Júpiter foi atingido por um grande objeto - veja o vídeo!

objeto asteroide ou cometa colide com Júpiter
O brilho causado pela explosão tinha quase o tamanho da Terra!



No dia 17 de março de 2016, o astrônomo amador Gerrit Kernbauer, de Mödling, na Áustria, estava filmando Júpiter com seu telescópio de 200mm. Isso é uma técnica muito comum para se obter imagens fantásticas (ao empilhar todos os frames do vídeo e criar uma única fotografia). Mas ele filmou algo inesperado!

Era exatamente 00:18:33 (UTC) quando um pequeno flash iluminou a borda do gigante. Gerrit tinha acabado de registrar um impacto de um asteroide ou de um cometa no planeta Júpiter!


Pode não parecer muita coisa, mas comparado com o tamanho do planeta, o brilho foi muito grande, quase do tamanho da Terra! Poderia ser apenas algum tipo de turbulência ou reflexo durante sua observação, se não fosse pelas imagens feitas por um segundo observador, que estava filmando Júpiter exatamente no mesmo instante:


Essa segunda filmagem foi feita por John McKeon, utilizando um telescópio de 280mm de abertura em Dublin, na Irlanda. Separados por centenas de quilômetros, os dois observadores registraram o mesmo evento, e aí que veio a confirmação: um objeto realmente colidiu com Júpiter!


Um asteroide ou um cometa?

Não se sabe se a colisão foi causada por um asteroide ou um cometa. Poderia ser qualquer objeto com algumas dezenas de metros. Logo vem a pergunta: -"Se o objeto era tão pequeno, porque o flash foi tão grande comparado com o planeta?"




Segundo o astrônomo Phil Plait, o brilho e a luz registrada condiz com um objeto de algumas dezenas de metros, isso porque o grande poder gravitacional de Júpiter faz com que os objetos colidam com o gigante cerca de 5 vezes mais rápido, liberando 25 vezes mais energia do que aqueles que colidem com a Terra. "A energia liberada em um impacto depende da massa, portanto o dobro da massa, o dobro da energia", comenta Phil Plait. "Mas a velocidade é ainda mais importante, pois o dobro da velocidade, gera o quádruplo de energia."

O asteroide de Chelyabinsk, por exemplo, tinha 19 metros de diâmetro e liberou uma energia de 500.000 toneladas de TNT. Se fosse em Júpiter, esse mesmo asteroide estaria pelo menos 5 vezes mais rápido. "Agora multiplique isso por 25 e veja que o objeto não precisa ser tão grande para avistarmos daqui da Terra."




A velocidades muito altas, atingir a atmosfera de um planeta é como colidir contra uma parede firme, o que causa muitas vezes, a explosão do objeto no ar.

Júpiter é atingido frequentemente por asteroides e cometas, e impactos como esse são registrados de tempos em tempos. O mais famosos foi a sequência de impactos do cometa Shoemaker-Levy 9 em 1994, quando o poder gravitacional de Júpiter quebrou o cometa em 12 partes, e 5 grandes explosões foram observadas. No vídeo abaixo, veja o primeiro impacto da sequência:



A sequência de impactos do cometa Shoemaker-Levy 9 deixou algumas cicatrizes no hemisfério sul do planeta, como vemos na imagem abaixo:

Cometa Shoemaker-Levy 9 - impacto em Júpiter
Manchas na atmosfera de Júpiter causadas pelos impactos de Shoemaker-Levy 9.
Créditos: Hubble / Wikimedia Commons

Em junho de 2010 um asteroide colidiu com o gigante Júpiter, e foi registrado em uma imagem colorida:

Impacto em Júpiter em 2010
Créditos: Anthony Wesley

O mais interessante é que você não precisa de um observatório profissional para detectar esses impactos. Basta um telescópio com poder suficiente para ver Júpiter com uma certa nitidez, e uma câmera comum que pode ser acoplada para filmar suas observações. Não que seja uma tarefa fácil, afinal, a astrofotografia e a arte de filmar objetos cósmicos requer tempo e paciência, mas quem sabe a próxima grande colisão em Júpiter não seja registrada por você?



Fonte: Bad Astronomy
Imagens: (capa-ilustração/Galeria do Meteorito) / Gerrit Kernbauer / John McKeon / Hubble / Wikimedia Commons / Wikimedia Commons / Anthony Wesley
30/03/16


Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

48 comentários:

  1. Por que eu não estava com o meu telescópio apontado para Jupiter no dia?! Por quê?!
    ლ(ಠ益ಠლ)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milton, qual telescópio você usa, daria para ver claramente Jupiter. Poderia me indicar um. Abraços

      Excluir
    2. Eu uso um maksutov de 90mm da Skywatcher. Na ampliação máxima desse telescópio (180x), eu consigo ver Jupiter e Saturno bem grande e com boa definição. Claro que há vários fatores que influem na qualidade da observação, como: a estabilidade do céu no momento da observação, climatização adequada do telescópio, qualidade do telescópio e da ocular e tamanho do telescópio. Quanto maior o telescópio, mais definição você terá.
      Mas pela experiência que tenho com o meu telescópio de 90mm, eu diria que a partir dessa abertura a diante, você terá um telescópio capaz de proporcionar uma observação muito boa dos planetas.
      Os videos gravados nessa matéria, é bem próximo do que vejo pelo meu telescópio. Quando o céu está muito bom por aqui, vejo até mais nítido do que nesses vídeos.
      O melhor local para comprar telescópio de qualidade e com preço acessível é o Armazem do Telescópio. Dá uma pesquisada lá, que eles sempre estão renovando o estoque e colocando novidades de diferentes aparelhos. Abraço!

      Excluir
    3. Milton, sou iniciante, comprei um Mak Casseigran 90mm, reconheço que pelo fato de não ter experiência deveria ter comprado um Altazimutal.. Enfim, adquiri o mak 90mm, eu consigo achar Jupiter, porém, só vejo o redondo preto iluminado e algumas luas em volta, como consigo ver a cor de Jupiter, qual ocular utilizar? preciso de barlow? se puder me ajudar, ficaria muio grato!

      Excluir
    4. Você está vendo Jupiter preto? O planeta deve estar fora de foco então. Existe um focalizador emborrachado na parte de trás do tubo. Basta gira-lo, enquanto você olha pela ocular, até encontrar o foco certo. Se não achar o foco, gire o focalizador em sentido contrário até conseguir.
      Comece utilizando a ocular de 25mm para facilitar a localização do planeta. Depois troque para a ocular de 10mm, assim você terá uma imagem mais ampliada do planeta.
      Quanto a ver cores... isso dependerá de alguns fatores, como a aproximação do planeta em relação a Terra e a adaptação dos seus olhos no escuro. Normalmente o planeta se apresenta quase monocromatico, devido ao excesso de brilho. É preciso estar bem adaptado ao escuro para conseguir ver as cores do planeta. Com uma ocular de 7mm ou 8mm, comprada separadamente, além de conseguir mais ampliação as cores serão mais fáceis de serem vistas.
      Abraço!

      Excluir
    5. Só para complementar, maksutov não utiliza barlow, pois a distância focal já é bem alta, e oculares são suficientes para alcançar a ampliação máxima recomendável. Com uma ocular de 7mm, você chega no limite do telescópio sem precisar de mais nada. Flw!

      Excluir
    6. Muito Obrigado pela ajuda Milton.

      Excluir
    7. http://armazemdotelescopio.com.br/loja/index.php/telescopios/bkdob10-detail Para ver qualquer ovni 30x mais longe que jupter

      Excluir
    8. Olha gente, ontem por volta das 22:30 estavamos eu e uns amigos fazendo uma reuniao em casa, e minha amiga viu um objeto passando pelo céu, pensou ser um avião e qnd se deu conta falou pra todo mundo, qnd olhei vi um objeto meio verde água, que caia do céu passou por detras das nuvens e em seguida se despedaçou e sumiu atrás de um prédio, me preocupei, n sou um amante de astronomia e tals, porém, me preocupou e procurei por algo na internet e achei esse post sobre o caso de jupiter e me preocupei ainda mais, alguém sabe ou viu algo sobre isso obs. Foi no dia 31/03 quinta feira

      Excluir
    9. É difícil saber o que pode ser, ainda mais pela coloração que você indicou. Pode ser um meteorito ou algum lixo espacial, já que o espaço está repleto de lixo espacial de toda natureza. Abraço!

