Misteriosos pontos brancos na Terra descobertos por Carl Sagan podem finalmente ter sido explicados

misteriosos pontos brancos de luz na Terra vistos do espaço
Cientistas sugerem uma explicação para esse estranho fenômeno...

Estranhos brilhos e pontos de luz têm aparecido nas imagens capturadas pelo satélite DSCOVR, de monitoração climática. Esse satélite foi lançado em 2015, e desde então, os bizarros e "inexplicáveis" brilhos vinham surgindo nas imagens registradas. E não apenas os entusiastas, como até mesmo os próprios cientistas responsáveis pela missão não faziam ideia do que poderia ser o estranho fenômeno.

E como não poderia deixar de ser, surgiram inúmeras teorias de conspiração e muitas pessoas se perguntavam: -"Seriam naves extraterrestres?... Bem, de acordo com os cientistas da NASA, não! Na verdade, eles acreditam ter solucionado esse mistério...

Agora, os cientistas da NASA pensam que podem ter descoberto a causa: Manchas de cristais de gelo de alto vôo na atmosfera cintilando ao sol.


Os pontos de luz na Terra

Uma poderosa câmera a bordo do satélite DSCOVR tem fotografado o nosso planeta a cada uma hora desde 2015. Ao examinar essas imagens, Alexander Marshak, cientista do projeto DSCOVR no Centro de Vôo Espacial Goddard da NASA, notou pela primeira vez essas luzes cintilantes sobre os oceanos.

ponto branco de luz fotografado na Terra do espaço
Ponto de luz registrado na Terra pelo satélite DSCOVR.
Créditos: NASA

Logo Marshak descobriu que ele não era o único que havia notado os pontos brilhantes. O astrônomo Carl Sagan percebeu esses brilhos pela primeira vez em 1993, quando a sonda Galileo, que estava estudando Júpiter, virou sua lente rapidamente em direção à Terra. Ao observar esse registro, Sagan e seus colegas notaram a anomalia.

"...um exame atento nas imagens mostra uma região de reflexão - semelhante a um espelho - no oceano, mas não na terra", escreveu Sagan e seus colegas em um estudo que foi publicado na revista Nature em 1993.

pontos de luz registrados na Terra por satélites - Africa
Ponto de luz registrado na Terra pelo satélite DSCOVR.
Créditos: NASA

Estas luzes que Sagan viu nos oceanos, segundo Marshak, "ocorrem quando a luz do Sol atinge protuberâncias suaves nos oceanos, e a luz, em seguida, reflete diretamente no espaço e na câmera". Nesse cenário, o oceano funciona como um verdadeiro espelho para as câmeras. Mas e no caso dos pontos de luz registrados pela DSCOVR?


"Encontramos alguns flashes muito brilhantes sobre a terra também", disse Marshak. "Quando eu vi pela primeira vez, pensei que talvez houvesse água lá, ou um lago no qual o Sol pudesse ser refletido, mas o brilho é muito grande, então não poderia ser isso."


Cristais de gelo cintilantes

Para explicar o fenômeno, a equipe procurou fontes ocultas de água para explicar o brilho do Sol. Uma possibilidade surgiu: cristais de gelo que pairam na alta atmosfera. Para testar essa ideia, a equipe primeiro fez um inventário de todos os raios solares que ocorrem sobre a Terra nas novas imagens de satélite. Em geral, os flashes de luz ocorreram 866 vezes.




Com base na "física da reflexão da luz", apenas certos pontos da Terra devem produzir esses reflexos cintilantes. Somente quando o ângulo entre a Terra e o Sol for igual ao ângulo entre a Terra e a câmera, esses cristais de gelo saltarão diretamente para a câmera e produzirão pontos muito brilhantes. "Com certeza, os flashes ocorreram apenas em momentos e locais na Terra onde esses ângulos correspondiam", afirmaram os pesquisadores na revista Geophysical Research Letters.

pontos brilhantes registrados na Terra por satélites
Ponto de luz registrado na Terra pelo satélite DSCOVR.
Créditos: NASA

Em seguida, eles observaram o ângulo da luz para mostrar que esses brilhos ocorreram quando a luz refletia os cristais de gelo horizontalmente alinhados. Finalmente, os pesquisadores mostraram que a luz provavelmente não estava vindo da Terra. Sempre que esses reflexos ocorreram, eles encontraram nuvens finas, conhecidas como "nuvens cirrus", pairando alto na atmosfera. As nuvens circulares são compostas por cristais de gelo super-resfriados.




Com isso, os pesquisadores sugerem que os bizarros e intrigantes pontos de luz, que eram vistos como OVNIS para muitos, são apenas reflexos da luz solar gerados por cristais de gelo que funcionam como espelhos. Assim como os meteoros, os pontos brilhantes nas imagens de satélite provavelmente são apenas efeitos luminosos, porém, gerados de forma diferente...


Imagens: (capa-NASA/divulgação) / NASA
16/05/17

Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTubeTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário