente para enfrentar a próxima era do gelo, a Terra vai morrer. Mesmo se construirmos uma civilização pacífica, proteger o planeta dos asteroides e cometas, e combater pragas mutantes, ainda assim, a Terra irá morrer. Claro, se conseguíssemos realizar essas façanhas, viveríamos em um ambiente muito mais agradável, e a Terra seria tratada com mais respeito... mas mesmo assim, ela vai morrer um dia, e se tornará inabitável.

Alcançar as estrelas é algo necessário se quisermos perpetuar o nosso DNA. Há quem não concorde que o ser-humano seja merecedor de tamanha conquista, porém, sem dúvida alguma, dentro de alguns milhões de anos, a Terra será completamente diferente do que conhecemos. Para sobreviver, a raça humana precisa deixar a Terra. E é justamente isso que alguns cientistas estão almejando.

O projeto de 100 milhões de dólares, chamado Breakthrough Starshot, lançado pelo bilionário Yuri Milner, e apoiado por Mark Zuckerberg, tem a intenção de enviar uma pequena nave espacial para o nosso vizinho estelar mais próximo, o sistema Alpha Centauri. Com um grupo de peritos reunidos para avaliar a viabilidade, e com o apoio do eminente cosmólogo Stephen Hawking, essa ideia está ganhando força.

Breakthrough Prize Foundation
Ilustração do protótipo Breakthrough Starshot.
Créditos: Breakthrough Prize Foundation

Apesar de ser o sistema planetário mais próximo da Terra, a distância até Alpha Centauri é gigantesca: 4,3 anos-luz, ou 1,34 parsecs. Isso significa que viajando na velocidade da luz, levariam 4,3 anos para chegarmos até lá. Como não é possível, pelo menos até onde se sabe, viajar na velocidade da luz, os cientistas pretendem usar lasers para impulsionar a nave espacial, o que faria a viagem durar cerca de 20 anos, e não 30.000 anos (que é o tempo de viagem de acordo com a tecnologia atual).




Ainda há muitos obstáculos lógicos, e o sistema de propulsão a laser ainda é apenas uma ideia recém-nascida, mas teoricamente ela funcionaria perfeitamente, e seria capaz de impulsionar veículos espaciais a velocidades relativistas.

A pequena nave terá velas solares robustas como parte do sistema de propulsão, e todo e qualquer instrumento (como câmeras ou equipamentos de comunicações, por exemplo) precisam ser miniaturizados, a fim de tornar a nave o mais leve possível. Ela funcionará basicamente como um barco a vela, mas o que a impulsionará será o vento solar e seus canhões de laser.




Embora a nave espacial seja muito pequena, do tamanho de um microship, levá-la até o sistema Alpha Centauri é um passo grandioso e pioneiro. Além disso, a nova tecnologia deve melhorar grandiosamente a exploração do nosso próprio Sistema Solar, e abusca por vida. Considerando que a pequena nano-nave espacial alcançará cerca de 20%a velocidade da luz (1.000 vezes mais rápido do que a nave espacial mais veloz), chegaríamos em Plutão em apenas 3 dias. O Sistema Solar ficará pequeno. Teremos um belo jardim para explorar livremente!

Acredita-se que existam planetas potencialmente habitáveis no sistema Alpha Centauri, e se tudo der certo, quem sabe possamos descobrir isso em breve, ainda nessa geração?!!





Imagens: (capa-ilustração/Galeria do Meteorito/Breakthrough Prize Foundation) / Breakthrough Prize Foundation
14/04/16


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

24 comentários:

  1. 100 milhões de dólares, esmolinha perto do rombo da Petrobrás, ah se esse país fosse sério! Parabéns a essa iniciativa, quero ver imagens do sistema alpha centauri nessa vida ainda!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 1,5 bi de corte em Ciência e Tecnologia,só no orçamento de 2016,a única estrela que brasileiro conhecerá é a estrela da morte, hercolobus do Brasil, chamada PT