      Excluir
    10. alguns materiais quanto aquecidos ou queimados emitem certas colorações, provavelmente era algum meteorito não muito grande (também pode ser lixo espacial)

      as cores poderiam indicar os materiais do meteorito

      todos os dias caem milhares de toneladas de poeira e objetos na terra

      o que você viu foi um acontecimento normal eu também já presenciei alguns aqui..

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Kkkk, po cara, se eu tivesse um telescópio eu estaria observando o gigante, ele está magnífico neste mes!
    É impressão minha ou houve um aumento do número de corpos celestes va.gando por essas redondezas, não me lembro de ter lido tantas noticias de cometas, asteroides, meteoritos etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez seja três fatores possíveis, o primeiro e mais simples que talvez tenham aumentado de fato os cometas e etc
      segundo: pode ser porque agora tem mais pessoas do que nunca olhando para o seu com seus equipamentos
      Terceiro: atrelado com a segunda, informação nunca esteve tão rapida e fácil como é então você vê mais isso hoje porque simplesmente todas informações chegam até você rapidamente...

      Excluir
    2. https://youtu.be/gQLZDPy7Y28 caro amigo de uma olhada nessa matéria.

      Excluir
    3. https://youtu.be/gQLZDPy7Y28 caro amigo de uma olhada nessa matéria.

      Excluir
  4. Ou a quarta possibilidade de algum corpo celeste estar a empurrar outros corpos menores devido ao seu campo gravitacional que se aproxima??????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha só o que aconteceria se a Terra fosse do tamanho de Júpiter
      https://youtu.be/2KBip-eydeE

      Excluir
  5. Pessoal, aproveitando o "espaço da matéria" alguém poderia me indicar um telescópio para compra onde eu consiga visualizar planetas com um preço bacana?
    Não tenho noção nenhuma para esse tipo de equipamento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procure no google por "Armazém do Telescópio" ou "Tellescópio", procure o Maksutov Cassegrain de 90mm.

      Excluir
  6. isso n é nenhum tipo de explosão.até por q n foi confirmado pela nasa.se fosse um cometa teria durado mas de um segundo pra explosão baixar.todavia é algum tipo de ilusão.alguma passando por traz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi colisão mesmo. Astrônomos amadores de várias partes do mundo viram e se fosse corpo passando por trás ele se "deseclipsaria". Se não me engano a ESA viu, mas não tenho ctz.

      Excluir
  7. "Tempestades solares ascendem auroras brilhantes em Jupiter" ->
    "Tempestades solares acendem auroras brilhantes em Jupiter"

    ResponderExcluir
  8. esse gigante gasoso é realmente magnifico! Bela matéria GDM!

    ResponderExcluir
  9. me explica uma coisa.. pq desapareceu tao rapido logo apos o "impacto"?? eu nao entendo... mas sera q nao era pra ficar mais exposto o sinal?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ata.. o deolhonoceu ja respondeu minha duvida rsrs.. valeu

      Excluir
  10. Galera segue o comentário abaixo do usuário "UniInverso " do site OviniHoje.
    Aproveitando deixo novamente as instruções que dizem que a Marinha dos EUA gravou o momento do impacto mas que foi gravado no dia 20, segue as instruções abaixo de como entrar no site e localizar a gravação (vídeo) deste evento citado neste post. Saudações a todos, Faça o passo-a-passo: http://secchi.nrl.navy.mil/?p=js_secchi Selecione TELESCOPE HI1 . Observatory SECCHI-A, Date 20160320, Start Hour: selecione 07, End Hour: selecione 23. Clique no Botão SUBMIT (Enviar) e veja o vídeo.

    ResponderExcluir
  11. Obrigado por defender a terra Jupiter.

