Proxima b pode ser um mundo de água mais habitável do que imaginávamos

Proxima b pode ser um mundo de água
O exoplaneta mais próximo do nosso Sistema Solar pode ser coberto por um oceano de água líquida com mais de 200 km de profundidade!



A descoberta de um planeta nas proximidades da estrela Proxima Centauri certamente se tornou uma notícia emocionante, pois além de ser o exoplaneta mais próximo do Sistema Solar, tudo indicava que ele era um planeta parecido com a Terra, localizado na zona-habitável de sua estrela (onde a água pode existir em estado líquido na superfície). Mas algumas coisas ainda não estavam claras, até agora...

Um novo estudo feito por cientistas da Universidade de Marselha e do Instituto Carl Sagan, indica que a massa do exoplaneta pode consistir em até 50% de água, o que o tornaria um "planeta oceânico".

De acordo com os resultados da equipe Pale Red Dot, Proxima Centauri b orbita sua estrela a uma distância estimada de 7 milhões de km (apenas 5% da distância entre a Terra e o Sol). Seu período orbital seria de 11 dias, e o exoplaneta tem rotação sincronizada (como a nossa Lua) ou ressonância orbital 3:2, ou seja, completa 3 rotações a cada 2 órbitas ao redor da estrela.




Devido a isso, a água líquida pode se limitar ao lado voltado para sua estrela (se o planeta tiver rotação sincronizada), ou na zona tropical (no caso de uma ressonância orbital 3:2). Além disso, a radiação que Proxima b recebe de sua estrela anã vermelha é bem maior do que aquela que estamos acostumados aqui na Terra.

No entanto, de acordo com um estudo conduzido por Bastien Brugger do Laboratório de Astrofísica da Universidade de Marselha, Proxima b pode ser mais úmido do que se pensava anteriormente. A equipe de pesquisa usou modelos de estrutura interna para calcular o raio e a massa de Proxima b.

superfície do exoplaneta Proxima b - ilustração artística
Ilustração artística mostra como os astrônomos acreditavam ser a superfície do exoplaneta Proxima b.
Estudos recentes mostram que ele pode ser mais úmido do que se pensava.
Créditos: ESO         Clique na imagem

Seus modelos foram baseados na suposição de que Proxima b seja um planeta terrestre (composto de material rochoso e minerais) e que não tem uma atmosfera maciça. Com base nestes pressupostos, e nas estimativas de massa produzidas pela pesquisa da Pale Red Dot (~ 1,3 massas terrestres), concluiu-se que Proxima b tem um raio que fica entre 0,94 e 1,4 vezes o raio da Terra, e uma massa que é aproximadamente 1,1 e 1,46 vezes a da Terra.

Essa gama de tamanhos permite algumas composições planetárias muito diferentes. Por um lado, Proxima b pode ser um planeta menor e mais massivo do que a Terra, parecido com Mercúrio. Por outro lado, na outra extremidade de possibilidades, Proxima b pode ser um pouco maior e mais massivo do que a Terra, provavelmente composto por 50% de água.




"Se o raio é 0,94 o raio da Terra, então Proxima b é totalmente rochoso com um núcleo metálico enorme (como nosso vizinho Mercúrio)", disse Bastien. "Pelo contrário, Proxima b pode chegar a um raio de 1,40 se abrigar uma enorme quantidade de água (50% da massa total do planeta), e neste caso, seria um 'planeta água', com um oceano líquido de 200 km de profundidade! Abaixo disso, a pressão seria tão alta que a água se transformaria em gelo, formando uma camada de mais ou menos 3.000 km de espessura, em que haveria um núcleo composto de rochas. "

Em outras palavras, Proxima b pode ser um planeta com um oceano líquido no lado virado para sua estrela, e coberto por gelo na parte escura (caso tenha rotação sincronizada), ou então, se tem ressonância orbital de 3:2, teria dois oceanos líquidos em ambos hemisférios oriental e ocidental, mantendo algumas regiões congeladas. No entanto, se as estimativas inferiores forem as verdadeiras, então Proxima b seria apenas um planeta rochoso, denso, onde a água líquida é rara de um lado e congelada do outro.

Proxima b orbitando sua estrela anã vermelha
Ilustração artística mostra o exoplaneta Proxima b orbitando sua estrela anã vermelha Proxima Centauri,
a estrela mais próxima do Sistema Solar.
Créditos: ESO / M. Kornmesser         Clique na imagem para ampliar

Estudos recentes sugerem que a primeira opção (oceano líquido de um lado e gelo do outro) seria a mais provável, no caso de planetas que orbitam dentro das zonas habitáveis ​​de anãs vermelhas, por conta da rotação sincronizada ser a mais viável.

Talvez o ponto mais interessante dessas novas pesquisas é que elas suportam ainda mais a possibilidade de Proxima b ser um mundo habitável. "Planetas cobertos por grandes oceanos não precisam de uma atmosfera de oxigênio ou nitrogênio para abrigar vida, uma vez que ela pode se desenvolver nas profundezas dos oceanos", disse Bastien.

mundo de água
Ilustração artística de um mundo de água. Créditos: David A. Aguilar / CfA
Clique na imagem para ampliar

Mas claro, estes cenários são baseados no pressuposto de que a massa de Proxima b seja algo em torno de 1,3 massas terrestres. Até que o planeta possa ser observado durante um trânsito em Proxima Centauri (passando na frente de sua estrela-mãe de acordo com nosso ponto de vista), os astrônomos não têm certeza absoluta de seu tamanho e massa.




Ainda estamos num longo caminho para desvendar de vez os segredos de tamanho, composição e características de superfície de Proxima b, necessários para compreender se há de fato a chance do exoplaneta abrigar vida. Se houver mesmo a chance de Proxima b ser habitável, já imaginou quais tipos de vida poderiam existir por lá?!!




Imagens: (capa-ilustração/David A Aguilar) / ESO / M. Kornmesser / David A. Aguilar / CfA
10/10/16


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

6 comentários:

  1. Isso que é o que acho mais legal da astronomia, não há limites para as possibilidades. Sempre fico imaginando como seria esses lugares, propostos pelos astrônomos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pena que, com a tecnologia que a humanidade diapoe atuaente iria demorar pelo menos 20.000 anos para alcançarmos o sistema Alpha Centauri.

      Excluir
    2. Pena que, com a tecnologia que a humanidade diapoe atuaente iria demorar pelo menos 20.000 anos para alcançarmos o sistema Alpha Centauri.

      Excluir
    3. na verdade a teclonogia humana esta evoluindo muito em breve vam criar uma nave tam rapida que chegara em marte em 30 minutos a NASA esta fazendo uma.

      Excluir
  2. Passei horas pensando como seria este mundo, e me questionado sobre os dados obtidos com a simulação... Qualquer se seja a aparência do exoplaneta, é incrível saber que ai "próximo" há um outro mundo, seja habitável ou não.

    ResponderExcluir
  3. Espero estar vivo para vê Próxima b, assim, como tivemos a oportunidade de ver Plutão...

    ResponderExcluir