Planeta extrassolar na zona habitável possui água, nuvens e chuva, anunciam cientistas

exoplaneta possui água, nuvens e chuva
Este é o menor exoplaneta onde o vapor de água já foi detectado


De forma inédita, os cientistas detectaram vapor de água e possivelmente nuvens de água líquida na atmosfera de um exoplaneta estranho que fica na zona habitável de sua estrela, a cerca de 110 anos-luz de distância.


Um novo estudo sobre o planeta K2-18b, detalha as descobertas desse mundo descoberto em 2015, que orbita uma estrela anã vermelha numa distância que faz com que ele receba a mesma quantidade de radiação de sua estrela que a Terra recebe do Sol.

Os cientistas já descobriram exoplanetas gigantes gasosos que possuem vapor de água na atmosfera, mas este é o menor planeta onde o vapor de água já foi descoberto. O novo artigo sugere ainda que este planeta possui nuvens e até mesmo chuva de água líquida.

"A detecção de vapor de água foi bastante clara para nós", disse o autor principal, Björn Benneke, professor do Instituto de Pesquisa sobre Exoplanetas da Universidade de Montreal.


Björn e seus colegas desenvolveram novas técnicas de análise para fornecer evidências de que nuvens formadas por gotículas de água líquida provavelmente existem no planeta K2-18 b. "De certa forma, esse é o 'Santo Graal' do estudo de planetas extra-solares ... evidências de água líquida", disse ele.

O estudo foi publicado na revista de pré-impressão arXiv.org. Em seguida, um segundo estudo de outra equipe de pesquisadores também anunciou a descoberta de vapor de água na atmosfera de K2-18 b. Este segundo estudo foi publicado na revista Nature Astronomy.


Um mundo bizarro

Os pesquisadores encontraram evidências de água líquida e de hidrogênio da atmosfera deste exoplaneta que se encontra na zona habitável de sua estrela, portanto, é bastante provável que este mundo seja realmente habitável.




Por outro lado, a atmosfera de K2-18b é extremamente espessa, criando condições de alta pressão, e com isso, os pesquisadores acreditam que "a vida como a conhecemos" não deve existir na superfície do planeta.

ilustração artística de uma Super-Terra - Alex Boersma
Ilustração artística do exoplaneta K2-18b.
Créditos: Alex Boersma

Mas Björn não descarta a possibilidade de que este exoplaneta possa hospedar alguma forma de vida. "Certamente não há nenhum animal rastejando neste planeta", disse ele. Isso é verdade, dado o fato de que 'não há nada para ser rastejado', porque o planeta realmente não tem superfície", acrescentou.



Chuva eterna e pressão esmagadora

"A maior parte desse planeta, em volume, é um envelope de gás", disse ele. Como Björn descreveu, o planeta provavelmente tem um núcleo rochoso cercado por camadas extremamente espessas de gás hidrogênio, e contém muito vapor de água.




Por não ter uma superfície, propriamente dita, a chuva não se acumula no planeta. À medida que a chuva cai, o calor do planeta faz com que a água evapore e volte para as nuvens, onde se condensa e cai novamente.

Por conta da alta pressão esmagadora, praticamente qualquer nave espacial seria completamente destruída ao descer pelas camadas espessas de gás.

K2-18b tem cerca de 9 vezes a massa da Terra, e é cerca de duas vezes maior.

Utilizando dados de observação do Telescópio Espacial Hubble, feitas entre 2016 e 2017, os pesquisadores puderam analisar 8 passagens deste exoplaneta em frente a sua estrela hospedeira. Com isso, os cientistas conseguiram detectar as assinaturas das moléculas de água que existem na atmosfera deste planeta.




Os pesquisadores planejam expandir ainda mais as observações de K2-18b com o futuro Telescópio Espacial James Webb, da NASA, que deve ser lançado em 2021. Com pesquisas deste tipo, podemos futuramente encontrar planetas muito parecidos com a Terra. "Ainda não chegamos lá", disse Björn. "Mas isso é realmente emocionante."



Imagens: (capa-ilustração/ESA/Hubble) / ESA / Hubble / M. Kornmesser / Alex Boersma
11/09/19


Gostou da nossa matéria?
Inscreva-se em nosso canal no YouTube
para ver muito mais!


Encontre o site Galeria do Meteorito no Facebook, YouTube, InstagramTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.

5 comentários:

  1. Chance de vida num planeta praticamente gasoso? Interessante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico imaginando como poderia ser o aspecto de uma possível forma de vida habitando um planeta gasoso.

      Excluir
    2. Você fica imaginando como? Então conta para a gente como é o aspecto dessas formas de vida nesse planeta na sua imaginação.

      Excluir
    3. ôoo Zé das Mangueiras, eu mesmo nao imagino, sei muito bem como é um morador desse planeteas, soltam muito pum devido aos gases.

      Excluir
    4. Ah caro Astro Intruso, esse que é o problema! A gente - bom, pelo menos eu - é tão acostumado com as formas de vida do nosso planeta sólido que é extremamente difícil projetar como seria o aspecto de alguma possível criatura habitante de um mundo gasoso.

      Mas isso me faz lembrar uma descrição contida no livro do Arthur Clarke "2001 - Uma Odisseia no Espaço", que deu origem ao famoso filme do Kubrick, e também na sequência "2010 - O Ano em que Faremos Contato". Em um capítulo, ele descreve seres primitivos que habitariam Júpiter que se assemelhavam a ovelhas feitas de nuvens. Pena que essa é uma das partes do livro que não entrou no filme; aliás, eles diferem bastante. Mas o livro é tão legal quanto o filme.

      Excluir