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. ÓTIMA MATÉRIA. A QUESTÃO NÃO É BEM O VALOR MONETÁRIO, SIM OS RISCOS DE UMA VIAGEM DESSA PROPORÇÃO.TEM MUITO ESTUDO ENVOLVIDO, E EU ACREDITO QUE PRA PODERMOS IR ATÉ ALFA CENTAURI, VAI LEVAR MUITOS E MUITOS ANOS AINDA. MAS, A ESPERANÇA SEMPRE PREVALECE. ESTAMOS NO LIMIAR DA EXPLORAÇÃO ESPACIAL. ABRAÇOS A TODOS.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas que risco? É uma sonda que faria a viagem até lá e não uma missão tripulada;

      Excluir
  4. A dimuiçao da massa da nave, mesmo nessas proporções nânicas, se deve a Lei da Relatividade Geral. Muita energia para acelerar esta nave a 1/3 C, hein....

    Ah, como poderíamos DESACELERAR nossa vela espacial quando estivermos chegando?? Ctreio que a velocidade máxina deva ser obtida exatamente na metade da distância entre os sistemas. Talvez, usando a energia estelar das Centauri, progressivamente, com um efeito similar ao de um reverso de aeronave.

    Vamos lá: tenho saudades do futuro!

    ResponderExcluir
  5. Uma nave dessa precisaria de comandos precisos.para desviar d qualquer objeto em seu caminho levando em conta seu tamanho qualquer fragmento cósmico em seu caminho seria fatal!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, ela não teria, nenhuma nave ou objeto espacial já construído têm a capacidade de desviar de objetos, não só porque é absurdamente dificil detectar objetos vindo em sua direção em altíssima velocidade, mas porque é algo extremamente raro de acontecer, é mais fácil a o satélite ser danificado por radiação ou campos eletromagnéticos do que colidir com um objeto pelo caminho.

      Excluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Verdade, Ricardo, pensei nisso também.

    20 anos viajando e passar por todo o percurso sem se aproximar de algum corpo errante pelo intervalo entre os sistemas é uma verdadeira loteria.

    ResponderExcluir
  8. Tá até que bem movimentada as postagens aqui no site. Desde o dia 11 que colocaram uma por dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Elias!

      Na verdade, sempre postamos uma matéria por dia, isso já faz alguns anos, sem falha, com exceção dos finais de semana. Porém, se surgir uma notícia muito importante e significativa, postamos nos finais de semana também.

      Um grande abraço a todos!

      Excluir
  9. O maior problema que vejo é a miniaturização. Pelo que vejo é uma forma rápida de chegar lá e descobrir uma nova Terra. Feito isto teríamos o início da imigração. Mas, se para ir a Marte já é problema, imagina uma viagem de 30 mil anos no espaço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi sempre sabido que a sobrevivência da humanidade depende de um único fator, controlar a gravidade para se mover no espaço sem acelerar inercialmente, o problema é que nem sabemos se a gravidade é algo que pode ser manipulado, se nunca conseguirmos fazer isso, iremos ser extintos no nosso sistema solar. No máximo iremos viver mais tempo colonizando marte, mas não dar para a espécie viver para sempre em um único sistema solar.

      Excluir
  10. O maior problema que vejo é a miniaturização. Pelo que vejo é uma forma rápida de chegar lá e descobrir uma nova Terra. Feito isto teríamos o início da imigração. Mas, se para ir a Marte já é problema, imagina uma viagem de 30 mil anos no espaço.

    ResponderExcluir
  11. Deus queira que esteja vivo até lá. Parabéns pela matéria.

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Esperando as imagens ansiosamente!

    ResponderExcluir
  14. Mesmo se chegamos a um planeta possivelmente habitável, temos q leva em conta, q ja esta colonizada por promitivos, ou seres de outros planetas, então não poderíamos requere pra nois, pense no inverso, seres de outros planetas colonizando a Antártica, ou polo norte, ou os oceanos, ou ate mesmo o Brasil, ou ja se esqueçeram do muro de Berlim, separando um país, de um mesmo povo.

    ResponderExcluir
  15. Concordo, com a iniciativa de Walking, Alfa centauro deve ter possiveis planetas compactiveis com nossa espécie , e sim Podemos espalhar nosso DNA muito além disso.

    ResponderExcluir