    ResponderExcluir
  12. Justamente quando eu não estou com meu telescópio observando, acontece esse magnífico fenômeno! :(

    ResponderExcluir
  13. Tenho um skywatch 150mm e uma câmera asi120mc. Tenho tido ótimas filmagens bem nítidas. O que ainda está me dificultando e manusear de forma rápida o softwer da câmera.

    ResponderExcluir
  14. Novamente a teoria de Immnuel Velikovky, faz mais sentido que antigamemnte quando o autor mostrou esta teoria no seu livro "Mundos em Colisão". Alguem quer discutir, primeiro lea o livro !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um fenomeno que estaria relacionado com a teoria de Velikovsky !!!

      Excluir
    2. Mais um fenomeno que estaria relacionado com a teoria de Velikovsky !!!

      Excluir
  15. Passou em vários canais de TV essa colisão. Como Júpiter é o maior planeta dos sistema solar, a probabilidade de colisões é bem maior, inclusive pela sua força de gravidade. Excelente artigo.

    ResponderExcluir
  16. Ola bom dia Milton Kajita, não sei se a ultima mensagem chegou, mas gostaria por gentileza que indicasse um telescópio para observação e fotografia, de planetas e cometas, esse que mencionou maksutov de 90mm da Skywatcher, serve para meu propósito, ou um de 150mm

    Desde já agradeço

    Fique com Deus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Jair!

      Para astrofotografias ou para observações, quanto maior melhor. Um de 90mm será ótimo para observar a Lua, e te mostrará Saturno e Júpiter satisfatoriamente, mas para astrofotografias é mais indicado um de 150mm com certeza!

      Abraços!

      Excluir
    2. Desculpe a demora em responder. Eu sempre esqueço de assinalar para receber notificação para novas mensagens.
      Para fotografia, qualidade óptica é mais importante do que abertura. Tanto é que existem muitos astrofotógrafos que utilizam telescópios apocromáticos de 80mm de abertura.
      E tão importante quanto qualidade óptica, está o tipo de montagem que será utilizada. Nesse caso é importante que a montagem seja equatorial e motorizada, para que o registro fotográfico de longa exposição não sofra o efeito de rotação de campo, que normalmente acomete fotografias feitas com montagens dobsonianas ou altazimutais.
      A camera também é importante, sendo adequado pelo menos um câmera do tipo DSLR ou câmeras especificas para astronomia.
      Os dois telescópios que você citou, ambos servem para astrofografias, em montagens equatorias adequadas. No caso do 150mm é preciso uma montagem equatorial maior e mais robusta, portanto mais cara.

      Excluir
    3. Só complementando... a abertura do telescópio (o diâmetro) tem a vantagem de reduzir o tempo de exposição em fotografias, já que a captação de luz do objeto celeste é acelerado devido a maior abertura do telescópio. A distância focal menor também acelera esse processo de redução de exposição, embora dependendo do telescópio (newtoniano), tende a causar distorção nas bordas da imagem. Abraços!

      Excluir
    4. Só complementando o complemento... rsrs
      Se o objetivo for apenas fazer fotografias de planetas, então não será necessário montagem equatorial. Pois planetas não precisam de fotografias de longa exposição, como nebulosas e galáxias exigem.

      Excluir
  17. Muito interessante. Sou fissurado nessas coisas.
    Estão de parabéns pelas matérias. Sempre leio todas e quando chego no fim e vejo as outras matérias eu leio tbm é assim leio umas cinco direto kkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelos elogios André! Ficamos muito felizes!

      Seja sempre bem vindo. Um grande abraço!

      Excluir
  18. Tenho uma duvida, Jupiter tem ou nao tem superficie?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem sim porem a pressão destroi tudo que é atraído por ele e sua atmosfera é acida com tempestades imensuráveis. Sua gigantesca presença no sistema solar foi que possibilitou vida na terra pois atrai para si os maiores asteroides.

      Excluir
  19. Graças aos gigantes gasosos, nós ainda estamos aqui aporrinhando uns aos outros! rsss

    ResponderExcluir