A famosa Estrela de Belém realmente existiu? O que era afinal?

a estrela de belem existiu - o que era
Ela é uma das estrelas mais conhecidas da história, e também a mais misteriosa...

Quem não conhece, provavelmente já ouviu falar na famosa história bíblica da "Estrela de Belém". Com seu brilho estonteante nos céus, ela teria chamado a atenção de todos em uma determinada época do passado.

Considerando a história de forma literal, o relato diz que a famosa Estrela de Belém apareceu em duas ocasiões: primeiramente no início da viagem dos 3 Reis Magos, e posteriormente, em sua chegada em Belém.

Isso gerou muita especulação por parte de cientistas e leigos, afinal, será que a Estrela de Belém existiu mesmo? E se existiu, o que era afinal? Seria uma cometa? Uma Supernova?...

Os 3 Reis Magos e a Estrela de Belem
Ilustração artística mostra cena com os Três Reis Magos e a Estrela de Belém no céu.
Créditos: divulgação

Após análises e estudos de cartas celestes, percebemos que a tal Estrela de Belém eram na verdade duas "estrelas". Curiosamente, em 12 de agosto do ano 3 aC, Vênus e Júpiter se encontraram no céu antes do pôr do Sol, chegando a apenas 0,15 graus um do outro (se observado a partir do Oriente Médio). Segundo o relato original, a Estrela de Belém teria sido vista por homens "no leste", o que explica a frase do Livro de Mateus.


Dez meses mais tarde, ocorreu uma nova conjunção entre Vênus e Júpiter, mas dessa vez, o encontro foi ainda mais espetacular. Em 17 de junho do ano 2 aC, durante o pôr do Sol da Babilônia, os dois planetas estavam separados por menos de 0,7 graus, a cerca de 35 graus acima do horizonte ocidental. À medida que o céu ficava escuro, eles se aproximavam cada vez mais um do outro, quando finalmente, às 21h15 do horário loca, Vênus e Júpiter estavam separados por apenas 0,01 graus. Isso é muito próximo, e seria praticamente impossível diferenciá-los sem o auxílio de um telescópio. A Estrela de Belém foi portanto mais brilhante do que Vênus.




Outras teorias também apontam que a Estrela de Belém seria o resultado de algum outro evento, como a passagem de um cometa ou uma supernova, porém, de acordo com estudiosos, a explicação "Vênus e Júpiter em conjunção" seria a mais plausível.


Um evento raro

Vênus e Júpiter não aparecem "colados" no céu noturno com tanta frequência. Além disso, o evento tem uma curta duração, já que os planetas estão em constante movimento no céu. Isso significa que uma parte do mundo pode observar os dois juntinhos, e algumas horas mais tarde, eles já estarão "desgrudados" para outros observadores de outra região do globo.




E não são apenas os planetas Júpiter e Vênus que se encontram. De tempos em tempos, Saturno, Mercúrio e Marte também podem ser vistos juntinhos no céu noturno. Mas diferente de Vênus e Júpiter, eles não são os planetas mais brilhantes, e com isso, a "estrela" resultante de seus encontros não é tão clara quanto a famosa Estrela de Belém.

Venus, a estrela dalva
Foto do planeta Vênus, conhecido popularmente como Estrela d'Alva, ao amanhecer.
Créditos: Martin J Powell

Um fato curioso é que no passado, as pessoas eram muito mais ligadas ao céu noturno. Um evento de conjunção entre planetas (ou qualquer outro evento astronômico) chamava a atenção de todos, e eles não tinham internet para serem avisados. Tudo se baseava apenas na observação.




Atualmente, as luzes das cidades tiraram o brilho das estrelas, nos presenteando com um céu alaranjado, e distanciando ainda mais as pessoas do céu noturno. Por conta disso, é muito importante ter consciência sobre a poluição luminosa e seus malefícios. Mas isso já história pra uma outra matéria... O importante é que agora você já tem uma boa explicação sobre a Estrela de Belém para seus amigos e familiares.

Desejamos boas festas, e excelentes céus a todos!



Imagens: (capa-ilustração/divulgação) / divulgação / Martin J Powell
23/12/16


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTubeTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 comentários:

  1. Sei que já é hábito mas, não é algo muito correto querer explicar um relato tomando algumas partes como corretas e outras como ficção.

    Assumindo que esses cálculos estão certos (porque nem sempre estão) isso não explica o relato de Mateus, explicaria um fenômeno no céu mas não conforme Mateus o descreve! Logo não deve ser usado para explicar a esteja de Belém conforme Mateus a descreve.

    Se tomarmos a palavra de Mateus por fiel, então essa explicação nada tem a ver com o que ele descreve
    Mas se tomarmos a sua palavra como ficção, então porquê tentar explicar uma invenção?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso não é explicar o relato, é adaptar o relato à explicação.

      Excluir
    2. Ricardo, o nosso intuito não foi questionar o livro de Mateus, tampouco seu relato. Não tomamos como verdade e nem como mentira. Estamos apenas divulgando uma teoria que explica o fenômeno, seja ele ficção ou realidade. Não abordamos de forma religiosa, mas sim de forma imparcial. Cabe a cada um julgar e acreditar naquilo que melhor lhe convier...

      Um grande abraço, e boas festas!

      Excluir
    3. ADOREI REDAÇÃO!!! É isso aí!!! PRIMEIRO A CIÊNCIA. Ninguém vai a igreja quando fica doente e precisa se tratar com urgência.

      Excluir
    4. Na verdade ele nem colocou a ciência em primeiro lugar e sim apenas narrou um fato e explicou uma teoria sobre o assunto sem querer determinar o que é verdade ou mentira

      Excluir
  2. Gostei muito da teoria levantada. Mas como mexe com a religiao de milhares isso sempre será contestado. Parabéns pela matéria!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado Diego!

      Sim, o que você disse é verdade! Mas de qualquer forma, quando abordamos um assunto que envolva religião, tentamos ao máximo fazer da forma mais imparcial possível, tornando o assunto interessante para todos os públicos, sejam eles ateus, religiosos ou agnósticos... mas claro, com base científica sempre.

      Um grande abraço e boas festas, a você Diego, e a todos nossos leitores! :)

      Excluir
    2. Realmente foram totalmente imparciais e com base cientifica. Isso mostra a seriedade do GDM.

      Boas festas e um 2017 com ainda mais sucesso!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fora do Ar, desculpe, mas tivemos que apagar seu comentário, pois ele continha um link pra download. Essa é uma regra do site, e fazemos isso por segurança, para que a navegação por aqui seja sempre segura. O seu link é da Universidade Global de Londres, mas ainda assim, tivemos que deletar... :'(

      Tente incluir essa informação de outra forma, como por exemplo UCL ponto AC ponto UK, ou algo parecido, assim não fica o link direto.

      De qualquer forma, obrigado pelo presente! E um excelente fim de ano a você e a todos nossos leitores!

      Excluir