Aqui está todo o Universo Observável em apenas uma imagem!

todo o universo observável em uma única imagem
É uma visão deslumbrante do Universo!

Qual é a definição de arte? Bem, ela pode variar de acordo com cada indivíduo. Algumas pessoas se concentram em coisas muito pequenas, e outras em cores... mas o artista Pablo Carlos Budassi abriu os olhos para o Universo inteiro (literalmente)!

Pablo está chamando a atenção na internet com seu novo trabalho artístico, no qual foi criada uma visualização logarítmica deslumbrante do Universo observável. Sua criação foi disponibilizada no Wikimedia Commons em 2013.

Universo Observável - imagem
Todo o Universo Observável em uma única imagem.
Créditos: Pablo Carlos Budassi / Wikimedia Commons
Clique na imagem para ampliar

Logaritmos ajudam a "dar sentido aos números muito grandes", e neste caso, às distâncias quase inimagináveis. Em vez de mostrar todas as partes do Universo em uma escala linear, cada pedaço do círculo representa um campo de visão de várias ordens de magnitude maior do que aquilo que vimos antes dela. E apenas assim é possível colocar todo o Universo observável em um círculo que preenche toda a tela do seu monitor (ou até smartphone)!

A ilustração é realmente espetacular, e mostra o nosso Sistema Solar no centro (com as partes internas e externas do nosso sistema), seguido do Cinturão de Kuiper, Nuvem de Oort, Alpha Centauri, Braço de Perseus, a Via Láctea, a Galáxia de Andrômeda, as galáxias próximas, teia cósmica, radiação cósmica de microondas e o plasma invisível do Big Bang em seus limites, de acordo com a descrição do arquivo no Wikimedia Commons.




Em uma entrevista à TechInsider, Pablo Budassi disse que se inspirou para criar a arte enquanto desenhava hexaflexágonos. Flexágonos são formas geométricas que conforme vão sendo dobradas ou desdobradas, podem mostrar e esconder diversas faces diferentes.

"Então, quando eu estava desenhando hexaflexágonos de aniversário para meus filhos, comecei a desenhar pontos de vista centrais do cosmos e do Sistema Solar", disse Pablo. "Naquele dia, a ideia de uma visão logarítmica do Universo veio em minha cabeça, e após alguns dias, utilizando imagens da NASA e com a ajuda do Photoshop, consegui criar a bela visão do Universo observável."

A arte do Universo Observável de Pablo Budassi é extremamente complexa, e ficou famosa em todo mundo! Mas pra quem consegue fazer hexaflexágonos como passa-tempo, não deve ter sido tão difícil...







Fonte: DSCOVRD
Imagens: (capa-Pablo Carlos Budassi / Wikimedia Commons) Pablo Carlos Budassi
07/01/16

Encontre o site Galeria do Meteorito no FacebookTwitter e Google+, e fique em dia com o Universo Astronômico.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

26 comentários:

  1. A imagem é bonita, mas está longe de ser uma representação do universo observável. O autor da imagem diz ter feito uma representação logarítmica em ordem de magnitude, porém não seguiu o conceito proposto. Os problemas da representação já começam no sistema solar, com planetas mais afastados sendo maiores que planetas mais próximos da Terra, como Netuno maior que Urano, e quase do tamanho de Saturno.
    Está faltando também representações de diversas nebulosas de grande visibilidade no espaço, que deveriam estar circunscritas ao circulo de galáxias. As galáxias deveriam estar em pontos distintos e não em um raio de igual distância em relação a Terra, afinal estão em posições do espaço completamente distintas uma das outras.
    Bom... sei que estou sendo chato, mas é apenas para alertar que essa imagem, embora bastante bonita, não é uma representação nem sequer aproximada do universo observável.
    Agora... me xinguem a vontade. rsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Netuno é maior que Urano, depois vem saturno, não sabia disto?

