Radiação cósmica sobre a Terra está aumentando drasticamente

radiação cósmica sobre a Terra está maior
Os raios cósmicos interferem diretamente no clima da Terra. Mas qual o risco para o nosso planeta? Isso é normal?

Desde o início de 2015, os monitores de nêutrons ao redor do Círculo Polar Ártico têm registrado uma intensidade de raios cósmicos cada vez maior. As latitudes polares são ótimos lugares para fazer tais medições, porque é onde o campo magnético da Terra canaliza e concentra a radiação cósmica.

Por outro lado, os pólos da Terra não são os únicos lugares que os raios cósmicos estão se intensificando. Estudantes do Earth and Sky Calculus junto com a rede de monitoramento SpaceWeather lançaram balões de hélio para a estratosfera, a fim de medir os níveis de radiação, e eles encontraram uma tendência que chamou a atenção de todos!

gráfico raios cósmicos sobre a Terra
Créditos: University of Oulu / Earth and Sky Calculus

No gráfico acima, as medições do monitor de nêutrons feitas pela Estação de Raios Cósmicos da Universidade de Oulu, na Finlândia, são traçadas em vermelho; as medições de raios gama e raios-X sobre a Califórnia, EUA, são traçadas em cinza. E a sincronia entre os dois gráficos é notável. Isso significa que a intensificação dos raios cósmicos sobre o nosso planeta não está acontecendo apenas nas regiões dos pólos, como também sobre as latitudes mais baixas, onde o campo magnético da Terra fornece um grau mais elevado de proteção contra a radiação do espaço profundo.




Os raios cósmicos, que são acelerados em direção à Terra por explosões de supernovas distantes e outros acontecimentos violentos, são importantes acontecimentos do clima espacial. Esses eventos podem agrupar nuvens, desencadear relâmpagos e penetrar aviões comerciais. Para se ter uma ideia, as medições feitas pela Universidade de Oulu mostram que uma pessoa fica exposta a radiação equivalente a 2 ou 5 raios-X dentais durante um voo de ida e volta de um canto ao outro de um continente.

radiação cósmica sobre Londres- ilustração
Ilustração artística da radiação cósmica sobre Londres, Inglaterra.
Créditos: University of Birmingham

Da mesma forma, os raios cósmicos podem afetar os escaladores de montanhas, drones em grandes altitudes, satélites e astronautas a bordo da Estação Espacial Internacional.


Sol, o nosso escudo protetor

Por incrível que pareça, as tempestades solares e suas Ejeções de Masa Coronal ajudam a varrer o entorno da Terra, protegendo o nosso planeta dos raios cósmicos. Portanto, a baixa atividade solar permite que uma dose extra de raios cósmicos chegue até a Terra. De fato, o aumento contínuo na intensidade dos raios cósmicos é provavelmente devido ao declínio no ciclo solar. O período de Máxima Solar já passou, e agora estamos indo rumo ao Mínimo Solar.




Analistas preveem que a atividade solar caia acentuadamente nos próximos anos, o que deve aumentar a incidência de raios cósmicos sobre o nosso planeta. Apesar de parecer preocupante, os raios cósmicos não simbolizam um risco para a vida na Terra, já que o nosso planeta possui um campo magnético que funciona como escudo natural. Além disso, os raios cósmicos interagem com o nosso clima há muito tempo, desde o início do Sistema Solar, e mesmo assim, a vida prospera majestosamente.







Fonte: SpaceWeather
Imagens: (capa-ilustração) / University of Oulu / Earth and Sky Calculus / University of Birmingham
29/01/16

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

12 comentários:

  1. Mas as grandes extinções em massas de varios periodos antigos, estavam relacionados aos eventos em que a proteção ''natural'' da terra e o próprio escudo protetor do sol pareciam falhar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TÁ CERTO PIERRE, E OLHA QUE NA ÉPOCA DOS DINOSSAUROS E DE DAS EXTINÇÕES EM MASSA, A TERRA NÃO ERA POLUÍDA, IMAGINE AGORA...

      Excluir
    2. Pierre até onde eu sei, as extinções em massa só tiveram relação a algo vindo do espaço naquele episódio da extinção dos dinossauros e mesmo assim a causa não foram os raios cósmicos e sim um meteoro.

      Excluir
  2. É, SE O SER HUMANO CONTINUAR A QUEIMAR COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS, CONTINUAR A POLUIR O NOSSO PLANETA NO RITMO QUE ESTÁ,VAMOS ,A CADA DIA, DESTRUINDO NOSSA CAMADA DE OZÔNIO. NOSSAS FUTURAS GERAÇÕES VÃO PAGAR O PREÇO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com todo respeito Mário, mas a queima de combustível que produzimos não afeta nem 10% da atmosfera,a atmosfera terrestre é formada por 70% hidrogênio 20% oxigênio e 0,039% de co2, procure se informar antes de falar qualquer coisas, oque define a t do planeta são os oceanos e o sol,não acredite em aquecimento global, ele não existe, abraço

      Excluir
    2. Com todo respeito Mário, mas a queima de combustível que produzimos não afeta nem 10% da atmosfera,a atmosfera terrestre é formada por 70% hidrogênio 20% oxigênio e 0,039% de co2, procure se informar antes de falar qualquer coisas, oque define a t do planeta são os oceanos e o sol,não acredite em aquecimento global, ele não existe, abraço

      Excluir
  3. Parabéns! Mais uma matéria construtiva, informativa, educativa e que nos conscientiza dos fenômenos naturais do cosmos imediatos a nós! Eu adoraria aprender a construir um medidor de radiações caseiro... onde posso acessar as medições desta radiação para a minha região? Temos do hemisf. norte, mas e para o sul? Aguardo o link.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vamos verificar se existem formas de consultar os medidores através de algum site. Enquanto isso, se alguém aí souber e puder dar uma ajuda, seria muito legal!

      Abraços!

      Excluir
    2. Ah, sobre o medidor caseiro, também iremos procurar! Obrigado também pelo elogio! :)

      Excluir
  4. Podemos em breve ter uma espécie de era do gelo então?!

    ResponderExcluir
  5. Posso estar errado, mas me corrijam se for o caso. O lançamento de metais pesados em forma de nano moléculas ramificadas para a atmosférica, prevendo seus reagrupamentos previstos organicamente, poderia eficientemente neutralizar tal radiação. Assim acredito. O que acham?

    ResponderExcluir