Uma nave espacial poderia chegar no Sol?

uma nave espacial pode chegar até o Sol?
Seria possível pousar em sua superfície?

Os seres humanos enviaram espaçonaves para a Lua, Marte e até mesmo para o espaço interestelar distante. Mas será que é possível enviar uma nave espacial para o Sol?

A resposta é: depende.

Pousar no Sol seria extremamente complicado, pois o calor escaldante derreteria qualquer equipamento ou material conhecido, e no momento, ainda não existe nenhuma tecnologia capaz de anular tais efeitos. Por outo lado, chegar próximo do Sol é possível, e uma missão da NASA está prestes a fazer isso.




Se tudo der certo, em 2018 a NASA lançará a missão Solar Probe Plus, com destino ao Sol. A Terra está a cerca de 149 milhões de quilômetros do Sol, e a Solar Probe Plus está programada para chegar a apenas 6,4 milhões de quilômetros da nossa estrela.

temperatura do Sol em comparação com outras estrelas
Temperatura do Sol em comparação com outras estrelas.
Créditos: NASA         /         Tradução e Edição: Galeria do Meteorito

"Esta será a nossa primeira missão para o Sol", disse Eric Christian, cientista de pesquisa da NASA. "Não podemos chegar até a superfície do Sol, mas a missão vai chegar perto o suficiente para responder a três questões importantes", disse ele.


Por que a atmosfera do Sol é mais quente do que sua superfície?

Em primeiro lugar, a missão visa revelar por que a superfície do Sol, chamada fotosfera, não é tão quente quanto a atmosfera do Sol, chamada corona. A temperatura da superfície do Sol é de apenas cerca de 5.500 graus Celsius, porém, a atmosfera acima dela chega a registrar 2 milhões °C.


"Pensávamos que quanto mais longe estivéssemos de uma fonte de calor, mais frio ficaria", disse Christian. "Mas como a atmosfera está mais quente do que a superfície, isso virou um grande quebra-cabeça."


Por que os ventos solares são tão rápidos?

Em segundo lugar, os cientistas querem saber como o vento solar consegue atingir tamanha velocidade. "O Sol sopra um fluxo de partículas carregadas em todas as direções a 1,6 milhões de quilômetros por hora", disse ele. "Mas não entendemos como isso acontece."

vento solar
Ilustração artística mostra o impacto que os ventos solares causam no campo magnético da Terra.
Créditos: NASA

Temos conhecimento sobre o vento solar há anos, e as caudas dos cometas provam isso, pois elas se alinham na direção oposta ao Sol, mesmo se o cometa estiver viajando em outra direção. Isso já sugeria que alguma coisa, ou melhor, o vento solar, estava sendo ejetado do Sol a uma velocidade maior que a do cometa. Isso é uma das questões primordiais que a missão deseja esclarecer.


Por que o Sol emite partículas de alta energia?

Em terceiro lugar, a missão pode determinar por que o Sol ocasionalmente emite partículas de alta energia, chamadas partículas energéticas solares, que são um perigo para astronautas desprotegidos e espaçonaves.


Os pesquisadores tentaram desvendar esses mistérios daqui da Terra, "mas o problema é que estamos a 149 milhões de quilômetros de distância", disse Christian. "A distância faz com que as coisas fiquem com pouca nitidez, e por isso é difícil identificar o que torna isso possível."


Uma missão super quente

Chegar a apenas 6,4 milhões de quilômetros do Sol tem seus desafios. O principal desafio, sem dúvida, é o calor. Para lidar com as temperaturas extremas, os cientistas da NASA criaram um escudo de carbono de 11,4 centímetros de espessura, que é projetado para suportar temperaturas de até 1.370°C, de acordo com um colaborador da NASA do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins, que está auxiliando na missão Solar Probe Plus.

Além disso, a sonda terá tubos de aquecimento chamados "radiadores térmicos" que irão irradiar calor que permeia o escudo de proteção, evitando danos aos instrumentos mais sensíveis.




Se essas proteções funcionarem como o esperado, os instrumentos na sonda permanecerão à temperatura ambiente, disse Christian. O Solar Probe Plus também será protegido da radiação, que seria fatal para os circuitos elétricos da sonda, especialmente sua memória, disse ele.

Ilustração artística da sonda Solar Probe Plus, que será enviada ao So
Ilustração artística da sonda Solar Probe Plus, que deverá ser enviada ao Sol.
Créditos: NASA

A nave espacial não será tripulada, mas se houver dinheiro e tempo suficientes, os cientistas da NASA poderiam desenvolver uma nave espacial capaz de transportar com segurança um astronauta, e colocá-lo a menos de 6,4 quilômetros do Sol, disse Christian. No entanto, o custo de uma vida humana é grande, e esse risco não existe em uma missão não tripulada.




Se tudo correr como planejado, a sonda Solar Probe Plus baterá o recorde de proximidade com o Sol, e poderá chegar o mais próximo do Sol do que qualquer objeto feito pelo homem já o fez. Até agora, a nave espacial que chegou mais próxima do Sol foi a Helios 1, lançada em dezembro de 1974, que chegou a 47 milhões de quilômetros de distância da superfície solar. A missão Helios 2, lançada em abril de 1976, chegou a 44 milhões de quilômetros.




Mais recentemente, a sonda Messenger, lançada em agosto de 2004, explorou Mercúrio, que está a cerca de 58 milhões de quilômetros do Sol, o que já é uma proximidade muito grande do escaldante Astro Rei.


Imagens: (capa-ilustração/NASA) / NASA / Galeria do Meteorito
31/03/17

Gostou da nossa matéria?
Curta nossa página no Facebook
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTubeTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. Ei...estou procurando um grupo de Whatsapp para informações sobre física de partículas. Sabem de algum? Obrigado

    ResponderExcluir
  2. Ei...estou procurando um grupo de Whatsapp para informações sobre física de partículas. Sabem de algum? Obrigado

    ResponderExcluir