      Excluir
  2. todo mundo fez a mesma analise que vc, mas poucos igual a vc não entendeu a graça e a deslumbrante imagem que é, afinal foi dentro de um circulo oque vc esperaria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O que você não entendeu, é que o autor disse que usaria uma escala logarítmica de magnitude, para representar a visão do cosmos em 360º, em ordem de distância. Ou seja, ele disse que usaria a matemática para fazer a representação, e não apenas dons artisticos.
      Nesse caso, o uso do logaritmo na imagem deveria ter a função de transformar a magnitude de visualização do nosso céu escuro em 360º em uma escala que começaria dando enfase para objetos mais brilhantes (menor magnitude), até a insignificância visual dos confins do universo na representação da borda da imagem.
      Se ele seguisse o conceito proposto, teriamos algumas distorções referenciais, como por exemplo, Urano tendo que ser menor dentro do circulo em relação a muitas estrelas que possuem menor magnitude que esse planeta, ou nebulosas tendo que ser maior que galáxias, por também ter menor magnitude que essas galáxias.
      O erro do autor foi dizer que faria uma representação matemática, usando escala logarítmica de magnitude. Já que nesse caso, o uso de logaritmo em ordem de magnitude só nos faria perder a noção de dimensão, principalmente em alvos mais próximos da Terra. E mesmo que usasse logaritmo em ordem de distância, o circulo também não ficaria parecido com esse que ele fez, já que galáxias estão em distâncias muito diferentes uma das outras.

      Bom... se o autor dissesse que a imagem é apenas uma obra artistica, sem querer dar contornos matemáticos para a arte, eu nem falaria nada. Eu não gosto quando as pessoas vendem uma ideia de precisão que não existe. E sim... sou chato mesmo nessas coisas. (◉◡◔)

      Excluir
    2. E daí que a magnitude tá errada? É arte. Tá exigindo muito.

      Excluir
    3. Eu até concordo com vc Milton kajita, seria indiscutível se é uma 'arte', do jeito que ele fez ou se faltou por não classificar melhor o desenho quanto ao tamanho das imagens mas de fato, pra ter sido melhor, ou só será melhor mesmo, quando criarem uma em 3d

      Excluir
  3. Apesar de concorda em partes com o Kajita, gostei muito da imagem.

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. Sim, mas é um daqueles lugares que ninguém viu, ninguém vê, mas todos acham que está lá. Só a nuvem de oort é capaz de explicar os cometas com órbitas de longo período, que sempre aparecem por essas bandas.

      Excluir
    2. É a teoria mais difundida, mas eu não acho legal tomar como parâmetro uma hipótese, e até catalogarem algo que pode nem existir.E todo mundo trata isso como se existisse, nunca podemos dizer que a nuvem de Oort "explica", e sim pensar de acordo com a teoria da "hipotética nuvem de Oort" podemos pensar nisso, naquilo e etc...

      Excluir
  5. Impressao minha ou a Terra esta maior que o sol?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salvei a imagem e aproximei pra ver mais detalhes...

      Excluir
  6. Imagem perigosa demais... ela lembra o geocentrismo ptolomaico. Um humano orgulhoso e com a doença de achar-se de ser grande vai fazer uma moldura dela para enfeitar sua mansão. Estamos lutando a vida inteira contra o geocentrismo e o orgulhocentrismo e agora isto. Minha opinião? Deletem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Verdade, qualquer observador, onde quer que esteja no universo, ao olhar para todos os lados, se verá no centro (a figura final seria um círculo). Sabendo disso fiquei mais chateado com ele ter colocado o Sol no meio ao invés da Terra.

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. nao gostei! nao vejo nexo nisso ai. a ideia até que é valida. Melhor representaçao que já do universo foi um video que nao lembro o nome em que a camera viaja mais rapido que a velocidade da luz (claro), e vai passando perto das galaxias, da uma puta sensaçao de realidade, impressionante! vou procurar esse video pra baixar.

    ResponderExcluir
  9. é sse video: https://vimeo.com/88412829

    ResponderExcluir
  10. Sintetizar o cosmos em um trabalho de arte é uma proposta que só dá para ser aceita se for desenvolvida no estilo surrealista, ou seja, a leitura da obra deverá seguir o que há de fantasia na mente de cada observador em relação ao tema proposto. O Universo observável é infinitamente complexo e ainda pouco compreendido pelo homem, condensá-lo em uma imagem é fomentar equívocos do senso comum, situação essa sempre evitada pela honesta ciência.

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir